Obama: O Pior Presidente Desde A Segunda Grande Guerra?

Poll after poll has charted President Obama’s dipping approval rating in recent months, but Wednesday brought perhaps the cruelest cut to date: A new Quinnipiac University survey found that voters rate Mr. Obama as the country’s worst president since World War II.” (fonte)

ReaganObama

ObamaApproval

36 pensamentos sobre “Obama: O Pior Presidente Desde A Segunda Grande Guerra?

  1. Rogerio Alves

    Olha. Parece que o Nixon já deixou de ser o worst.president.ever! Não é que eu não ache a posição do americano típico exagerada face a Nixon, mas, ainda assim, acho curioso que tenha deixado de ser, tão rapidamente, o top dos maus presidentes (para o americano médio). O homem tinha uma imagem tão má que pensei que só daqui a um século começasse a ser visto mais equilibradamente.

  2. hustler

    Os presidentes na América são avaliados em termos de taxa de crescimento económico do país, não é de estranhar portanto os resultados desta sondagem!
    Dificilmente haverá novamente um presidente tão popular como Reagan pois a conjuntura de então não se irá verificar novamente!
    O advento da globalização, o aparecimento de potências como a China ou o espaço UE, retiram muito potencial económico aos EUA.
    O facto de ser Obama o presidente menos popular é uma mera coincidência, fosse outro qualquer as circunstâncias económicas e as externalidades seriam as mesmas! Nenhum país é rico com base apenas na política monetária, é sim, a dimensão e o vigor do tecido industrial que faz com que as nações enriqueçam e prosperem, e nisso, os EUA já não têm a mesma capacidade de há umas décadas atrás!

    http://www.forbes.com/sites/peterferrara/2014/05/02/what-obamas-growth-recession-is-stealing-from-your-wallet/

  3. jacarlos

    claro que é de estranhar, dada a informação filtrada que passa nos media em Portugal sobre Obama. Tudo o que é negativo ou escandaloso não passa nos filtros dos media nacionais. Para quem está informado apenas com os media nacionais é uma enorme surpresa. Diria mesmo, um grande choque. Nada a que não estejamos habituados.

  4. hustler

    Tudo se resume ao trecho do artigo :”The public doesn’t trust his handling of the economy (40 percent approval) or foreign policy (37 percent approval).”

    Em termos de política exterior, escreve um outro artigo acerca de Reagan “He launched exactly one land war, against Grenada, whose army totaled 600 men. It lasted two days. And his only air war — the 1986 bombing of Libya — was even briefer. Compare that with George H.W. Bush, who launched two midsized ground operations, in Panama (1989) and Somalia (1992), and one large war in the Persian Gulf (1991). Or with Bill Clinton, who launched three air campaigns — in Bosnia (1995), Iraq (1998), and Kosovo (1999) — each of which dwarfed Reagan’s Libya bombing in duration and intensity. Do I even need to mention George W. Bush?””

    e a história no corte dos impostos parece ser exagerada segundo muitos “Reagan’s tax policies did, however, redistribute the tax burden significantly, even if they failed to reduce it overall. By cutting income taxes, which are paid at a higher rate by the wealthy, while increasing payroll taxes, which are paid at a higher rate by the working poor and middle class, Reagan shifted the tax burden down the income scale. During the 1980s, the total effective federal taxation rate for the poorest one-fifth of American families actually increased by more than 16%. By contrast, the effective taxation rate for the wealthiest one-fifth of families fell by 5.5%, and the richest one percent of Americans saved even more: their tax rate fell by 14.4%.25”

    http://www.shmoop.com/reagan-era/economy.html

  5. Eu diria que esse género de sondagem (perguntar às pessoas de 2014 qual foi o melhor e o pior presidente das últimas décadas) não é lá muito relevante, porque enquanto dos antigos só se lembram dos que efetivamente fizeram algo marcante (ou os a quem foi feito algo marcante, como é possivelmente o caso de Kennedy), há uma tendência a inflacionar a importância dos atuais (por alguma razão Obama é o pior e “W” o segundo pior).

    Mais interessante seria pegar nas estatísticas de aprovação que cada presidente teve durante o seu mandato e fazer uma comparação.

