Quem vem e atravessa o Rio…

Image

Rui Rio fez – com o timing esperado – o que lhe competia: alertar para os perigos que a cidade enfrenta com a possível eleição de Menezes. Ao contrário deste, o Presidente da CMP aguardou o (quase) final do seu mandato para se pronunciar, contrastando com quem, tendo um município para gerir, está em campanha na cidade vizinha há quase um ano. Pela blogosfera e pelo facebook cresce o ruído da indignação menezista. Ao candidato que quer o Palácio de Cristal como o Tivoli de Copenhaga, a  Praça da Corujeira como o Central Park de NY e o Porto como a Barcelona do Oeste, só lhe faltou sugerir o Salgueiros como o Real Madrid lusitano, tal é a megalomania das suas propostas e a demagogia nelas inserida.  Rui Rio não fez mais que apontar o óvio: que a soma do que LFM tem proposto terá como consequência principal um endividamento da cidade do Porto à imagem de Gaia, ou pior. E que, feitas as contas, o que LFM fez do outro lado da ponte difere em pouco do que o PS fez ao país.

22 pensamentos sobre “Quem vem e atravessa o Rio…

  1. margarida soares franco

    Se ele tivesse falado só disso, ainda vá que não ná…o pior é o ressabiamento que demonstrou noutras afirmações !!!!!!!!!!!

  2. António

    Ai que bom seria se tivéssemos mais políticos como Rui Rio…Portugal estaria certamente bem melhor!!!

  3. António

    No PSD “liberal” (se é que há tal coisa) deve estar a ser interessante: ter de optar entre o Rigoroso e sério Rui Rio (que não é nem um bocadinho liberal), e o “Sócrates do PSD”/”João Jardim do continente”/LF Menezes, que não só não é liberal, como ainda é mega despesista e não sério. Só que , para o PSD é o único a poder ter a CMP em “casa”…

    Sigo com interesse as posições a serem tomadas…clarificação seria desejável. O Ricardo lima já se posicionou.

  4. Sim, Menezes endividou Gaia, mas passou-a do Terceiro para o Primeiro Mundo. Portugal com o PS fez igual ou sucedeu o inverso? E onde ficou o Porto, 12 anos após Rio? Cresceu? Não. Melhorou? Não. Modernizou-se? Não. Arrojou? Não. Para Rio, até o Plano de Pormenor das Antas teria sido chumbado. Como foi, já bem depois, a implantação de um pavilhão que rivalize com o Atlântico de Lisboa. Rio pintou bairros sociais? Mas mudou a gente de sítio. Rio deitou abaixo as torres do Aleixo? Sim, não se sabe bem ainda para quê e ainda sobra uma. Rio, contrário à austeridade imposta ao País, impôs a austeridade ao Porto. E o que melhorou o Porto? Trocou os aviões da Red Bull, que lhe zombam aos ouvidos lá na Boavista, pelo ronco dos carros antigos a passar à sua porta, como ele gosta. Rio de Rio e dos idólatras. Ah, mas você não enumera nada de jeito que Rio tenha feito, é só lambe-botas?

  5. nuno granja

    Nem mais! Assino por baixo.

    Duas notas;
    A reação de Couto dos Santos é rdiculla, vindo de quem nunca ficou triste com Relvas, Isaltino, Macário por ai fora.

    Rui Rio explicou bem, do lado de Menezes tentam reduzir esta tomada de posição a “ódios” e “rivalidades”

  6. silver

    Zé Luis, o problema é que a factura dessas modernices todas vai chegar aos bolsos dos gaienses.E vão pagá-la com lingua de palmo.Luxos são bons, mas são caros…

  7. António

    silver, dos gaienses nao, senao eles aprendiam algo, e isso ate era bom. Já está a chegar aos bolsos de todos nós!

    Este é o país dos chicos espertos. O povo gosta, o povo elege.

