José Saramago, o Censor Vermelho

saramago-300x300

Como o Rui Carmo ontem aqui publicitou ontem, Pedro Marques Gomes escreveu um livro que recomendo sobre o que o “democrata” Saramago.

Nele se descreve como Saramago, durante 1975, exerceu censura ao ponto de exigir a já conhecida “violência revolucionária”, mas também identifica o censor como o “iniciador” do processo de afastamento de jornalistas, no “Verão Quente”.

Queriam ler mais sobre o assunto, não queriam?
Gostavam de ler o livro que descreve todo o processo em detalhe, com múltiplos relatos de jovens jornalistas da época que hoje se sentem à-vontade para falar do ambiente “tenso” e persecutório da época, certo?

Pois bem, a Global Notícias não. Num atentado claro à liberdade de imprensa e de expressão, a Global Notícias. Segundo a Lusa – aqui replicada pelo Sol – a Aletheia afirmou que “A carta que nós recebemos, obriga-nos a retirar o livro do mercado sob pena de a Global Notícias recorrer a todos os meios judicias e extrajudiciais disponíveis”, disse à Lusa fonte da editora.

Lápis vermelhoNum estado democrático, onde uma das Conquistas de Abril – tão badaladas pelo próprio partido em que Saramago tantos anos votou e publicamente apoiou – é a Liberdade de Expressão, é no mínimo vergonhosa esta atitude, que qualquer democrata deve repudiar. Fazer censura a um livro sobre o lápis vermelho é o pináculo de toda um modo de ver o mundo que interessa ao máximo expor e derrotar. Por uma questão de princípio e de valores.

Espero a reacção pública da Global Notícias (de recuo) e, em breve, poder ler o livro.

15 pensamentos sobre “José Saramago, o Censor Vermelho

  1. jo

    Se o livro não tem nada ilegal não serve de nada à Global Notícias recorrer aos tribunais.
    Não seria mau que a notícia explicasse quais os fundamentos que esta alega pra processar. Assim a notícia está “coxa”.

  2. Carlos Silva

    Só se admira quem não conheceu saramago e finge não conhecer os comportamentos miseráveis dos comunistas.
    Todos iguais, em todos os tempos e em todos os lugares

  3. Ricardo Monteiro

    O livro revela que o Saramago era o Dux do DN e obrigava os “jovens jornalistas” a beber shots de absinto.

  4. Claro que não é o Estado o único censor. Os “Contos Proibidos ” do Rui Mateus e “O Espantalho da Praxe Coimbrã” (publicado há cerca de 50 anos, no tempo do “fassismo” e de ue já não tenho a certeza do autor) não foram retirados de cirulação pelo Estado, mas por outras mãos muitíssimo mais diligentes e eficazes.

  5. a.l.sameiro

    os métodos estalinistas de branqueamento continuam .ou se retoca uma fotografia ou se proíbe um livro por motivos futeis

  6. Pisca

    Direito de Autor, Direito de Imagem, Copyright, também são direitos referendáveis ? É a questão da GLobal, leiam ao menos

  7. k.

    “Pisca em Fevereiro 6, 2014 às 16:37 disse: ”

    Neste blog, essas leis socialistas são coisas que não assistem.

  8. A questão como há foi levantado por um comentário, prende-se apenas com os direitos da capa.
    Simples, mas não se pode esquecer o velho ditado “Não deixes que a verdade estrague uma boa história”.

  9. Pingback: Restos de cultura II | O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.