O país que não fode nem sai de cima

Imagem

Portugal é um país curioso. Durante anos, reguladores, deputados, governantes de vários quadrantes políticos, assistiram impávidos e serenos à falência do BPN e aos inúmeros casos de policia que por lá se foram acumulando. Chegada a hora de nos desfazermos daquela trampa – e ninguém duvida que se há pessoa em Portugal que gosta de arte contemporânea e paga por isso, sou eu – logo acordam as virgens ofendidas em defesa do património público. Se este fosse caso único, daria para rir. Como há uma longa escola de gaj@s em Portugal, curiosamente, pessoal com apetência pela política, que não fode nem sai de cima, é caso para chorar.

33 pensamentos sobre “O país que não fode nem sai de cima

  1. AACM

    Faz 10 anos, que um estudante universitario criou do ZERO uma empresa que vale hoje quase o mesmo que o PIB Portugues…………e em Portugal ninguem consegue gerir a barraca……..coisas do ADN, talvez ?

  2. rmg

    AACM

    Raio de exemplo , bem típico do nosso ADN .
    E quantas centenas de milhões não criaram a ponta de um corno ?

  3. JP

    Estive há dias no Museu Nacional Soares dos Reis. Como habitualmente, a minha presença é sempre recebida com simpatia a dedicação pelos funcionários, o que não admira, porque aquilo está completamente às moscas. A sala das estátuas está belíssima e o desterrado por si só vale bem os 5 euros da visita. Os turistas insistem em pagar, mesmo ao Domingo, dia gratuito.

  4. Rui

    O dinheiro é algo que se fabrica (atualmente) no BCE sem grande dificuldade.

    Os Mirós são únicos, aprecie-se o tipo de arte ou não.

  5. Revoltado

    “Há nos confins da Ibéria um povo que nem se governa nem se deixa governar.”
    Tão verdadeiro nos tempos de Júlio César como hoje.

  6. Comunista

    Enquanto a direita burra brinca com os Mirós, os chefes da direita do compadrio brincam com o país:

    “Estado contrata grandes devedores do BPN
    Contas feitas por baixo, a Galilei – grupo que sucedeu à SLN, ex-dona do BPN – já cobrou ao Serviço Nacional de Saúde mais de €50 milhões. Isto apesar da dívida, superior a €1,5 mil milhões, que o Tesouro atribui àquela holding e aos seus acionistas de referência, em créditos e ativos tóxicos.”

    http://visao.sapo.pt/estado-contrata-grandes-devedores-do-bpn=f724603#ixzz2sNT8njU9

  7. lucklucky

    “Há nos confins da Ibéria um povo que nem se governa nem se deixa governar.”

    Falso. O que os portugueses querem é ser governados.

  8. p D s

    Já agora, vendo isto : http://www.bbc.co.uk/news/entertainment-arts-18518062

    onde se verifica que uma só obra do Miró, foi vendida por 27 Milhoes de libras, em 2012.

    comparando com as 85 por 35 milhoes…

    é facil perceber, parafraseando o seu titulo , quem é que “nos fode”, e não quer “sair de cima”!

    A Christies, com a jogada de anular o leilão…já ajudou a valorizar os quadros.

    ou seja mesmo os Ingleses, são para com o povinho tuga, mais dedicados nos preliminares…

  9. Rui

    é anotar os nomes desta malta toda aqui pela blogosfera que manda “bitaites” sobre o Miró e confrontá-los com o que escreveram daqui a uns meses…

  10. António

    Tem toda a razão, caro Rodrigo,
    somos mesmo um povo de empatas. Se não o fossemos todos culpados do caso BPN já estariam a cumprir pena, quando na realidade ainda nem a julgamento foram e, dificilmente irão.
    Nesta tragicomédia que é o caso BPN, onde nada, verdadeiramente nada, cheira bem, esta colecção Miró poderiam ser as flores bem cheirantes que o governo nos deixaria, numa colecção pública. Mas não, tratou esta colecção como se de uma privatização se tratasse. Tristes!
    Mas não, existe uma escola de gajos, curta de vistas, para quem tudo é vendável, tudo é permitido. Para esses, que no caso BPN, se preocupam mais com o mau policia do que com o ladrão, permita-me uma sugestão que, talvez nos possa sair da crise: venda-se a honra das mães dos meninos desta escola.

  11. AACM

    Entretanto diz o Expresso….. ” Com 470 milhões de euros de prejuízos em 2013 o Banif continua a ter no seu capital o Estado com uma maioria superior a 60% do capital. Em ações o Estado injectou diretamente no Banif 700 milhões de euros. “……….com que tipo de arte vamos ficar desta vez ?

  12. Caro Rui,

    #”O dinheiro é algo que se fabrica (atualmente) no BCE sem grande dificuldade. Os Mirós são únicos, aprecie-se o tipo de arte ou não.”