  8. Brytto

    Sempre tive algum receio destes evangelistas da política! Endeusados pela comunicação social quando dá jeito mas logo incinerados à primeira oportunidade …

  9. silver

    Infelizmente António, infelizmente.Deviam ser os gaienses a pagar, e não o resto do pais a pagar as asneiras de quem não elegeu.Mas o pior nem é isso.É que espertinhos como o zé luis,pensam que podem ter tudo de mão beijada,sem lhes ocorrer por um momento que um dia mais tarde vão ter de pagar as megalomanias.E os portuenses,se calhar não têm esses meios, mas vão ter mais dinheiro nos seus bolsos para usarem como entenderem, em vez de o estado gastar o seu dinheiro,

  10. silver, não contesto nem desconheço os encargos e a primazia de Gaia como das mais endividadas do País! Mas é inegável que, para quem conheça os dois lados do Douro, Gaia está como nunca imaginara há 20 anos e sempre estive tão longe de morar lá que, em dado tempo, não quis procurar casa daquele lado, tão deprimente era tudo aquilo, confuso, atrasado e aparentemente sem remédio.
    Mas não venha com a lengalenga, mesmo hoje, de que “os outros vão pagar”. Afinal, seja para que merda for, pagar pagamos todos, desde uma rotunda em Vizela, uma ponte pedonal nas Beiras Interiores ou uma autoestrada em Lisboa.
    E se constato que ninguém apresenta um ponto positivo que destaque a gestão de RR no engrandecimento do Porto, a verdade é que se tal sucedeu como sucedeu em Gaia foi para tirar Gaia do Terceiro Mundo mesmo e hoje faz inveja. Goste-se ou não, mas também ao menos não se pode acusar de dinheiro mal gasto em saneamento e urbanização no que foi possível fazer nem de dinheiro nos bolsos de fulano e sicrano, como o Bokassa da Madeira.
    Ora, por fim, porque é expectável que suceda no Porto o mesmo que em Gaia? O Porto precisa de revitalização, não de se tornar uma cidade emergente para retirá-la, como Gaia, dos confins do Inferno. Os investimentos feitos resgataram uma cidade empobrecida e sem pingo de atractividade. O Porto precisa ser resgatado de outra maneira e nem sequer comporá ou requer obras faraónicas, apenas mais cuidado estratégico que Rio não cuidou sequer deixando a cidade paralisada.
    Pois diga lá em que ficou melhor o Porto graças a Rui Rio? Com o Metro – muito anterior a ele enquanto projecto! – em que, afinal, Rio afundou nos swaps?
    Vá dar banho ao cão. Mas procure um sinal positivo da gestão camarária. E pergunte-se se acredita mesmo que LFM, de quem não sou advogado nem sequer hoje voto no Porto, vai gastar rios de dinheiro que o Rio supostamente andou a poupar á moda de Salazar…

  11. Joaquim Carlos Santos

    A tomada de posição de Rio é um aviso à moda de Soares e Alegre contra o acordo que Seguro se preparava para assinar: flana-se com o papão, mete-se medo às criancinhas do PSD, assusta-se o eleitorado ameaça-se com a ameaça despesista do oponente. A herança deixada por Rio é estagnação e bloqueio. Não me revejo numa cidade com medo e sem projecto. Pensar grande é preciso. Chamem-lhe o que quiserem. Mesmo megalomania. À grandeza e à liderança chamam sempre muitos nomes.

  12. silver

    Zé,tudo tem um preço sim,mas não estou interessado em financiar dividas e défices de outros, que não contrai,para que outros vivam acima das suas possibilidades.Parece-me óbvio que vc está-se a borrifar para isso.Nós só podemos viver daquilo que temos! Percebe ou faço-lhe um desenho? Não, o Zé parece ser adepto da caloteirice e do endividamento.
    Para Gaia ter esses equipamentos de uma forma sustentável, deveria ter as condições financeiras para tal.Apenas assim.E Gaia não tinha.Por isso é que é melhor a situação do Porto do que Gaia.Por uma razão muito simples:Porto é sustentável, ao contrário de Gaia.
    Votar Menezes é fazer do Porto uma nova Grécia ou um Chipre.
    PS: até dou banho a um cão, se me arranjar um.Pode ser um Labrador?

