Quão estrutural é a correcção do défice externo?

Pedro Romano no Desvio Colosssal

corrdefext

A correcção das contas externas portuguesas pode ser mais estrutural do que parece. A conclusão aparece no boletim de Janeiro do BCE (página 47), que dá grande destaque à evolução da Balança de Transacções Correntes (BTC) da periferia. Segundo o BCE, apenas um quinto da melhoria da BTC portuguesa advém da contracção da procura interna induzida pela recessão – o resto resulta largamente de factores estruturais, como a melhoria da taxa de câmbio real ou factores de competitividade extra-preço.

Continue a ler aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.