O Vítor Gaspar de Loures

Um brilhante artigo de Rui Ramos que saiu nesta edição de Sábado do Expresso. Quando a realidade esbofeteia um socialista, a austeridade não se chama austeridade, os cortes não se chamam cortes. Trata-se de “fazer muito com pouco”. Mas do estalo não se livra.

15986500_Fg1Zs

Anúncios

29 thoughts on “O Vítor Gaspar de Loures

  1. A. R

    Excelente artigo. Excelente será o Bernardino mas pode ser que consiga “inducar” as massas para lhe dar as massas. Afinal o PCP é especialista em lavagens cerebrais e dali pode sair tudo: até culpar o Bush ou os especuladores debaixo da calçada da câmara.

  2. Caro Mário,
    O problema é que essa característica demonstrada pelo Rui Ramos não é saliente. Ou seja, não é visível por tanta gente como poderíamos pensar. E esse é o drama dos nossos dias.
    Eu chamo-lhe o efeito “Sá Fernandes” que também tinha uma história muito diferente até ao momento em que na câmara de Lisboa lhe disseram “então faz lá tu!”.
    No meu blog tento explicar que estamos a falar de pathways neurologicamente completamente diferentes. No momento em que tem que lidar e gerar “expected outcomes” com as suas acções tornam-se estranhamente muito parecidos “connosco”. E parecidos porque na verdade estão a usar exactamente os mesmos pathway onde a direita gosta de estar que é aquele em que se determina … “a redução da incerteza, que vivem as pessoas de direita: existe um plano, ele representa o melhor que se consegue apurar pela avaliação do resultado expectável das opções possíveis e é para ser executado.”

    Nesse momento especifico Bernardino é Passos Coelho ou qualquer um de nós. Essa dissonância cognitiva (hipocrisia) já nem me irrita. Mas sim o modo como depois vivem o momento seguinte… ver: http://barradeferro.blogs.sapo.pt/5356.html

  3. Comunista

    O PCP não tem culpa que Rui Ramos só agora descubra que o Partido não ignora o princípio de realidade. O que o Rui Ramos quer é que o PCP e todo o povo apoie o programa do governo como se não houvesse nenhuma alternativa ao que o PSD e o CDS estão a fazer. O Rui Ramos quer insinuar que a orientação de fundo de um governo não se impregna nas medidas que toma, na escolha por umas e não por outras mas isso serve só para quem está de bem com o actual governo.

    E ainda este post é bem o sintoma como o governo actual é totalmente alinhado com o insurgente mesmo quando o insurgente tenta disfarçar com alguns posts para inglês ver.

  4. Joaquim Amado Lopes

    Alguém sabe em que estado o PCP deixou as finanças de Loures quando perdeu a Câmara para o PS, em 2001 e como estão agora? Em valor absoluto e em percentagem do PIB, se possível.

  5. jo

    A proposito dos grandes líderes:
    O grande líder conhece o caminho que é o único possível. Todos os opositores do grande líder dar-lhe-ão razão no fim. Não é possível outro caminho diferente daquele do que o grande líder propõe. Se a solução do grande líder não resultar isto é apenas temporário e a razão vencerá.
    Os que se atrevem a propor caminhos diversos dos do grande líder estão errados, são maldosos ou, ainda pior, heréticos.

  6. lucklucky

    Muito bem jo, ou seja todo o caminho de Portugal desde o 25 de Abril( e antes também) foi errado. Desde o início do Século XX que temos cada vez mais Estado. Ou seja cada vez mais um caminho único.
    Por exemplo temos a Educação Única eufemisticamente chamada de Publica.

  7. Francisco Colaço

    Alternativas?

    Há um paraíso exemplar em Cuba e um outro na Coreia do Norte. Os da Europa de Leste foram fechados por falta de clientes.

  8. A. R

    “Somos exigentes pois ” isto cheira-me a um ataque descabelado ao profissionalismo dos trabalhadores da câmara e uma agressão do grande capital

  9. PT

    Está aqui a oportunidade de ouro para o PCP mostrar as alternativas que tanto apregoa. Força, camaradas, se o município está à beira do abismo, vamos lá a dar esse grande passo em frente. Cá ficamos à espera do plano quinquenal que vai dar a volta à situação.
    Mas desta vez sem a demagogia costumeira enrolada num belo embrulho de malabarismo semântico…

  10. vlad

    o problema, que é o mesmo que a nivel mundial, é que a maioria não dará hipótese de sucesso, estrangulando as opções de actuação, obrigando-o ao fracasso ou ao adoptar de medidas que provem que a linha de actuação que propoem não é viável…
    hipócritas

  11. Nuno Cardoso da Silva

    O PCP – que está longe de ser o meu partido preferido – já geriu bem algumas autarquias no nosso país. Não fiquem muito desapontados se Bernardino Soares conseguir reequilibrar as contas da autarquia sem recorrer a despedimentos, aumentos no IMI ou cortes nos serviços municipais. Mas se tal acontecer estou certo que no Insurgente não aparecerá nenhum artigo nem comentário a elogiar o resultado… Porque, por definição, os comunistas não podem fazer nada de bom…

  12. Rui Costa

    Que falta dinheiro, todos sabemos. Que é necessário cortar despesas, não há dúvida. O que destingue o PCP dos senhores da direita é onde se corta. É pouco inteligente usar associações com outros líderes comunistas para assustar o Povo. É que o povo não é burro. Vamos ver como o Bernardino vai dar a volta à situação das finanças do concelho e depois falamos.