    Fabricar dinheiro é fácil, pagá-lo já não tanto. Já agora, os Mirós não são únicos, só em Portugal são 85…

  13. Caro p D s,

    #”onde se verifica que uma só obra do Miró, foi vendida por 27 Milhoes de libras, em 2012. Comparando com as 85 por 35 milhões …é facil perceber, parafraseando o seu titulo , quem é que “nos fode”, e não quer “sair de cima”!”

    Os quadros de Miró não são todos iguais, e arranja facilmente Mirós a preços baixos. Ao contrário da convicção do Rui, os Mirós não são “únicos”, há Mirós a monte. A colecção do BPN não tem pinturas de grande valor no contexto da obra de Miró, sendo essa a razão pela qual faz especial sentido vendê-la. Só por parolismo e desconhecimento da obra do autor é que se pode achar que aquilo vale alguma coisa de especial para o país. Pode ter interesse para russos e futebolistas, mas só duas ou três obras valem mais de metade do preço da colecção.

  14. Comunista

    “Pode ter interesse para russos e futebolistas “………….o que quer dizer isto ?”

    – Não quer dizer nada. Todo o comentário, do qual você solicita o esclarecimento de uma parte, é um disparate.

  15. spereira@braga.ucp.pt

    Pelo que vejo, os administradores do BPN não fizeram só coisas más. Compraram Mirós pelos quais vejo agora tanta gente a bater-se. Glória aos administradores do BPN!!!

  16. p D s

    Rodrigo,

    não tenho forma de lhe responder, visto que a apresentação e exposição das obras em causa, ao publico, foi basicamente a que conhecemos : Zero!

    Também segundo já li, analistas internacionais da matéria “prevêem” que possa chegar a ser avaliada próximo dos 80 milhões.

    Também já foi afirmado pelo TA, que as “ilicitude do Secretário de Estado” foram gritantes.

    no final, até dando de barato o que afirma sobre a obra em causa, tudo isto é miserável.

    Se juntarmos as letrinhas “BPN” e tudo o que de lá já veio…o cheiro ainda se intensifica mais.

    Espera-se portanto que o “zé povinho” olhe para isto com aceitação, ingenuidade…e se mantenha na posição de missionário, é isso ?

    Depois, também me resta perguntar:

    Meros 35 milhões, em obras secundárias de Miró, levantam posts e mais posts, e um influente lobby a defender a venda….contra a “ignorância artística dos pategos”…

    Se forem umas valentes centenas de milhões do estado para ..sei lá por exemplo o um qualquer banco privado…já os “lobbys” e as elites, não se preocupam com os milhões ????

    No mínimo estranho : 35 milhões em Mirós, pra ficar na casa…lobyes e elites contra.
    700 milhões num banco….lobyes e elites assobiam pró ar, e já o volume de notas (do meu e do seu bolso!) perde a dimensão e o interesse.

    Cá pra mim só podemos estar a falar de “sexo alternativo” ou algo assim…

  17. tozezito

    Toda esta vergonhosa e irresponsável intervenção da Madame Canavilhas e sus muchachos contribui, sem dúvida, para reforçar o descrédito do PS enquanto pretendente a ser alternativa de Governo. Agora é que não sei mesmo como e em quem irei votar nas próximas eleições legislativas.
    Assim se demonstra, desde já, como poderá vir a ser a governação do PS, com gente daquele jaez : espatifar o nosso dinheiro para satisfazer uns caprichos de gente fina e queque, que pretende ter “imeeeensa” cultura e charme cultural. Basta ouvir o retinto cascalhês com que fala na TV um qualquer responsável por um museu qualquer, que ouvi agora mesmo (Pedro Rolo?)

  18. dervich

    Alguns ingleses ainda têm um olho aberto e percebem quando um grupo de malfeitores desloca ilicitamente património nacional para fora de um país para poder concluir com chave de ouro, a seu favor, todo o forrobodó que foi o BPN.

    Não adianta insistir na treta de que “aquilo é só trampa” porque apenas está em causa, obviamente, quanto pode valer essa “trampa”.

    De resto, já que os reformados portugueses já deram 7 mil milhões (BPN) + mil milhões (Banif) + 500 milhões/ano (PPP), porque raio não lhes há-de apetecer dar (temporariamente) mais 35 milhões para se dedicarem à arte? Não os F#$%& mais, pá!…

  19. tina

    “Toda esta vergonhosa e irresponsável intervenção da Madame Canavilhas e sus muchachos contribui, sem dúvida, para reforçar o descrédito do PS”

    Exatamente. Todos aqueles que sofreram cortes nos salários ou pensões devem estar boquiabertos com este comportamento do PS e da esquerda em geral. É incrível que o PS não perceba a impressão que está a dar. Parecem mesmo calhaus. A conclusão a que cheguei é que hoje em dia o PS só atrai pessoas burras.