  13. Não me estou a borrifar, só contextualizo. Não sou da caloteirice porque não devo nada, nadinha, absolutamente a ninguém, nem a bancos, de resto nunca devi algo a alguém. Não retiro a Gaia o direito de evoluir e você simplesmente não faz ideia do que era Gaia e do que é hoje – e olhe que não moro lá. Se quiser, faço-lhe um desenho a si, em vez de dar um cão que não precisa, pelo visto, das suas pulgas. E o desenho é dizer-lhe que de todos os municípios da AMP, o Porto cidade-município foi o que menos evoluiu. Até Gondomar, basicamente um mundo rural, é melhor e notam-se os progressos feitos, sem deixar de ser um mundo rural que é a sua marca distintiva mas tem já traços de civilização. O Porto estagnou mas você nem deve saber disso, se calhar nem é de cá.
    De novo, não aponta nada na gestão de RR que mereça a pena, já teve vários penáltis falhados. É cobarde, ignorante ou também um lambe-botas que fala do que não sabe?

  14. silver

    Quanto a si Joaquim, repito o que disse ao zé: cada cidade é grande de acordo com a riqueza que produz.Construiu-se em Gaia á custa do défice, da divida,do descontrolo financeiro.Bom no curto prazo, mas pode ser fatal a médio/longo prazo
    Imagine dois cidadãos: um anda de renault clio com dez anos, tem uma casa modesta embora digna,e tem as contas em dia.O outro anda de mercedes-benz classe comprado há uns meses atrás, tem uma bruta mansão com bruta piscina,mas… adquiriu tudo isso com crédito, está atolado em dividas, ainda por cima ameaçado de despejo e de penhora dos seus bens da parte das autoridades.
    Na construção das coisas, começa-se por baixo, não por cima.Tendo em conta este principio, parece-me óbvio quem está em melhor situação.. Pense nisso amigo

  15. silver

    Mas qual contexto Zé? A questão da evolução é menos relevante do que da sustentabilidade financeira,por isso não me interessa o que era ou não era, mas sim,se tem condições financeiras ou não para evoluir.Gaia tem direito a evoluir, tanto quanto as suas finanças o permitirem.Primeiro as finanças, o crescimento vem a seguir.Porto ao menos tem chão,gaia tem apenas um telhado,que outros suportam.Se as coisas fossem assim como diz, todos os paises eram desenvolvidos não acha? O dinheiro não cai do céu.E é por mentalidades como á sua, que Portugal teve que se sujeitar 3 vezes,repito, 3 vezes a uma intervenção externa de forma a evitar a bancarrota!
    Não sou conhecedor profundo da obra de Rui Rio,mas saneou financeiramente a Camara,o que é fundamental,não vive á custa de ouros,e,fez boa obra em bairros sociais.
    Mas já agora, eu também tenho o direito de evoluir na minha vida.Porque é que não me empresta dinheiro para comprar um carro de luxo,tipo porsche,como gaia fez?

  16. silver

    E digo-lhe mais Zé Luis: Duas coisas aliás.Em primeiro lugar, dê um olho á situação financeira das camaras municipais.Uma miséria franciscana.Segundo, também o nosso Pais, construiu auto-estradas,rotundas,piscinas, pavilhões da Expo, estádios,coisinhas boas.Olhe como acabámos !

  17. Mas se por isso aí estamos de acordo, a contextualização é o que o silver não faz. Que autonomia, que dinheiro concreto tem Gaia? O que Gaia produz de riqueza é seu? Mete num cofre? Por esse andar, nenhuma câmara investia, estaríamos todos no “antigamente”. Isso é uma falácia, o mundo real é macro e no País que temos, centralizado e à espera do “efeito difusor” (chuveiro) de Lisboa, onde evoluiria Gaia? As finanças “pagam” e tudo isso pesa, mas o contexto é que precisou, aliás em tempo de menos “exigência financeira” que remonta há 12 anos e não ao pós-2008, de sair do marasmo. Endividou-se, sim, é como diz, tal qual todos. Mas porquê individualizar Gaia? Em contraponto com o Porto? O Porto não tem dívida? E, mesmo assim, evoluiu? Não.

