FDP

FDP nur mit uns Bruederle

O Free Democratic Party (FDP) é um partido liberal clássico alemão que apoia fortemente os direitos humanos, as liberdades civis e o internacionalismo. Mais ainda, defende a liberdade económica e a prossecução de políticas de mercado livre e de privatização.

O FDP geralmente coliga-se com o CDU, o partido democrata cristão, mas a votação é independente. Das últimas votações resultou a seguinte distribuição de deputados:

Screen Shot 2013-09-12 at 7.56.34 AM

Os liberais têm, portanto, uma relevante representação parlamentar. Quase 1/6 do Bundestag, o Parlamento Alemão.

Em Portugal, FDP não seria mais do que um dos frequentes e pouco criativos insultos que se atiram a tudo e todos que se oponham ao progresso socialista. Vulgo, os neoliberais. Acresce a outras acusações menos diretas mas igualmente inusitadas: que queremos empobrecer o mundo em geral e os pobres em particular, e que, previsivelmente, estamos ao serviço do grande capital e da grande ordem financeira global.

De facto, contrapondo com o espectro político alemão, existe uma enorme pobreza intelectual e política em Portugal. A Assembleia da República é, em menor ou maior grau, socialista. E assim é a maioria da população.

Quanto a nós, liberais e mesmo socialistas portugueses, resta-nos agradecer a existência de um Partido Liberal Alemão que tem, direta ou indiretamente, placitado um apoio financeiro a Portugal. Sempre atual, hoje e sempre, o socialismo é isso mesmo. Gastar o dinheiro dos outros. Portugal fá-lo com uma enorme mestria.

Anúncios

17 pensamentos sobre “FDP

  1. tina

    Concordo. É por isso que uma pessoa se sente como um peixe fora da água a viver em Portugal e é também por isso que gostaria que os meus filhos fossem para Inglaterra, para poderem viver entre pessoas normais, que não têm um punho ou uma foice a distorcer-lhes o raciocínio.

  2. Carlos Pacheco

    “Os liberais têm, portanto, uma relevante representação parlamentar.” Têm, mas vão deixar de ter. Basta ver as sondagens. Ao FDP (que raio de sigla!) resta lutar por obter representação no parlamento.

    “Sempre atual, hoje e sempre, o socialismo é isso mesmo. Gastar o dinheiro dos outros. Portugal fá-lo com uma enorme mestria.” Se o fizesse para benefício da generalidade dos portugueses, seria de facto uma jogada de mestre. Infelizmente fá-lo sobretudo para benefício de meia dúzia de… liberais.

  3. Ricardo C.

    Haverá melhoir prova que a AR mantém a influência das acções de dinamização cultural do MFA que o modo como tratam os verdadeiros Trabalhadores Independentes?

    Em vez de os transformarem num símbolo do empreendedorismo e num exemplo a seguir para quem não tem outras vias, decidiram antes fazer deles os maiores pagadores de contribuições do país, obrigando-os ainda a pagar IRS sobre as ditas contribuições (um imposto sobre um imposto) e sem nada lhes dar em troca.

    Aquela gente toda, do CDS ao BE desconfia desses tipos estranhos que trabalham sem contratos, sem direitos, sem regras e apenas ganham quando ganham.

    Mas tendo ou não o PREC na cabeça, encontraram maneira de criar um alçapão que os iliba a todos de pagar as ditas contribuições quando passam os seus próprios recibos verdes pelos pareceres, comentários de TV ou outros trabalhos que façam em paralelo.

    Assim é fácil (e até recomendável) ter uma mente socialista… desde que o socialismo só se aplique aos outros!

  4. paam

    Caro Carlos Pacheco,

    Conseguiu escrever isto sem se rir?

    “Se o fizesse para benefício da generalidade dos portugueses, seria de facto uma jogada de mestre. Infelizmente fá-lo sobretudo para benefício de meia dúzia de… liberais.”

    Já agora, certamente que o Carlos Duarte não se importa de transferir alguns dos seus recursos para a minha conta bancária. Eu prometo que será para benificio de toda a minha família portuguesa.

    Aprova a minha jogada de mestre também? Ou quando se trata de transferir o seu próprio dinheiro já não é socialista? Pois…

  5. João Burgo

    O Parlamento é socialista, ou seja os partidos com representação parlamentar são socialistas. Mas o povo no geral não é socialista. Basta fazer um inquérito sem fazer referencia ao partido ou ideologia e rapidamente vai chegar-se à conclusão que as pessoas são bastante conservadoras. O povo não sabe o que é socialismo. O povo nunca leu um livro de pensadores socialistas (Marx, Hegel, Gramsci, etc) pois se o fizesse ficaria horrorizado e nunca mais votaria num partido que levanta-se as bandeiras do socialismo.

  6. Miguel Alves

    o problema começa quando não existe nenhum partido liberal a sério em Portugal. Quando se diz que o PSD e o CDS são neoliberais é complicado de facto. A verdade é que não existe ninguém a espalhar a real mensagem do liberalismo, porque ou por questões sociais (a direita), ou questões económicas (a esquerda), insulta o liberalismo quando lhes convém.

  7. João Burgo, concordo consigo. O povo português é, maioritariamente, conservador. Mas podia ser conservador e defender a liberdade económica, como os Tories. Mas não, são conservadores e socialistas, achando que o Estado tem de ser omni-presente e atender a tudo e todos. Existe uma enorme falta de responsabilidade individual.

  8. Miguel Alves, excelente acrescento. Era precisamente isso que estava implícito neste artigo. Falta um partido liberal em Portugal que faça o contraditório dos disparates que se dizem do liberalismo.

  9. migas

    Tendo em conta o alcance ideológico dos partidos com representação parlamentar, diria que não falta espaço para um partido Liberal em Portugal. Há mesmo uma grande lacuna por preencher.