  6. tina

    “Os presidentes na América são avaliados em termos de taxa de crescimento económico do país,”

    Acho que está a simplificar muito a sua análise. Para se perceber como a política de Obama desagrada aos cidadãos comuns americanos basta ver como ele é sempre atacado por fabricar dinheiro, pelo contínuo aumento na dívida e pelos custos elevados do Obamacare. O que se percebe é que os cidadãos se sentem muito inseguros sob a sua administração e estão preparados para o pais implodir a qualquer momento.

  7. tina

    Se compararmos com a Europa, houve um ressurgimento da direita e os governos de direita que governaram com medidas de austeridade não foram tão penalizados nas recentes eleições como seria esperado: ou seja, as pessoas passaram a desconfiar do socialismo e preferem ser governados com disciplina orçamental. Obama representa o oposto de tudo isso e só cativa ainda a população ignorante.

  8. JSP

    Surpreendente a ( surpreendida ?… ) surpresa dos nativos “bem-pensantes” deste caneiro à beira-mar pespegado…

  9. hustler

    “Acho que está a simplificar muito a sua análise”, Não, estou apenas a demonstrar o porquê da popularidade de um e de outro, Reagan aumentou exponencialmente o PIB e não se meteu em conflitos armados, com a administração Obama o PIB teve um crescimento tímido e um carácter mais belicista.
    Ao cidadão comum americano (bem como a qualquer outro cidadão de uma diferente nacionalidade) não lhe interessa a política monetária ou o aumento da dívida, a eles só lhes interessa o emprego, a melhoria das condições de vida, e a perda de vidas em conflitos armados que não lhes dizem respeito. E é isso que mede a popularidade, não as questões técnicas.
    Mas já que falamos em questões técnicas, o sucesso de Reagan deveu-se sobretudo ao controlo da inflação (que herdou da administração anterior), à desburocratização/desregulamentação da economia, aliado a uma forte pujança dos mercados, encarnada na bolsa de Wall Street. Mas convém não esquecer que na década de 70 não havia globalizações nem eras digitais, era muito mais difícil deslocalizar a indústria ou transferir know how para países concorrentes.
    Em relação ao aumento da dívida, Reagan aumentou-a consideravelmente.

    “ou seja, as pessoas passaram a desconfiar do socialismo e preferem ser governados com disciplina orçamental. Obama representa o oposto de tudo isso e só cativa ainda a população ignorante.”, nos EUA não existe esquerda tal como a entendemos aqui na Europa. No novo continente o partido democrata seria uma direita com “tiques” de esquerda, enquanto que o partido Republicano representa uma direita de Estado zero e impostos
    mínimos.
    Algo que seria inaceitável aqui em Portugal – ou em qualquer outro país europeu – era haver partidos que baixassem os impostos aos mais ricos e os aumentassem aos mais pobres, e era esse aliás, o programa eleitoral de Mitt Romney nas eleições passadas.

  10. tina

    O Hustler devia ver mais episódios americanos atuais para perceber como a política monetária de fabricar dinheiro preocupa os cidadãos, quantas piadas não há já à volta disso. O socialismo entra também muito em debates, comparando-se a situação dos US com as políticas despesistas dos países do sul da europa, até que ponto não estão a ir no mesmo caminho. O Obamacare é uma imposição aos americanos muito semelhante a uma ditadura de esquerda, acho que foram ainda mais longe do que qualquer medida socialista europeia. Questiona-se se não é contra a Constituição obrigar os cidadãos a pagar seguro de saúde. A maioria das pessoas que já pagava seguro, vê-se indignada com o aumento excessivo que os seus seguros sofreram. Entretanto continuam a haver muitos gastos desnecessários, incluindo os do próprio Presidente e família. É sobre isto que os cidadãos americanos comuns falam.

