Mais do que uma “não notícia”

É um modo de ser e de estar dos comunistas a que temos direito.

PCP vota contra condenação de crimes da Coreia do Norte.

 

 

15 pensamentos sobre “Mais do que uma “não notícia”

  1. tina

    Um grande nojo os comunistas portugueses! Foram os únicos comunistas europeus que alinharam com os sovietes e continuam iguais. E ainda recebem 10% dos votos dos portugueses! Vivemos com o maior lixo de sempre.

  2. A. R

    Isto não é uma ideologia. É uma associação criminosa a aguardar a oportunidade de dar o golpe

  3. Comunista

    Grandes hipócritas. Não se importam de fazer negócios com os maiores aliados da Coreia do Norte, a China, inclusive de vender ao PC Chinês o controlo da EDP e agora vêm para aqui armados em moralistas. Porquê é que não fazem um voto destes contra a China? E um contra a Arábia Saudita?

  4. tina

    “Porquê é que não fazem um voto destes contra a China? E um contra a Arábia Saudita?”

    Quando as atrocidades cometidas sobre um povo são tão evidentes como aqueles cometidas na Coreia do Norte, em que para além disso o povo passa fome ao contrário da China ou da Arábia Saudita, então não há palavras para descrever o fanatismo e crueldade dos comunistas portugueses, que ainda questionam a sua veracidade. Metem nojo, corre-lhes no sangue o desprezo pela vida humana, tudo o que ambicionam é oprimir as pessoas e o poder sobre elas. Nunca mudam, como Putin bem acaba de demonstrar. Comunistas portugueses, agentes da KGB, nazis, são todos feitos da mesma massa.

  5. Jose

    Comunista, e quando têm vocês coragem para condenar estas barbaridades cometidas por estes regimes? Ou isto é sempre a passar a bola para os outros?

  6. Comunista

    Declaração de voto do PCP sobre a Coreia do Norte
    Sexta 28 de Fevereiro de 2014

    Nenhum partido em Portugal pagou como o PCP tão elevado preço pela defesa da liberdade, da democracia e dos direitos humanos. Muitos comunistas portugueses pagaram com a própria vida a defesa desses valores.

    É esse projeto de liberdade, democracia, justiça e progresso social que há 93 anos defendemos que nos vincula e que nos distancia de opções e orientações da República Popular Democrática da Coreia.

    Reafirmamos o nosso compromisso com a defesa dos direitos humanos, dos direitos dos povos e da paz onde quer que sejam postos em causa, ao mesmo tempo que denunciamos os processos de escalada de confronto e desestabilização da região da Península da Coreia visando impedir uma solução política para a sua reunificação.

    O voto que hoje aqui é apresentado por PS, PSD e CDS baseia-se num relatório que ainda não foi apresentado às Nações Unidas mas já teve a sua credibilidade internacionalmente posta em causa quanto à metodologia e conclusões.

    Trata-se de um relatório elaborado, nomeadamente, a partir de quatro audições realizadas em Seoul, Tóquio, Londres e Washington que se insere na campanha de permanente tensão e conflito com vista à desestabilização da Península Coreana e à justificação da presença militar norte-americana nesta região.

    E a propósito de relatórios, tantas vezes propaganda de guerra, sempre é bom lembrar os relatórios sobre a suposta existência de armas de destruição massiva no Iraque e ao que conduziram.

    Por estas razões, o PCP distancia-se deste voto.

    http://www.pcp.pt/declara%C3%A7%C3%A3o-de-voto-do-pcp-sobre-coreia-do-norte

  7. Fernando S

    Comunista (Declaração de voto do PCP sobre a Coreia do Norte) :
    “Nenhum partido em Portugal pagou como o PCP tão elevado preço pela defesa da liberdade, da democracia e dos direitos humanos. Muitos comunistas portugueses pagaram com a própria vida a defesa desses valores.”

