It’s a Brave New World…

O Público dá-nos conta de uma criancinha que fez história (ou fizeram uma história à conta da criancinha…). A pequena Della foi registada por um pai e duas mães. Fantástico! Se ter dois pais é uma riqueza, ter três é muito melhor.

Já agora, e sempre em nome da celebração da família e da inclusão, etc e tal, que tal registarmos os filhos em nome dos nossos irmãos, cunhados e amigos mais chegados? Os católicos têm aquela coisa dos padrinhos, não é? Nunca se sabe o dia de amanhã…

Ora confiram lá a coisa, aqui:

 

 

9 pensamentos sobre “It’s a Brave New World…

  1. Luís Lavoura

    Uma excelente resposta para aqueles que clamam que a criança tem sempre o direito de saber quem são os seus progenitores biológicos.
    Também uma excelente solução para os que clamam que a educação da criança requer sempre uma figura masculina.
    Finalmente, uma excelente resposta para as feministas que desejam que os pais se envolvam mais na educação dos seus filhos.

  2. Alexandra

    É exactamente o que diz o título deste post “Admirável mundo novo”. A Della é o produto da ciência, da tecnologia, do projecto pessoal de três pessoas, enfim, por esta joint-venture, estudada ao detalhe, e perfeita como se quer, pois caso contrário teria sido abortada em qualquer fase de gestação como permite a Lei no Canadá. A pequena Della é só mais um bem de consumo, que aparece para satisfazer as necessidades pessoais de alguns consumidores!

  3. Luís Lavoura

    Alexandra,

    A pequena Della é só mais um bem de consumo, que aparece para satisfazer as necessidades pessoais de alguns consumidores!

    É o que praticamente todas as crianças hoje em dia são. Praticamente todas as crianças hoje em dia, nos países civilizados (e mesmo fora deles), são concebidas por expressa e deliberada vontade dos pais. Longe vão os tempos em que os filhos eram trazidos por cegonhas de Paris ou eram fruto de acasos nem sempre benvindos.

  4. Alexandra

    Não me ouviu dizer o contrário, pois não? actualmente, ou são parte de um projecto pessoal dos ditos progenitores, ou não fazem parte dos eleitos que podem habitar a terra. Todavia, os filhos assim nascidos, ainda sabem a quem podem pedir contas, como se diz em Português, “ir-lhes à tromba”, quando o egoísmo se revelar, …a Della, coitada…tem tantos a quem dar, que uma vida não lhe chega.

  5. Luís Lavoura

    Alexandra,

    a Della, coitada…tem tantos a quem dar, que uma vida não lhe chega

    É só mais uma mulher a quem pedir contas.

    O ideal, para a Alexandra, seria talvez uma criança como o filho do Ronaldo (o futebolista), que só tem pai e não tem mãe a quem pedir contas pela sua existência…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.