  20. Rui

    Caro Rodrigo Adão da Fonseca,
    Acha que outros países deixariam sair peças de arte do seu território assim sem mais nem menos?

    Quanto ao facto de pagar a dívida não ser fácil ninguém duvida, mas a verdade é que também não se vê nenhum país desenvolvido e sem reservas de matérias primas a fazê-lo portanto também não vale a pena abordar este tipo de situações numa perspetiva linear como se ainda vivessemos num mundo com o padrão ouro.

  21. JP

    Tenho para venda um quadro a óleo de Sua Santidade, Vitor Constâncio*, com o BPN em fundo.
    Base de licitação: zero.

    (*) contém auréola

  22. António

    Cara ‘tina’,
    ao dizeres: “A conclusão a que cheguei é que hoje em dia o PS só atrai pessoas burras”.
    revelaste-te?
    Agora, falando sério, ou talvez não, deixo uma pergunta para me poderes responder. Sim ‘tina’, tu, ou como és do PS, talvez seja um bocadinho areia demais para a tua pequena carroça.
    A pergunta é a seguinte: onde é que o Estado, ou a Parvalorem (reparaste que que a primeira metade desta palavra é “parva” – isso mesmo que estás a pensar, pequeno em latim, que retrata exactamente aquilo que o governo pretende – pequenas coisas para pequenos pensamentos). Bem, como já te deves ter perdido, volto atrás e reinício a pergunta: onde é que o Estado ou a Parvalorem lucra mais: a venda desta colecção ou o perdão de dívida que foi feita a várias individualidades, como por exemplo ao Luis Filipe Vieira?
    http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/estado_assume_divida_de_luis_filipe_vieira_ao_bpn.html

  23. PedroS

    “Acha que outros países deixariam sair peças de arte do seu território assim sem mais nem menos?”

    A coleção dos Mirós do BPN era de um coleccionador privado japonês, e antes disso tinha sido adquirida em galerias nos USA… Existem pelo mundo fora peças da Joana Albuquerque feitas em Portugal, as peças da coleção berardo foram quase todas compradas fora do país. Por isso, a resposta à sua pergunta “”Acha que outros países deixariam sair peças de arte do seu território assim sem mais nem menos?”” é “sim”….

    PS: Para quem estiver interessado em ver algumas as obras de que tanto se fala, o link é este:

    http://www.christies.com/lotfinder/searchresults.aspx?e1=7%2c389&e2=80000000&action=sort&entry=mir%u00f3&location=ALL&sid=3974806e-865f-4784-9d07-6fc8dc6dee1d&sortby=ehigh

  24. António

    Caro ‘hajapachorra’,
    Permita-me que lhe sugira a leitura de “As Aventuras de João Sem Medo” de José Gomes Ferreira (não, não é o comentador da SIC, é sim, entre outras coisas, o autor da letra de “Acordai” de Fernando Lopes Graça).
    Tal como João Sem Medo, também o ‘hajapachorra’ (bonito nome com que assina, permita-me que o diga, foi alcunha dada pelos seus colegas de escola para não o aturarem, não foi?), parece estar numa redoma, uma redoma mental a sua, a Aldeia de Chora-que-Logo-Bebes a da personagem do livro. Faça então como ele, salte o Muro e vá conhecer o Mundo, verá que este não é como as ideias pré-concebidas que sobre ele tem.
    Cumprimentos!

    P.S.: Caro PedroS, desculpe a minha ignorância e que lhe pergunte, quem é a Joana Albuquerque? Fico esmagado, com tamanho conhecimento!

  25. PedroS

    Caro António,

    Eu queria dizer Joana Vasconcelos…. Quanto aos dados sobre a proveniência dos quadros de que se fala, não é necessário nenhum conhecimento especial: a informação estava no site da Christie’s

  26. Pingback: Provavelmente Gabriela Canavilhas foi muitas vezes praxada com absinto. Já nos senhores do PCP outras substâncias mais potentes devem ter sido utilizadas | O Insurgente

  27. naoseioquedigo

    tanta coisa contra a Esquerda ( PS não é Esquerda, é um golpe de markting da Direita ) por míseros 30 milhões.

    Saberão alguns iluminados que por aqui andam quantos milhões teve, a titulo de exemplo, a Sociedade Francisco Manuel dos Santos SGPS ( dona da Jerónimo Martins ) de benesses fiscais em 2013 ?

  28. António

    Caro ‘hajapachorra’,
    segundo me consta o Armando Vara, pelo qual não tenho nenhuma simpatia (é benfiquista), gostava de robalos, já os ladrões do BPN, que não sei porquê vocês teimam em ignorar, gostavam de roubá-los. É só uma variação lexical que faz toda a diferença.
    Se se incomoda com as citações, não leia, aliás não leia nada.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.