Dois bons argumentos para a redução do número de deputados

imagesA deputada Catarina Marcelino do PS tornou-se na na última sensação das redes sociais. A até agora desconhecida deputada publicou uma mensagem no Facebook em que se afirmava contra a “sensura”, mas que apesar disso não “tulerava” insultos, dizendo que “bloquiaria” o seu autor. Mais tarde a autora corrigiu os erros, justificando-os com o facto de ser disléxica “como Einstein”.

Mas não é só no Rato que há “Einsteins” deste calibre. Com mais cuidado na linguagem, mas não menos “Einstein” na raiz é Ribeiro e Castro. O mesmo deputado que em tempos votou contra uma das poucas reformas estruturais deste governo, o novo código laboral, por discordar com a eliminação de um feriado, sentiu-se agora na obrigação de telefonar à Lusa para declarar as suas objecções contra a nova lei do jogo online, um mês depois de ela ter sido discutida na assembleia onde o senhor é deputado. Num país onde ainda se pode ir preso por jogar bingo a biscoitos, a lei fica muito aquém do que poderia e deveria ser feito. Portugal continuará bem atrás de outros países europeus no que toca à liberalização do jogo, mas para este “Einstein” da Assembleia da República, a proposta de lei é liberal (o que para ele, suponho, é um defeito por inerência). A proposta de lei, diz o senhor, “irá inevitavelmente corresponder à privatização progressiva de centenas de milhões de euros de receitas públicas”. Ao deputado importa pouco que a proposta de lei exclua os jogos sociais, que continuarão a ser um exclusivo da Santa Casa da Misericórdia (está logo no segundo artigo da proposta de lei, mas para isso seria necessário tê-la lido). Importa pouco também que o mercado-alvo dos jogos online (tendencialmente jovem e com rendimentos acima da média) seja bastante diferente do mercado que actualmente garantes as centenas de milhões de euros de receitas Santa Casa (Euromilhões e raspadinhas direccionam-se a um mercado-alvo mais velho e com menos rendimento). Ao intelectualmente limitado deputado importa pouco que a inevitabilidade de que fala tenha sido evitada em Espanha e no Reino Unido, dois países com uma legislação de jogo bem mais liberal do que a lei proposta mas cujos jogos sociais são dos maiores do Mundo. Copiando o argumento do PCP, Ribeiro e Castro afirma ainda que a totalidade da receita do jogo deveria reverter para a sociedade, como se a criação de emprego, os lucros e as receitas fiscais não fossem também “benefícios para a sociedade”. E depois há a questão dos benefícios puros da liberdade, que deveria fazer parte dos valores de um verdadeiro partido de direita e que esta proposta de lei está ainda longe de atingir, mas sobre os quais não me vou alongar porque ensinar derivadas a quem não sabe fazer contas de somar levaria demasiado tempo.
Um mês depois de a proposta de lei ter sido colocada à discussão, Ribeiro e Castro demonstra falta de preparação e um timing miserável (4 dias antes da votação) para vir apresentar as suas objecções. Ao lado do analfabetismo da Catarina Marcelino, o de Ribeiro e Castro é muito mais perigoso. Este é um analfabetismo do estilo Raquel Varela, bem-falante e transvestido de defesa dos mais fracos. Há, porém, uma interpretação alternativa (ou talvez complementar) para esta intervenção: o timing e o foguetório mediático das suas declarações indicam que mais do que querer discutir, Ribeiro e Castro quer-se posicionar como defensor da Santa Casa da Misericórdia, quem sabe preparando já o seu próximo passo na carreira.

24 pensamentos sobre “Dois bons argumentos para a redução do número de deputados

  1. k.

    A senhora é dislexica? Pensei que estava a escrever ao abrigo do novo acordo ortográfico.

    AHAHAHAHHA
    Ok, sou mau e é feio gozar com disléxicos.
    Moving on, relativo ao post:

    Concordo genericamente – não sabia (também não tinha procurado) que a liberalização dos jogos não tinha afectado os Jogos Sociais, que francamente eram a minha preocupação nesta história.
    O jogo é o financiamento da santa casa da mesericordia, e esta, com defeitos que tem, é uma instituição antiga e demonstrado valor para a sociedade Portuguesa, que deve a meu ver ser defendida.