    E sinto, cada vez mais, que a adesão dos portugueses a um partido Liberal poderia surpreender muita gente. Arriscaria dizer que, dependendo das personalidades (ditas liberais) que a ele aderissem, poderia tornar-se na 3.ª força política em menos de 8 anos.

    Receio apenas que a criação de um partido Liberal fosse inconstitucional, uma vez que iria contra o preâmbulo do texto sagrado.

  10. k.

    Ena. Mas com tantos liberais neste blog, e por aqui a comentar, porque não fazem o vosso próprio partido?

    Vá, ponham o dinheiro onde está a vossa boca – mostrem iniciativa e empreendorismo e essas coisas! Certamente que com os 10 tipos que escrevem aqui, já têm uma estrutura maior que o CDS, de que têm medo?

  11. Guillaume Tell

    Vamos lá ver, se tinham a oportunidade de ganhar muito fazendo pouco, sem mais outros constrangimentos de maior e fazendo o que mais gostais direis não?

    Duvido que haja muitas respostas negativas e isso explica em quê os portugueses não são agora necessariamente socialistas-conservadores e os outros são liberais-conservadores.

    Nós somos um povo relativamente coeso, sem diferenças étnicas, culturais ou corporativas significativas. O que há é que confiamos tradicionalmente a direcção do nosso país e das nossas vidas a uma só elite (o Terreiro do Paço como gosto da chamar), e esta elite tem-se lembrado por imensas vezes de favorecer uns de nós, sendo este favorecimento relativamente variável e estes favorecidos têm “partilhado” os seus favores entre os seus conterrâneos de forma igualmente esparsa.

    A partir do momento em que sabe que pode receber uma prenda de uma direcção qualquer para quê corresponder a tal ou outro padrão ideológico se ele não garante nada de certo?

    Os portugueses só têm responsabilidade individual quando nada os agarra. E a melhor prova de isso é o nosso próprio comportamento enquanto liberais, porque se nós éramos verdadeiramente responsáveis faríamos tudo por conquistar os poderes, porque há muitos poderes por conquistar que podem ajudar a mudar a situação, e pôr em prática a nossa filosofia.

    Mas não preferimos andar a fazer como os outros, criticar os outros que fazem mal, nos chatearmos por o país não ser responsável e respeitar a liberdade e andarmos a tentar conviver com o Elefante que acaba sempre por voltar de Roma.

    Portugal prosperou quando o Terreiro do Paço não andou a decidir quem devia nobre ou clero. Seria tempo de regressarmos a esses tempos que duram um tempo insuficiente.

  12. Carlos

    Em Portugal, um partido liberal não ia a lado nenhum. Entre comunicação social, partidos actuais, sindicatos e função pública, comentadores e principalmente o povo, o liberalismo acabava antes de começar. O povo português está programado para hostilizar qualquer ligação a liberdade económica, é o paradigma desta sociedade. Não se admirem se nos distanciarmos cada vez mais da Europa do Norte.

  13. João Burgo

    Existe um problema à criação de um partido liberal classico ou conservador. Embora o povo seja conservador, o que seria favorável também aos liberais porque têm muitos pontos em comum, a comunicação social inteira é praticamente dominada por socialistas. Seria uma luta desigual. Tudo o que fosse proposto seria destorcido e apresentado como se fossem loucos pois para eles não pode haver discução pois perderiam sempre. Aqui a única oposição que “eles” (não o povo) aceitam é oposição dento das variantes do socialismo.

  14. ShakaZoulou

    Muito poucos portugueses são liberais. Sinto-o bem no meu circulo de amizades. É o casal nos trinta com ordenados na media que se queixa dos baixos valores de abono de família ao qual eu contraponho de existem poucas famílias com melhores condições que eles para lhes cuidarem dos filhos, ninguém está-lhes a cuidar dos filhos, o Estado é que devia dar mais para ajudar. Outros defendem o Sócrates, pois as Lojas do Cidadão, foram uma boa obra, quando contraponho que eu também sou capaz de fazer muita coisa com dinheiro dos outros, e que muitas burocracias são desnecessárias, como seja a carta de condução, isso não, os outros partidos também têm dinheiro dos outros e fazem menos e se existissem cartas de condução era só perigosos na estrada e outros exemplos por ai fora

  15. andre

    Já aqui disseram tudo, João Burgo, Mário Amorim Lopes, Miguel Alves.

    As pessoas, não todas mas as mais “activas” no que concerne ao activismo popular, não fazem a minima ideia do que é liberalismo ou socialismo. E provavelmente não sabem que Portugal é o único país fora do terceiro mundo que contém a denominação de “sociedade socialista” na própria constituição. O resto é Venezuela, Cuba e outros que tais.

    As pessoas sabem lá o que é liberalismo, aliás nem podem saber, pois partidos e comunicação social tratam de distorcer a verdade.

    Como já alguém aqui disse, somos todos Fassscistas!!

    Mas eu acredito que a verdade virá ao de cima, através da matemática e gastar o dinheiro dos outrosnão vai ser assim tão fácil no futuro.

    E com o tempo as pessoas aprenderão, tenho fé nas gerações mais novas – Com acesso à Internet, eportantomenos vulneráveis à tipica comunicação social e educação socialista que temos.

    Até com essa liberdade da Internet querem acabar, tal é a ameaça!

  16. andre

    Shakazoulu, é dificil essa luta não é? A de falar dentro dos nossos circulos sem parecermos deficientes mentais.

    Mas como já li algures (e estou a usar palavras minhas): Só os destemidos são liberais e empreendedores e defensores da liberdade. Os socialistas são cobardes pois têm medo do risco, medo da aventura, medo do desconhecido.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.