  11. hustler

    “O Hustler devia ver mais episódios americanos atuais para perceber como a política monetária de fabricar dinheiro preocupa os cidadãos, quantas piadas não há já à volta disso.”, acho que está a desvirtuar o título do post e do artigo.
    Volto a repetir, limitei-me a tentar explicar a popularidade e impopularidade de uns e outros, o título do post não era “Obama é o pior presidente porque é um socialista desenfreado”.
    Os defeitos da sua política económica em detrimento das suas políticas sociais (com virtudes ou nem por isso) não foi chamado a este debate.
    Podemos falar da política monetária expansionista, dos estímulos keynesianos, do aumento da despesa, etc, nas escolhas económicas e sociais dos EUA, mas as razões da impopularidade, do ponto de vista do cidadão comum, resumem-se apenas ao crescimento económico e à “política militar” no exterior.

  12. tina

    “acho que está a desvirtuar o título do post e do artigo.”

    Estou só a fundamentar o que digo ao contrário de si, que nunca uma única vez fundamentou o que disse. Todos os seus comentários são as suas próprias interpretações baseadas em dados, sem nunca ter auscultado a opinião dos americanos. Para além de se informar melhor antes de mandar palpites, aconselho-a a aceitar com mais humildade opiniões contrárias à sua.

  13. hustler

    “O Obamacare é uma imposição aos americanos muito semelhante a uma ditadura de esquerda, acho que foram ainda mais longe do que qualquer medida socialista europeia.”, esta é engraçada, nunca a tinha ouvido!
    Para um país que não tem SNS, ao contrário de qualquer nação europeia, o Obamacare é o que mais se aproxima desse sistema de saúde!
    Obviamente que há pessoas que discordam da existência de um SNS e pode inclusive ser o seu caso, no entanto não é o meu!

    O seguro de saúde baptizado com o nome de Obama tem virtudes,
    “The main advantage of the Affordable Care Act is that it lowers health care costs overall by making insurance affordable for more people. (extendeu-se aos jovens e aqueles que usam a urgência hospitalar em vez de consultas pelo médico de família)
    Another advantage is it provides insurance more fairly. Prior to the Act, only people who fell into one of four categories could get affordable health care:
    Those who work for a company that provides it.
    Those who can afford to pay on their own and who have no pre-existing conditions.
    The very poor, who have Medicaid.
    Those who are 65 and older, who have Medicare.

    embora não isento de falhas
    “The main disadvantage is that the Act could increase health care costs over the short term. That’s because many people will receive preventive care for the first time in their lives. This could lead to treatment of heretofore undiagnosed illnesses, driving up costs
    Most of the disadvantages are accruing to those individuals and businesses that are paying higher taxes. In addition, somewhere between 3-5 million workers could lose their existing, company-sponsored health insurance if their company finds it more cost-effective to let them buy it on their own and pay the penalty.”

    Mas mesmo assunto pode ser visto como um trade off , um maior número de pessoas de baixos rendimentos terá acesso a cuidados de saúde através desse seguro subsidiado, enquanto que um pequeno grupo de cidadãos mais abastados terão que o pagar do próprio bolso! Tendo em conta que o Obamacare não é um serviço universal como o SNS, os moldes em que este se apresenta não são assim tão “malévolos” e injustos como os que quer fazer crer, uma “tirania de esquerda”!

  14. hustler

    “Estou só a fundamentar o que digo ao contrário de si, que nunca uma única vez fundamentou o que disse.” Não, o que está a ser é emotiva e aliás mostra-o em muitos posts, defende o Pedro Passos Coelho com unhas e dentes, manda um Insurgente desaparecer do blog porque tem uma opinião radicalmente contra os seus valores, etc….

    “Todos os seus comentários são as suas próprias interpretações baseadas em dados,”, é isso mesmo, são dados objectivos (crescimento económico e “ir para a guerra”)….”sem nunca ter auscultado a opinião dos americanos”, a opinião dos americanos não são apenas os mais esclarecidos ou as elites que escrevem para os jornais ou artigos de opiniões em blogs e que têm umas luzes de fundamentos económicos, são a de muitos outros, que apenas conseguem aferir o estado da economia contando os trocados na carteira ou o aflição de estar desempregado.

  15. tina

    “de muitos outros, que apenas conseguem aferir o estado da economia contando os trocados na carteira ou o aflição de estar desempregado”,

    Mas esse esses são os que mais votam em Obama! São as classes mais pobres e ignorantes as que mais fé ainda têm em Obama. Se não fosse por eles, Obama teria ainda pior resultados.