    Você não responde a pergunta nenhuma. Logo, fica a falar sozinho. Já nem bola tem para marcar penáltis, atirou-as todas para fora. Já lhe disse: vá dar banho ao cão.

  18. silver

    Uma câmara municipal é financiada com os impostos que eu e você pagamos Zé Luis,não se esqueça disso.
    Uma entidade ou uma empresa têm o chamado balanço financeiro.Se as receitas são maiores que os gastos, superávit.Se as receitas são menores défice.Se nós financiarmos as coisas com superávit, significa que temos dinheiro para suportá-las.Se é através do défice e da divida,ficamos a dever,e significa que outra pessoa está a pagar os nossos gastos, que é o caso de Gaia.Chama-se a isso responsabilidade financeira,ou ausência dela
    Efetivamente, deviamos estar no “antigamente”,porque muitas das câmaras deste pais,não tinham recursos para financiar,esses meios,tais como rotundas,pavilhões,etc etc.Isso conduziu as cãmaras municipais á atual situação financeira,ruinosa,em que precisam de recorrer á ajuda de um fundo.Eramos mais modestos,mas ao menos sustentáveis,com certeza.
    Se Gaia quer ter desenvolvimento sustentável, pois,que equilibre as suas finanças e pague as suas dividas(existem cãmaras com situações financeiras regularizadas).Assim terá dinheiro para desenvolver o concelho, e a sua economia.Sou adepto que as câmaras não estejam á espera do chuveiro lisboeta.Cada uma por si.
    Acha que há dinheiro para desenvolver mais é? De onde vem?
    Não individualizo Gaia, que constituiu um dos imensos exemplos espalhados pelo pais, de municipios fortemente endividados devido a uma gestão financeira desastrosa.
    Como espero que compreenda, discutir a evolução é um pouco subjetivo,porque as opiniões sobre o futuro em democracia são diferentes.O que é positivo para uns,pode ser negativo para outros.
    Gaia, tal como outros concelhos,certamente que evoluiram,construindo novas infra-estruturas,rotundas,etc.Á custa do aumento do endividamento, da má gestão dos contribuintes.Têm coisas boas mas não foram pagas! É como se eu fosse comprar um BMW ou um mercedes e deixasse-os para você pagar.(já agora voc~e não me respondeu a isto também .O Estado também gastou acima das suas possibilidades, e hoje até já se fala em demolir,algumas obras que construiu!
    Não sei que perguntas é que me dirigiu em concreto, eu procurei responder-lhe aos seus comentários.Sou pela evolução desde que sustentável, e pegando na sua deixa,não sabendo o que é antiguidade para si,eu prefiro concelhos menos gastadores,e que cobram o minimo possivel de impostos,dinamizando assim a actividade económica.Para mim, isto é que é a evolução no sentido correcto.
    Por outro lado, se o Porto tem condições financeiras para digamos assim,desenvolver as suas infra-estruturas,e não o faz,obviamente que isso é um erro.
    A minha posição é,sou a favor do desenvolvido de cada municipio,com as contas controladas.Nem tudo ao mar, nem tudo á terra.
    Eu sou pelo liberalismo,você é mais um socialista do burgo.É isso que nos separa.
    PS:Eu não o conheço de lado nenuum, nem admito essa linguagem suja e ordinária para comigo.Se é para debater, façamo-lo de forma civilizada.Caso contrário, terei que reportar acerca disso aos administradores do blog.Boa Noite

  19. Miguel A. Baptista

    Visitar a página de FB da candidatura de Luis Filipe Menezes (Porto Forte) é assistir ao mais degradante populismo e terceiro mundismo que se possa imaginar. Páginas tantas, num comentário, um apoiante escreve algo tipo “só Luis Filipe Menezes e Alberto João Jardim compreendem o povo”. Ele disse convicto, eu para caricatura também não encontraria melhor.

    Pois foi com pessoas tipo Luis Filipe Menezes, Alberto João Jardim, Mario Lino, Manuel Pinho, José Sócrates que chegamos ao ponto em que estamos.

    Com a popularidade deles intacta por vezes pergunto-me se o Povo Português é vítima ou cúmplice.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.