  2. Luís Lavoura

    Bem, Ribeiro e Castro tem o direito de ter opiniões diferentes das do Carlos (e até das do seu partido) sobre esta questão, e não é razão para o Carlos dizer que ele deveria deixar de ser deputado. A Assembleia da República serve precisamente para que diversas opiniões tenham voz.

  3. Miguel Noronha

    “Esta cacetada da grossa vai-lhe custar algumas amizades Insurgentes”
    Quais? Por vezes surpreendo-me com certas interpretações que fazem dos posts.

  4. Pedro Cruz

    Muita bom. Mais uma vez o Carlos Pinto a mustrar que é o melhor blogger nasional. Até apostava que nunca seria político, mas o Santana metia-me em tribunal.

  5. tina

    Carlos, excelente trabalho, Ribeiro e Castro gosta de ser popular com certos elementos da sociedade e não se preocupa minimamente com o trabalho de casa, aconteceu o mesmo em relação à patente europeia.

  6. Carlos

    Luís Lavoura:

    Bem, ‘Hitler’ tem o direito de ter opiniões diferentes das do Carlos (e até das do seu partido) e não é razão para o Carlos dizer que ele deveria deixar de ser deputado. A Assembleia da República serve precisamente para que diversas opiniões tenham voz.

  7. JS

    O problema não é o número de deputados.
    O problema é a representatividade fruto do processo de eleição, perdão, nomeação exclusivamente partidária.
    A certos partidos certamente que agrada aquele tipo de “delegados”.
    Não gostam?. Paciência.
    E, claro, alguém votou naqueles partidos …

  8. lucklucky

    O problema é o poder que esta gente se arroga e alguns comentadores de ter sobre os outros ao ponto de se acharem que têm direito de impedir outras pessoas de jogarem.

  9. PPB

    Não comento a proposta porque não a conheço.
    Mas comento o post para lhe dizer que ainda bem que há deputados com opiniões e que a expressam. Podemos concordar ou discordar agora ainda bem que ainda há deputados que pensam pela sua cabeça e que até à aprovação possam dar a conhecer a sua opinião. Podemos estar de acordo ou não mas sinceramente apelidar de analfabetismo, limitado e miserável sinceramente. Lamentável.

  10. Miguel Noronha

    O problema é que pelas criticas que faz JRC não leu de todo a proposta. Isto para além de considerações que se possam fazer quanto ao enquadramento moral que ele pretende dar ao assunto.

  11. PPB

    É isso. É um intelectualmente limitado, um analfabeto perigoso que utilizou um timing miserável. Quem é que ele pensa que é? Para ter opiniões? Miserável.

  12. Miguel Noronha

    É pouco simpático para o JRC mas fundamenta bem as discordâncias e não me parece ser “grosseiro” e muito menos “ordinário”. Ou então tenho inventar novas categorias para reclassificar alguns posts que li noutros locais.

  13. PPB

    Noutros locais, que não frequento, pode ser a norma. No insurgente não.
    A comparação com Raquel Varela e a insinuação de que se está a fazer ao piso para provedor da SCML são ordinárias. As acusações de analfabetismo, limitação intelectual e actuação miserável são grosseiras.
    Repito nem conheço a proposta mas surpreendeu-me o tom do Carlos que muito aprecio e considero que um deputado tem todo o direito (aliás o dever) de expressar a sua opinião discordante sobre legislação apresentada mesmo que seja do governo.
    Prefiro isso a deputados autómatos.

  14. Carlos Guimarães Pinto

    O PPB tem direito à sua opinião, assim como o deputado em causa. Mas, se não fosse seu amigo, como qualificaria um deputado duma Assembleia que discutiu uma proposta de lei há quase um mês atrás mas que vem dizer, 4 dias antes da votação, que ela precisa de ser discutida? Falta de timing?
    Como qualificaria um deputado que irá votar numa proposta apresentada há um mês dentro de 4 dias e que, aparentemente, ou não a leu ou não percebeu o que lá estava escrito? Irresponsável? Limitado? Analfabeto funcional?
    Mas note o PPB no último parágrafo como aparece uma alternativa a esses epítetos, quanto a mim mais provável. O Ribeiro e Castro não é analfabeto nem limitado, nem lhe falta o timing, é apenas um demagogo que procura a atenção mediática a todo o custo e cultivar uma imagem que lhe permita uma saída airosa quando o actual ciclo político terminar. E isso, para mim, é pior do que todas as outras adjectivações.