  13. PT

    @vlad em Novembro 24, 2013 às 13:21: até parece que está a falar da CRP e do Tribunal Constitucional… isso não será uma forma de pressão inaceitável?

  14. Mario Cardoso, eu achava que as ideias valiam independentemente de quem as defende. Se calhar não, dependem do mensageiro. Interessante perspectiva essa. Recorda-me a USSR, o que é consentâneo com o artigo.

  15. volta ao assunto?acredito mais que o Bernardino caminhe sobre as águas que resolva qualquer assunto relacionado com as finanças da cmloures.como ele dizia no parlamento que era gastar e pedir emprestado devemos estar perante um milagre.pagar e pedir emprestado!

  16. Tiago Santos

    Não estaremos a ver as coisas ao contrário? O problema são as medidas restritivas que Vitor Gaspar implementou no governo e as iniciativas para redução e gestão das divídas da Câmara de Loures ou o facto de quer num caso e noutro a governação socialista obrigar ao uso destas?
    Será que o Sr. que escreve este artigo e os que se revêem nele, pretendem tornar uma “gaffe” humorada de Bernardino no pensamento e comportamento do PCP? Recordo-lhes que um famoso “Maoista” que se tornou líder do PSD, primeiro ministro, posteriormente presidente da Comissão Europeia (deixando o país num caos político) e que agora afigura-se como “presidenciável” arrastava professores pelos cabelos, pelo chão da faculdade direito e daí nunca se ouviu dizer que o PSD pretendia fazer uma “Revolução Cultural” à moda de Mao Zedong em Portugal. Por isso deve de se deixar de apregoar fantasmas contra o Partido Comunista e analisar factos.
    E factos são que BS, é licenciado direito pela FDL, foi deputado, lider parlamentar e agora assume uma câmara municipal, na qual terá que demonstrar que tem capacidade para gerir um grande e influente organismo público, o qual como grande parte dos municípios, das empresas e dos portugueses vive com dificuldades de tesouraria. Facto é, ainda, que não foi pela situação financeira da Câmara que BS venceu Loures, mas pela imagem de seriedade e pela confiança nas capacidades de todos os que viviam sob o “medo” da Câmara de Loures, fossem funcionários, coletividas, empresas ou simples munícepes. Facto é que pretende em conjunto com todos, dar a volta à dificil situação da autarquia e afetar do modo que considera mais justo os bens e meios disponíveis. É sobre essa afetação que devem ser efetuadas críticas e comparações, e não sobre uma simples constatação que se tem de “fazer mais com menos”.
    Esse é um dos grandes problemas de hoje é que se analisa uma ou outra frase e faz-se um artigo vazio de factos e cheios de ilusões.

  17. Tiago Santos, a sua defesa de BS é bonita e edificante, mas sai ao lado. Ninguém criticou o que o BS terá de fazer em Loures — é um imperativo dadas as restrições financeiras da autarquia. O que aqui se indica é a falta de coerência — para o país defende uma coisa, mas na sua autarquia terá de fazer o contrário daquilo que apregoa.

    Ou seja, em suma, quando a realidade bate à porta, a situação muda de figura. Só isso.

  18. Tiago Santos

    Caro Mario Amorim Lopes, a questão é que o BS enquanto deputado e membro do grupo do PCP fez parte integrante das propostas que o PC apresentou como alternativas às tomadas pelo governo, ou seja apresentou as propostas que considerou mais corretas para ultrapassar a situação, apresentou alternativas. Se eu concordo com estas propostas alternativas ou com as propostas do governo é algo diferente.
    No que respeita às medidas a tomar ouviu falar em reduções salariais ou ouviu falar em fins de avenças com serviços que se venham a revelar inuteis? Ouviu falar na manutenção dos SMAS na esfera pública ou na privatização destes? Ou seja se analisar as medidas verá que as tomadas por Gaspar, e não estou a dizer que discordo das de Gaspar, e as de BS, e não estou a dizer que concordo com as de BS, são completamente distintas.
    A diferença está no caminho que se toma “quando a realidade bate à porta” e não na constatação “fazer mais com menos”.
    Só isso.
    O pseudo-elogio que faço a BS, foi apenas uma forma de lançar farpas a quem tirou curos à pressão, andou pelo parlamento sem nada fazer, perdeu eleições municipais, tranformou-se administrador de empresas de amigos e se tornou líder de um grande partido à custa de marketing de imagem…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s