  16. tina

    “Mas mesmo assunto pode ser visto como um trade off , um maior número de pessoas de baixos rendimentos terá acesso a cuidados de saúde através desse seguro subsidiado, enquanto que um pequeno grupo de cidadãos mais abastados terão que o pagar do próprio bolso!”

    Again, está muito mal informado. Não é um número pequeno nem dos mais abastados. São cidadãos comuns, de classe média, que viram os seus seguros duplicar de um dia para o outro. As pequenas empresas também estão agora a batalhar para pagar seguro médico aos empregados e estão a recorrer de soluções extremas, tais como pagar multas que ainda fica mais barato. É muito fácil ser-se socialista com o dinheiro dos outros, mas é por isso que as sondagens de Obama estão a sofrer.

  17. hustler

    “Mas esse esses são os que mais votam em Obama! São as classes mais pobres e ignorantes as que mais fé ainda têm em Obama. Se não fosse por eles, Obama teria ainda pior resultados.”, não será bem assim, segundo a Foxnews, existem dois grupos de eleitores que apoiam Obama, os muito pobres e, espante-se, os muito ricos!

    “President Obama is dividing America into two nations—one rich, the other increasingly poor. Yet, surprisingly, both “nations” are more likely to elect Democrats. Those Americans who are growing richer support the president’s economic policies, and those growing poorer become dependent on him for government largess. Together, both groups elect Democrats.

    Non-elite males don’t vote for Democrats and certainly are not likely to vote for Hilary Clinton, so Obama happily pursues policies that marginalize and make them despondent.”

    E se dúvidas houvesse em relação ao que escrevi anteriormente relativamente à globalização e era digital, o artigo corrobora-o na íntegra:

    “Since 2001, when Bush took office, the U.S. economy has created only 4.7 million jobs—about 30,000 a month and less than one-fourth of those needed to keep pace with population growth.
    Technology is important. The digital revolution and the shift of news and entertainment to the Internet, cable, eBooks, and the like have effectively killed one million jobs.

    Globalization is a culprit. American industry still boasts many of the best products and efficient factories but has shed 5 million jobs—far more than can be justified by rising productivity.

    Manufacturing has enjoyed a small renaissance but has recouped only one in nine lost jobs, because Bush and Obama poorly enforced trade agreements that apply to principal competitors. China, Japan and Germany systematically maintain currency advantages and barriers that artificially under price their products and block our exports.”

    http://www.foxnews.com/opinion/2014/02/12/obama-two-americas-why-both-rich-and-poor-keep-electing-democrats/

  18. tina

    “os muito pobres e, espante-se, os muito ricos!”

    a mim não me espanta nada, pois são bem conhecidos, por exemplo, os milionários criados por Obama com os seus subsídios para a energia eólica. É outro motivo de descontentamento, a sua política ambientalista, continua a gastar rios de dinheiro com o ambiente quando já se começou a perceber que o aquecimento global pode não passar de uma grande fraude.

  19. hustler

    “Again, está muito mal informado. Não é um número pequeno nem dos mais abastados.” pois, diz o seguinte artigo de opinião da Forbes:

    “Johnson’s numbers do accurately reflect that the largest chunk of Obamacare tax increases come from two sources- the 3.8 percent return on investment income and the .9 percent hike in payroll taxes. But these new taxes apply only to those earning in excess of $250,000 if married and $200,000 if single.”, a grande maioria dos americanos têm um salário anual bem inferior a esses números!

    http://www.forbes.com/sites/rickungar/2013/03/12/will-the-middle-class-really-pay-one-trillion-in-new-obamacare-taxes-and-if-true-what-would-it-buy-them/

    e adianta ainda o seguinte:
    “While there may be more tax dollars flowing from middle class pocketbooks to the federal government, in return for this money the middle class will be receiving more than the value of what they paid—that return coming in the form of tax credits that will allow them to buy health insurance, often for the first time.”

    Como o artigo provem duma fonte idónea, não sou eu que teimosamente tento demonstrar o contrário, são factos que nos são apresentados por quem conhece o projecto!

  20. hustler

    “quando já se começou a perceber que o aquecimento global pode não passar de uma grande fraude.” querem ver que os termómetros também mentem!!!!!