  15. Miguel Noronha

    “um deputado tem todo o direito (aliás o dever) de expressar a sua opinião discordante sobre legislação apresentada mesmo que seja do governo. Prefiro isso a deputados autómatos”

    A discordância é um direito mas não é uma qualidade absoluta. E tal como já criticámos várias propostas do governo também criticamos alguns que o criticam pelas razões erradas. Na nossa perspectiva é claro. Também temos o direito de o fazer.

    Aliás não foi há muito tempo que aqui tivemos uma discussão quando no CDS tentaram expulsar o AMN por não votar de acordo com a linha do partido.

  16. PPB

    Carlos
    Não conheço a lei nem conheço os timings da sua aprovação. Sim conheço o JRC e embora esteja em desacordo com ele em muitas matérias sou seu amigo. Até porque o conheço bem custa-me acreditar que seja como refere (a questão dos timings), embora me pareça que até a aprovação a lei esteja em discussão. Mas se for como diz não foi a melhor forma de actuar.

    Miguel
    Também sou amigo do AMN embora també esteja em desacordo com ele também em muitos pontos. Posso assegurar que nunca ninguém o quis expulsar o AMN do CDS. Aliás o AMN foi dos melhores deputados do CDS e tem sido um excelente governante. O que alguns pretenderam (entre eles eu) foi instituir a regra de que o partido deve ter orientações firmes de voto em questões essenciais para o CDS como sejam em entre outras as questões da chamada agenda de valores (aborto, redefinição do conceito de casamento, adopção por dois homens ou duas mulheres, eutanásia etc). Respeitando-se a posição individual de cada deputado, quando a posição do deputado não coincide com uma posição política do partido deve ser o deputado a conformar-se com a posição do partido (lavrando a competente declaração de voto) e não o partido a conformar-se com a posição do deputado. Continuo aliás a ter este entendimento compreendendo exceções se previamente à aprovação das listas de candidatos a deputados em Conselho Nacional se assuma eventuais exceções que sejam claramente apresentadas ao partido para que este aprove ou não.

  17. Carlos Guimarães Pinto

    Para que não restem dúvidas em relação aos timings:

    16 de Junho: aprovação da proposta de lei em conselho de ministros (altura em que foi disponibilizada para consulta) http://www.portugal.gov.pt/pt/os-ministerios/ministerio-da-economia-e-do-emprego/mantenha-se-atualizado/20140619-set-jogo.aspx
    26 de Junho: Discussão na generalidade em plenário, tendo baixado à comissão http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/proposta-de-lei-sobre-jogo-online-discutida-em-comissao
    21 de Julho: Ribeiro e Castro vem a público dizer que é contra
    25 de Julho será a votação

  18. JP Ribeiro

    Ribeiro e Castro é parte integrante do regime que nos explora. A sua vida profissional atesta exuberantemente isso mesmo: nunca fez nada fora do sistema, nunca parece ter recebido um salário que não viesse através do Estado. E não será por ser do CDS que é menos chulo que os outros dos outros partidos que são, com toda a razão, aqui tão criticados. Nisto do regime vigente já não há inocentes. Muito menos quando estão na política há 40 anos.
    Quanto à Misericordia a história aqui contada tresanda a esturro.

  19. hajapachorra

    há quase um atrás? Ó pinto, cuidado, pá, com tanta redundância ainda acaba deputado. O Ribeiro e Castro com suas escassas letras faz mais pelo país a dormir do que a ambição descarada de vossecelência.

  20. carlos

    só mafia estes jogos sociais ! premios ridiculos para nao falar do imposto de 20% a premios superiores a 5000€ mas o que mete mais nojo sao estes ignorantes que defendem a santa casa, ja nao chega essas tretas do totobola tolotolo agora querem vir roubar o povo do das apostas online so querem tacho facil esses merdas!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.