Os islâmicos e o belo sexo

O Henrique Raposo escreve hoje um texto imperdível sobre os problemas dos terroristas com o belo sexo:

‘[H]á uma marca comum: o ódio absoluto à mulher ocidental ou ocidentalizada, a mulher sexualmente emancipada, a mulher soberana que mostra as curvas, a mulher que enterra a mulher-anjo. Sim, a mulher carnal é o grande fantasma desta rapaziada. São sujeitos dados ao amor platónico, coitadinhos. No passado, limitar-se-iam a comprar um Ferrari para compensar este complexo fálico, mas agora acham que têm de explodir pessoas, sobretudo mulheres. Não por acaso, Bin Laden andava de Ferrari amarelo antes do seu momento São Paulo

Para se ler mais sobre este incómodo que são as mulheres ocidentais para os islâmicos (terroristas e não terroristas) pode-se ir a este artigo do Henrique que foi publicado na Relações Internacionais. E devia fazer soar todas as campainhas em cada uma das muitas vezes em que na Europa se permite, com grande espírito de tolerância, a recusa das comunidades muçulmanas em aceitarem e viverem com os valores europeus, desde ignorarem a obrigação de cada imigrante de se integrar da melhor forma na sociedade que o acolhe até ao desrespeito pelos direitos humanos das mulheres e a esta ideia ocidental de igualdade de direitos e oportunidades entre homens e mulheres.

Permitir que esta influência islâmica se entranhe na sociedade europeia é, para mim, um atentado à liberdade das mulheres – sexual e não só.

18 pensamentos sobre “Os islâmicos e o belo sexo

  1. Vasco

    São todos paneleiros!! Cambada de rabetas! Gostam é de andar aos beijinhos uns aos outros e deixar as mulheres tapadas…

  2. Ana Vasconcelos

    Creio que é mais uma questão de controlo e poder do que de sexo. A mulher é um animal doméstico e mulheres que não se comportem como tal são uma ameaça

  3. Jónatas

    Lá estamos nós no reino da fantasia dos tresloucados. Basta conhecer um bocadinho do que é a verdadeira vida islâmica para se perceber que isto que o Henrique Raposo refere mais não é do que uma enfabulação completa. É que a prática desmente totalmente tudo isto. Só um idiota pensa que o Islão anda a explodir bombas por ódio à mulher ocidental. E mais idiota é quando pensa que todo o islâmico tem dinheiro para comprar um Ferrari.

    O Henrique Raposo, com tanta crónica terrorista sem sentido, anda lá bem perto de ganhar o título de Idiota do Ano, anda.

  4. lucklucky

    Jonátas eles odeiam o Ocidente muito pelo pelo lugar que a mulher tem no Ocidente. Por isso é que consideram a mulher ocidental como “p****” e um dos primeiros argumentos é a imoralidade da vida no ocidente.

    “verdadeira vida islâmica” estou ansioso pela definição…

  5. tina

    No mundo islâmico impera a lei do mais forte sobre o mais fraco. Quem tenha trabalhado na Arábia Saudita, por exemplo, fica horrorizado como os chefes tratam os empregados. É um mundo animal.

  6. jhb

    Sim… É só na Arábia Saudita que os chefes tratam mal os empregados… É uma coisa de muçulmano, dizem.

  7. politologo

    ” Este Mundo Ocidental tornou-se muito mais pobre a partir do trágico momento em que as Mulheres Ocidentais passaram a ser “bens em 2ª mão” …” ?
    Kruzes canhoto !..
    Mas o Islão permite a pedofilia e a homosexualidade ocidentais ?
    Afinal , eles não têm haréns ?
    Com esta nossa danosa natalidade em baixa que põe em causa a nossa Segurança Social , não será de termos umas lições de islamismo ???

  8. Jónatas

    Lucklucky, a verdadeira vida islâmica é a vida normal de uma qualquer cidade ou vila ou aldeia do mundo islâmico. Tudo menos esta ideiazinha bacoca de ligar petrodólares a sheiks e mulheres ocidentais e Ferraris. E, muito menos, a bombas. Essa fraqueza de espírito que confunde árabes com muçulmanos. Ou que confunde moral estrita com ódio ao Ocidente. É fraca e desinteressante esta generalização que o Henrique faz sobre como algumas ideias muçulmanas. E só podemos rir quando vemos alguém defender que a mulher ocidental é o haraam máximo. Só dá para rir e só demonstra como tantas e tantas vezes, se escreve bem e inteligivelmente as ideias mais absurdas, preconceituosas e ignorantes. Maneira de escrever onde o Henrique anda a ficar especialista.