    “É outro motivo de descontentamento, a sua política ambientalista, continua a gastar rios de dinheiro com o ambiente.” até pode por em causa se o investimento compensa a relação benefício/prejuízo, mas o que não pode fazer é achar que o ambiente é um tema desprezável e que não tem impacto na qualidade de vida dos cidadãos!

  21. tina: “Para se perceber como a política de Obama desagrada aos cidadãos comuns americanos”

    “Cidadãos comuns americanos” que, se não estou em erro, votaram maioritariamente nele (bem, pelos menos o que foram votar) há dois anos; pronto, terem votado nele há dois anos não quer dizer que o apoiassem agora, mas penso que a sua política não mudou muito.

    [Atenção que com isto eu não estou a dizer que as políticas do Obama sejam boas; estou apenas a questionar se os “americanos comuns” serão assim tão anto-Obama como tudo isso]

  22. lucklucky

    Obama é pior presidente americano das ultimas décadas, fica bem na lista com Roosevelt, Johnson, Nixon em destruirem a Republica.
    A que devemos neste caso juntar o apartheid politicamente correcto que apoia.

    “O advento da globalização, o aparecimento de potências como a China ou o espaço UE, retiram muito potencial económico aos EUA.”

    Mais uma patetice mercantilista. Os EUA só têm a ganhar económicamente, e ganham muito com uma China e Europa próspera.

  23. lucklucky

    Mas é muito pior Obama em termos do que faz aos EUA:

    Uso do IRS para atacar adversários políticos
    Violação activa das leis da imigração, promovendo imigração ilegal para os EUA.
    Suspender mais de 40 leis do congresso muitas das quais Obama apoiou.
    Por exemplo muitas partes do Obamacare estão suspensos.
    Mortes por causa do Oabamcare com as pessoas a perderem os seus médicos.
    Entrar em guerra sem passar pelo congresso.

    Um Jornal que renega o apoio que deu a Obama em 2008

    http://billingsgazette.com/news/opinion/editorial/gazette-opinion/article_f7f51100-0eb8-5726-922f-b1bf460fcf87.html

  24. lucklucky

    Se o que se passou e se passa com Obama fosse com um Presidente Republicano já há muito tempo os jornais europeus – ou seja não só os americanos – estariam a clamar por distituição.

  25. tina

    miguel:”pronto, terem votado nele há dois anos não quer dizer que o apoiassem agora, mas penso que a sua política não mudou muito.”

    pois, eu também acho estranho. Mas houve coisas que aconteceram entre a última eleição e agora, nomeadamente o escândalo do IRS e das escutas, a aplicação do Obamacare…Sócrates também foi eleito pela segunda vez e não durou muito tempo.

  26. tina

    “the 3.8 percent return on investment income and the .9 percent hike in payroll taxes. But these new taxes apply only to those earning in excess of $250,000 if married and $200,000 if single.”,”

    Pois, e o resto que é pago pelo aumento dos seguros da classe média, que deve representar ainda uma percentagem significativa dos seus rendimentos?

  27. hustler

    “O advento da globalização, o aparecimento de potências como a China ou o espaço UE, retiram muito potencial económico aos EUA.”

    Mais uma patetice mercantilista. Os EUA só têm a ganhar económicamente, e ganham muito com uma China e Europa próspera.”, é verdade, mas próspera é diferente de global ou globalização! O facto dos EUA poderem vender os seus produtos em países prósperos não aumenta a criação de postos de trabalho dentro de portas! Apenas aumenta a riqueza daquelas que conseguem negociar com o exterior.

    Mas talvez não tenha lido a parte do artigo que fala deste assunto e “iliba” George W. Bush e Obama, mas eu volto a colar aqui :
    “Since 2001, when Bush took office, the U.S. economy has created only 4.7 million jobs—about 30,000 a month and less than one-fourth of those needed to keep pace with population growth.
    Technology is important. The digital revolution and the shift of news and entertainment to the Internet, cable, eBooks, and the like have effectively killed one million jobs.

    Globalization is a culprit. American industry still boasts many of the best products and efficient factories but has shed 5 million jobs—far more than can be justified by rising productivity.

