Os esclarecimentos de Braga de Macedo

Numa entrevista ao DN, o Professor Braga de Macedo esclarece as declarações proferidas durante uma conferência nos EUA

Daquilo que disse no Texas parece resultar que por um lado considera o Tribunal Constitucional como o maior risco para o sucesso do ajustamento português, por outro considera que esse risco reside na Constituição. Qual a interpretação correta?

Embora a minha comunicação, que foi enviada antecipadamente, se referisse ao “ajustamento assistido português”, e tivesse como subtítulo a pergunta “morrer na praia?” o meu propósito era enquadrar a crise da zona euro nos desequilíbrios das balanças de pagamentos e nos seus efeitos de transferência mundial da riqueza. Assim a principal característica do ajustamento português foi por cobro ao endividamento frente ao exterior que cresceu de forma galopante ao longo da “década perdida”. Nesse período as reformas estruturais fecharam a economia e o endividamento público também aumentou muito o que levou o país à beira da bancarrota. Na reta final do ajustamento assistido, surgem os chamados riscos de evento, nos quais a Constituição e a interpretação que dela faz o Tribunal Constitucional ocupam um peso que se não verifica nos outros países sob ajustamento. Dei-lhe destaque na intervenção oral não só por se tratar de uma fonte inusitada de incerteza para um programa de ajustamento económico e financeiro, mas também porque contrasta fortemente com a experiência americana e até alemã que citei na minha comunicação. Outros riscos, como divergências entre os partidos que assinaram o memorando de entendimento, ou oportunidades, como a diversificação geográfica das exportações, constam da comunicação.

Uma nota adicional sobre a entrevista. Ao longo da entrevista são notórios a agressividade do entrevistador e o teor inusitado de algumas questões. Incialmente não me preocupei em saber que era o jornalista mas fiquei curioso e no final fui ver quem se tratava. Devia ter adivinhado. Teria sido útil que tivesse tomado para si o conselho que dá na penúltima questão tivesse publicado um disclaimer no início da entrevista. A militância política não se resume à filiação partidária.

4 pensamentos sobre “Os esclarecimentos de Braga de Macedo

  1. Vitinho

    Nao so politica, mais profunda e intima mesmo.. ficamos a saber que nao é homem pelo pequeno lider de todos nós..

  2. Comunista

    “Ao longo da entrevista são notórios a agressividade do entrevistador e o teor inusitado de algumas questões.”

    – É melhor que os entrevistados de direita passem a escrever as perguntas a que querem responder. À malta da direita que é entrevistada, só isto parece satisfazer.

  3. Rui Cepêda

    Uma noite destas não me lembro em que canal o Doutor Braga de Macedo foi de novo entrevistado por um jornalista qualquer, desta vez com a assessoria de um tipo que suponho escreve no Jornal Económico. Mas o que interessa é que as perguntas se não foram exactamente as mesmas da ex namorada do Sócrates, andaram lá muito perto.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.