  9. Jónatas

    Coisa diferente é o que a Maria João refere, da introdução dos seus padrões morais e religiosos na sociedade europeia, habituada que está a outras vivências. Num mundo tolerante como o europeu, não quereria que o nosso estilo e padrão de vida fosse alterado. Muito menos que a vida livre que as mulheres por cá têm seja posta em causa.

    Mas, num espírito próximo do vosso liberalismo, não vejo é como enjeitar que quem quer que seja que veja a coisa de outra maneira mude a sua maneira de ver o mundo. E que mude a sua maneira de actuar. Terão de ser encontrados consensos, coisa que artigos desajeitados e ignorantes como o do Henrique Raposo ou o fanatismo religioso que ele critica não ajudam a conseguir.

  10. lucklucky

    Uma sociedade patriarcal e tribal onde a diferença não é tolerada, onde intimidação é generalizada.

    ‘Muslim Patrol’ police London streets
    A group of young men are attempting to create ‘Muslim zones’ in East London.
    http://stream.aljazeera.com/story/201302062143-0022530

    Não me admira nada que alguém que apoiou o terror comunista reconheça e passe uma esponja pelo terror islâmico. Afinal a extrema esquerda e o islamismo agora estão aliados.

    “Terão de ser encontrados consensos”

    Por causa das bombas e violência Islâmicas não é? Ora como é fácil desmascarar a esquerda idiota útil.

    Idiota útil, assumindo a boa fé . Depois de ter dito antes que não queria nada que afectasse a mulher ocidental terão de ser encontrados consensos.
    Mais uma vez se demonstra a compartimentalização mental em partes da esquerda naif. Onde tudo e o seu contrário é possível.

    Ou então é parte da esquerda inteligente, a que mente conscientemente, a que engana porque faz parte da táctica – porque mentir faz parte do modus operandi – tal como os islamistas como a taqiyya.
    .
    Que tal substituir Islamicos por evangelistas ou por extrema direita? Não seria capaz.
    Que tal o consenso para um Pai controlar uma filha depois dos 18 anos e bater na mulher? Pois…

  11. tina

    “10.Lucklucky, a verdadeira vida islâmica é a vida normal de uma qualquer cidade ou vila ou aldeia do mundo islâmico.”

    Isto não é ignorância. É uma grande mentira, do mundo maquiavélico da esquerda.

  12. tina

    A esquerda revela-se verdadeiramente nojenta na forma como apoia um mundo em que os mais fortes oprimem os mais fracos, tal como o mundo islâmico. Vai-se confirmando assim que a para a esquerda liberdade e democarcia não contam nada. São uns hipócritas tribais, violentos e opressivos.

  13. A. R

    O Islão é um mundo de ódio: ódio à cerveja, ao vinho, à música, à arte, aos agnósticos, aos ateus, aos budistas, aos cristãos, aos judeus, aos sufis, aos pretos, aos brancos, ao tomate, etc. Promovem o apartheid social e sexual, a m mutilação das mulheres, o corte de mãos, dedos, pés e pescoços pela Sharia; exploram redes de prostituição de raparigas jovens (em Inglaterra é generalizado); escondem os discursos de ódio nas Mesquitas, vivem do welfare, ocupam 76% das vagas nas prisões. As mulhers para eles são lixo absoluto: a mulher não vale em tribunal, não se pode peidar sem levar 20 chibatadas, não podem conduzir, não podem sair à rua, não podem usar a roupa que querem: em resumo são uns bárbaros que vivem no Sec VII.

  14. Expatriado

    E’ obvio que a marcianada se identifica com as “liberdades” islamitas…..
    .
    Andam por aqui alguns “Chamberlains” e idiotas uteis a fazer takiyah.

  15. jorge

    O Islão é um puro sangue cheio de energia ( a tendência demográfica é o seu combustível ) e o Ocidente é um cavalo velho e cansado. Pondo de lado as simpatias e se tivessem que apostar o vosso dinheiro a longo prazo em quem apostavam ? eu apostava no islão . São milhões de jovens a ser educados pelo fanatismo religioso que acreditam que são os escolhidos pelo deus único e cuja missão é combater os não crentes tal como manda o profeta. Olhando para o médio oriente, vemos que a sua expansão está imparável. Olhando para a europa central vemos que as minorias de há 30 anos se tornam em grandes maiorias nalgumas regiões, enquanto que os europeus atravessam um inverno demográfico e estão mais preocupados em salvar o planeta do aquecimento global ( lol). exércitos de jovens + ideologia islamica supremacista = futuro

  16. Pingback: ‘Feminism Or Islamism: Which Side Are You On?’ | O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.