    Manufacturing has enjoyed a small renaissance but has recouped only one in nine lost jobs, because Bush and Obama poorly enforced trade agreements that apply to principal competitors. China, Japan and Germany systematically maintain currency advantages and barriers that artificially under price their products and block our exports.”

    e já agora volto a repetir a principal razão do sucesso de Reagan:
    “It was that explosive growth in the stock market that drove the overall prosperity of the Reagan years.
    For fifteen long years, then, the average investor would have literally been better off stuffing his money under his mattress rather than buying stocks. All that changed after 1982, when the stock market began a stratospheric ascent that would not really come to an end until 2000.
    Thus the great bull market of the 1980s created more wealth, for more American families, than any previous boom in history.”

    “Uso do IRS para atacar adversários políticos”, ?????, a que é que se refere exactamente?

    “Violação activa das leis da imigração, promovendo imigração ilegal para os EUA.” a aceitação de menores da América Central que atravessam a fronteira é a fonte dos problemas da imigração ilegal? É sem dúvida um argumento demagógico usado pelos políticos para reivindicar a perda de postos de trabalho aos nativos do país! mas será que é verdade e tem fundamento económico? A resposta é não!
    ” Illegal immigration does have some undeniably negative economic effects. Similarly skilled native-born workers are faced with a choice of either accepting lower pay or not working in the field at all. Labor economists have concluded that undocumented workers have lowered the wages of U.S. adults without a high-school diploma — 25 million of them — by anywhere between 0.4 to 7.4 percent.

    The impact on everyone else, though, is surprisingly positive. Giovanni Peri, an economist at the University of California, Davis, has written a series of influential papers comparing the labor markets in states with high immigration levels to those with low ones. He concluded that undocumented workers do not compete with skilled laborers — instead, they complement them.
    From 1990 to 2007, undocumented workers increased legal workers’ pay in complementary jobs by up to 10 percent. ”
    Uma coisa é certa, os imigrantes fazem o trabalho que os residentes não aceitam e até preferem o subsídio de desemprego a trabalhos duros ou trabalhos socialmente desprezíveis; sectores de baixo valor acrescentado dependem desse tipo de mão de obra (a comparação é a mesma daquela dos trabalhadores tailandeses em explorações agrícolas alentejanas) e que são importantes para a economia.

    http://www.nytimes.com/2013/02/17/magazine/do-illegal-immigrants-actually-hurt-the-us-economy.html?pagewanted=all&_r=0

  28. tina

    Obamacare, a razão para o crescimento negativo observado atualmente nos EUA.

    http://www.cnbc.com/id/101791342

    E isto acontece ainda antes do “employer mandate”, através do qual o empresário terá também de pagar pelos empregados. Obama resolveu adiar para quando já não estiver lá e não ter de arcar com as consequências. Vai deixar o país num caos, com dívidas escondidas, contas por pagar e medidas por implementar, tal como Sócrates deixou .

  29. hustler

    “e o resto que é pago pelo aumento dos seguros da classe média, que deve representar ainda uma percentagem significativa dos seus rendimentos?” não deve ter lido até ao fim, mas eu volto a colar:
    “While there may be more tax dollars flowing from middle class pocketbooks to the federal government, in return for this money the middle class will be RECEIVING MORE than the value of what they paid—that return coming in the form of tax credits that will allow them to buy health insurance, often for the first time.”

  30. hustler

    “Obamacare, a razão para o crescimento negativo observado atualmente nos EUA.” esse argumento tem algum fundamento económico ou é apenas uma medida designada de “socialista” que serve para atirar as culpas?

    Em relação ao op ed que colocou mostra as coisas apenas por um ponto de vista, existem outros que falam exactamente no oposto
    “But over the past few weeks, the news has started to roll in the other direction. Enrollment has surged beyond expectations. Costs are coming in lower than predicted. Various reports say the number of uninsured Americans is falling. Now it’s good news snowballing, and it’s critics who increasingly seem to have missed the mark with their warnings of inevitable collapse.”

    http://www.nationaljournal.com/health-care/obamacare-is-on-a-winning-streak-20140416

    “Obama resolveu adiar para quando já não estiver lá e não ter de arcar com as consequências. Vai deixar o país num caos, com dívidas escondidas, contas por pagar e medidas por implementar, tal como Sócrates deixou .”, penso que enverdou por uma senda de demonizar tudo o que se aproxima ao Partido Socialista português e anda empenhada na “evangelização” dos eleitores com a “Palavra da Direita”, seja lá o que possa entender por isso!

