É tramado

Um pequenito disclaimer na coluna faria toda a diferença

Anúncios

13 pensamentos sobre “É tramado

  1. Luís Lavoura

    Também não faria mal um pequenino disclaimer em alguns posts neste blogue. Por exemplo, naqueles em que o AAA defendia a anterior administração do BCP, não teria feito mal ter referido que o autor do post e o principal administrador do BCP eram membros da mesma sociedade religiosa.

  2. Miguel Noronha

    Não percebo bem onde estará o possível conflito de interesses nesse caso. Presuimo que também faço o mesmo sempre que se tratem de membros do PLD

  3. Pedro Carlos

    Sem dúvida que um pequeno disclaimer evitava que o artigo parecesse o que parece: um pequeno frete.
    MN: O que é o PLD? Ainda (ou já) existe?

  4. Koimbra

    O melhor é que não saiu num editorial qualquer, sem assinatura.
    Assim podemos escrutinar a “peça” e o intermediário.
    Mas infelizmente enquanto não existir um canal de TV não clientelar, a exposição deste “lodo de interesses” fica-se pela blogosfera e não chega a todos…
    Já agora: se uma mercearia vai à falência, as outras na vizinhança ficam com medo do risco sistémico e começam a despedir pessoal, ou vão vender mais maçãs?
    Porque será assim uma falência na banca tão “especial” e ruinosa para todos, não devia ser ao contrário?

  5. JP

    No nome do pai, do filho, e do Espírito Santo, junta-se isto ao que ontem disse Pacheco Pereira na quadratura e mistura-se com o que também ontem foi dito pelo José Gomes Ferreira no noticiário das 13h00 (uma denúncia pública que levaria à abertura imediata e urgente de um inquérito judicial em qualquer outro ponto da Europa, por suspeitas de corrupção na elaboração de leis) sobre o favor político da lei por medida, e dá que pensar. A ideia com que se fica é a de um país por mero acaso plantado em território europeu, mas já completamente enlameado em triângulos muito perigosos, a fazer lembrar o que de pior há no mais descarado terceiro mundo. Como dizia ontem um partido, aguardamos com serenidade.

  6. Luís Lavoura

    Não percebo bem onde estará o possível conflito de interesses nesse caso.

    O facto de uma pessoa ser advogada do dono de um banco também não significa que tenha interesse pecuniário em que o banco se mantenha. (Pelo contrário, até pode ter interesse pecuniário em que ele vá à falência, para que depois possa ganhar rios de dinheiro a defender o seu cliente em tribunal.) Mas são ligações que devem ser reveladas. Não são somente os interesses pecuniários que contam.

  7. Miguel Noronha

    Concerteza. Não posso imaginar relação mais desinteressada. Só por pura maldade poder-se-ia imaginar outra coisa.

  8. PPB

    Miguel
    O disclaimer está no nome. Toda a gente minimamente informada sabe que o F Proença de Carvalho é advogado do Ricardo Salgado. Aliás o Francisco assina os seus artigos com o nome e com a indicação que é advogado. Qual é o problema de coluna?

  9. Miguel Noronha

    Considero-me muitissimo mal informado pois então. Imagino que os leitores do DE também.
    Advogados há muitos. Do Ricardo Salgado (pelo menos para este caso) há um.

  10. lucklucky

    “A ideia com que se fica é a de um país por mero acaso plantado em território europeu, mas já completamente enlameado em triângulos muito perigosos”

    Está a tornar a Europa melhor que ela é.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.