    O PCP nunca defendeu “a liberdade, a democracia e os direitos humanos”.
    Antes pelo contrario.
    O PCP foi e é apoiante incondicional dos regimes totalitarios comunistas que, como é hoje sabido por toda a gente, partilham com os nazis o primado da repressão sem concessões de qualquer forma de liberdade e de democracia.
    A principal diferença entre o nazismo e os comunismos “reais” é que estes ultimos acabaram por durar muito mais tempo e por matar muito mais gente.
    Em Portugal, antes e depois do 25 de Abril, o PCP tudo fez e tem feito para limitar a liberdade dos que se lhe opõem e para impor em Portugal um regime que se aproxime o mais possivel do modelo totalitario comunista. Ao qual, recorde-se, o actual regime norte coreano, pertence. No fim de contas, a posição do PCP relativamente a este regime, tipo “gato escondido com o rabo de fora”, é triste mas não surpreende.
    Os comunistas portugueses que morreram não o fizeram lutando pela causa da liberdade (a não ser a deles proprios) mas sim por uma causa indigna e abjecta. Felizmente, tudo somado, e descontando aqueles que foram executados pelos proprios esbirros do Partido, até não foram tantos como isso. Uma insignificancia quando se compara com o numero de vitimas dos regimes comunistas que o PCP apoiou e apoia.

  8. Comunista

    Fernando, o capitalismo já matou e continua a matar muito mais do que o comunismo. O nazismo e o fascismo são formações capitalistas, frentes de defesa do capital contra o comunismo. Fora isso há que juntar a matança e repressão brutal das potências europeias sobre Índia e África para promoverem o seu capitalismo e já no pós II Guerra os milhões de mortos à conta das intervenções dos EUA. O que acontece é que para você os EUA, a Inglaterra, o capitalismo têm o direito de matar o que for preciso porque não conta, é justificado, pode passar-se à frente…ah e também porque você só conhece a história escrita pelos capitalistas.

    Em Portugal quem impôs uma ditadura de 48 anos foi a direita – é bom não esquecer.

  9. Comunista

    Tenho quase a certeza que o Fernando S, a Tina e muitos outros aqui não sabem que a Bélgica foi responsável por mais de 10 milhões de mortos no Congo na virada para o século XX, provavelmente até os escritores do insurgente ignoram isto ou nem se lembram. Sabem porquê? Porque para vocês não importa nada disso, como não importa que Churchill tenha tomado decisões que causaram milhões de mortos na Índia; para vocês o capitalismo está acima disto tudo que nem deve ser lembrado e sendo lembrado é despachado com um “que se lixe”.

    “From 1885 to 1908, it is estimated that the Congolese native population decreased by about ten million people.[2] Historian Adam Hochshild identifies a number of causes for this loss under Leopold’s reign—murder, starvation, exhaustion and exposure, disease, and plummeting birth rates. Congolese historian Ndaywel e Nziem estimates the death toll at thirteen million.[7] Leopold capitalized on the vast wealth extracted in ivory and rubber during his twenty-three year reign of terror in the CFS. He spent some of this wealth by constructing grand palaces and monuments including the Royal Museum for Central Africa in Tervuren. Ironically, Leopold never visited the kingdom in which he committed such atrocities, to witness the tragedy of his greed.”

    http://www.yale.edu/gsp/colonial/belgian_congo/

    E já agora lembrar que não foram os comunistas que lançaram a I Guerra ou a II Guerra. Foram interesses das classes dominantes de alguns países que acharam por bem enviar o proletariado dos seus países lutar por eles.