    Mais importante que a catalogação entre esquerda e direita, é necessário olhar para as medidas que os políticos tomam e avaliar a sua relação custo/benefício, independentemente do político em questão ser conotado com a doutrina A, B ou C.
    O facto do Obama querer tornar a saúde acessível à franja de cidadãos mais desfavorecidos é algo que é louvável, se é algo que favorece um certo número de cidadãos em detrimento de um pequeno número deoutros, vejo-o como um trade off. Se este programa de seguro de saúde destrói a economia e aumenta o desemprego, terá que ser demonstrado através de uma relação de causalidade-efeito. Não basta olhar para a economia que está anémica e dizer que a causa é o Obamacare!!!!

  31. tina

    “Em relação ao op ed que colocou mostra as coisas apenas por um ponto de vista, existem outros que falam exactamente no oposto”

    é exatamente por isso que eu nunca leio as referências que perspega aqui, todas refletem um ponto de vista. Enquanto eu baseio muito pouco o meu juízo em artigos de opinião, você não faz mais nada do que escolher artigos preferidos e perspegá-los aqui. Então, até à próxima.

  32. hustler

    “é exatamente por isso que eu nunca leio as referências que perspega aqui, todas refletem um ponto de vista.”, existem as crónicas e op eds e existem as notícias, enquanto que os primeiros são parciais, os últimos são objectivos.
    Quando colo aqui números, estou a utilizar dados concretos, sem margem para interpretações parciais!

    A era digital matou 1 milhão de empregos
    A globalização arrasou com 5 milhões
    A indústria transformadora apenas criou 1 em 9 empregos do que se perderam
    Ora, isto são dados, não há op eds ou comentários tendenciosos.

    3,8% em ROI
    e 0,9% em aumento total de IRS colectado, isto também são dados!

    “Enquanto eu baseio muito pouco o meu juízo em artigos de opinião”, pois acaba de lhe saír a boca para a verdade, o seu juízo é feito com base nos juízo dos outros, não com base em dados objectivos e numéricos!

    Ao dizer que a dívida pública é isto e aquilo, porque não recolhe os dados e demonstra que o excel de Roggof se está a verificar com os EUA? É que escreve um conjunto de generalidades que toda a gente já sabe….

  33. Renato Souza

    Eu diria que há excesso de democracia representativa lá. A América foi pensada como um país essencialmente anárquico, onde só as coisas que se julgava que não poderiam ser anárquicas foram deixadas ao governo. Assim, um assassino, por exemplo, não se denunciará e castigará a si mesmo, logo a pena deve vir pela ação do estado. Da mesma forma, um atacante externo não se reprimirá a si mesmo de atacar. Logo, deve ser coagido a ir embora/se render/deixar de atacar pela força comum dos cidadãos, através do exército. O sistema americano não foi pensado como essencialmente democrático, foi pensado como essencialmente anárquico, e só secundariamente, no que a anarquia pareceu inviável, como democrático.
    Hoje em dia, a equação se inverteu. Como em todos os países do mundo, o governo se tornou extremamente intrusivo, a constituição foi traída no seu espírito.

  34. Convém não romantizar a constituição dos EUA e exagerar a “intenção” por detrás do que lá está escrito – a Constituição foi proposta por pessoas que defendiam explicitamente um governo central forte para promover o comércio e a indústria e que chegaram a pensar na ideia de um presidente vitalício que nomearia ele os senadores. Como do outro lado havia uma oposição a favor da autonomia local, de uma espécie de democracia direta aldeã, do comércio livre e da agricultura e que desconfiava dos banqueiros e industriais e achava que vinha aí a restauração de algo parecido com a aristocracia britânica, a Constituição acabou por ser um compromisso negociado (ironicamente, no século XX os “herdeiros institucionais” da facção localista/populista/”libertária” deram uma volta de uns 175º graus e acabar por ser os maiores promotores do crescimento do governo federal)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.