  10. Fernando S

    Comunista,

    O “capitalismo” não é um regime politico, é uma forma de economia que assenta na propriedade privada e no mercado. Como tal não mata ninguém. Uma economia de tipo capitalista pode existir com regimes politicos de diversos tipos, das ditaduras até às democracias passando por um sem numero de formas hibridas. Mas, sendo a liberdade individual uma condição para a existencia e o funcionamento eficiente dos mercados, a democracia é o regime politico que mais convém e favorece o capitalismo.
    Ja o “comunismo” é um sistema total, totalitario, que se aplica a todas as areas da condição humana, e que assenta na privação da liberdade dos individuos. Sendo essencialmente contrario à vontade de liberdade que existe em cada individuo e em cada comunidade humana, o comunismo apenas pode ser imposto e mantido através de uma repressão total e feroz, sem limites. O comunismo vai muito além da ditadura politica, que também existiu e existe em paises com sistemas economicos mais ou menos capitalistas (normalmente “menos”, pela razão que refiro acima). O comunismo é inseparavel da repressão de toda e qualquer forma de liberdade individual e colectiva. Por isso é totalitario.
    O outro sistema politico que mais se aproximou do comunismo é precisamente o nazismo. As origens intelectuais e os métodos são comuns e praticamente identicos. De resto, convém não esquecer que o nazismo era também uma forma de socialismo, o “nacional-socialismo”. O comunismo apareceu antes do nazismo (e do fascismo) e, em boa medida, inspirou e serviu de modelo para este regime. Eram primos proximos, que concorriam entre si pela afirmação de ideologias contrarias à liberdade individual (são ambos raivosamente anti-liberais) e utilizando a violencia e o terror como meio de conquista e conservação do poder. Por isso ressentiam uma espécie de amor-odio um pelo outro, confrontaram-se frequentemente e violentamente, mas também, em varias circunstancias, se toleraram e se aliaram para a realização de objectivos de conquista e dominação territorial (e até de eliminação dos opositores democraticos).
    A este respeito, convém precisamente lembrar que, na 2a Guerra Mundial, que foi efectivamente desencadeada pelo nazismo hitleriano (e não pelo “capitalismo”), os dois regimes totalitarios, o comunistas soviéticos de Staline e o nacional-socialista de Hitler, fizeram um Pacto de não agressão e de partilha dos territorios situados entre os dois (os nazis ocuparam a parte ocidental da Polonia e os soviéticos a parte oriental). Esta aliança acabou 2 anos depois do inicio da guerra apenas porque Hitler (contra o parecer de muitos dos estrtegas militares alemães) decidiu unilateralmente invadir a União Soviética. Staline apenas entrou na guerra contra Hitler, na qual estavam então os aliados europeus e américanos, porque foi atacado. Foi para se defender e não para combater o nazismo e libertar quem quer que fosse.
    Não é pois de admirar que estes sistemas tenham estado na origem das maiores carnificinas dos tempos modernos. O comunismo não ficou atras do nazismo. Foi mesmo mais longe, no totalitarismo e no massacre. O nazismo levou a cabo uma campanha sistematica de caça e extreminio dos judeus. Mas o comunismo fez o mesmo com todos aqueles que considerava serem obstaculos no seu caminho. Como durou mais tempo e se espalhou pelo mundo, o comunismo acabou mesmo por matar muito mais gente do que o proprio nazismo. Foi obra ! Está hoje mais do que demonstrado que,em apenas algumas décadas, o comunismo no mundo foi directamente responsavel pela morte de mais de 100 milhões de pessoas (não incluindo sequer nesta contabilidade os mortos civis e militares em resultado das operações militares soviéticas durante a 2a Guerra Mundial).

    Quanto à ditadura salazarista convém não esquecer dois aspetos.
    Em primeiro lugar, por pior que tivesse sido para o pais, e foi em muita coisa, comparada com os totalitarismos comunistas por esse mundo fora, a ditadura salazarista foi muito menos repressiva e muito menos violenta.
    Em segundo lugar, se os comunistas portugueses tivessem conseguido tomar o poder, nomeadamente através do PREC a seguir ao 25 de Abril, teriam certamente instaurado em Portugal um regime muito pior e muito mais repressivo do que foi o “Estado Novo”.
    Entretanto, os comunistas portugueses até poderiam ter evoluido e, como aconteceu noutros paises europeus, o PCP podia ter-se transformado num partido mais moderado e democratico. Não é o caso. O PCP é hoje um dos poucos partidos que continuam fieis aos velhos e ultrapassados valores do velho comunismo. Como, de resto, a posição que vem assumindo a proposito da Coreia do Norte, é mais uma manifestação e demonstração.

  11. Comunista

    “O “capitalismo” não é um regime politico, é uma forma de economia que assenta na propriedade privada e no mercado. Como tal não mata ninguém.”

    Infelizmente, depois disto já nem li o resto do seu comentário, é que uma coisa é discordar e disputar outra coisa são premissas completamente espúrias que tornam o acompanhamento do que daí decorre pura perda de tempo.

    Cumprimentos.

  12. Fernando S

    Efectivamente, um comunista raramente aceita discutir a partir das permissas dos outros… Bastam-lhe as suas …
    O que é sintomatico e explica muito daquilo que o comunismo representou e representa na historia da humanidade. O comunismo foi e é obra de pessoas intolerantes e sectárias. O resultado não poderia ter sido diferente daquele que foi.
    O nick que Vc despudoradamente utilisa cai-lhe que nem uma luva !

    Os cumprimentos são naturalmete retribuidos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.