Grandes momentos da imprensa portuguesa

Grandes momentos da imprensa portuguesa

Anúncios

29 pensamentos sobre “Grandes momentos da imprensa portuguesa

  1. Jónatas

    Têm toda a razão no que dizem. No entanto, a política financeira antípoda de Chávez não tem feito melhor pelos pobres do Mundo.

  2. JP

    O legado de Hugo Chávez é ter feito falar e escrever gente que, de outro modo, dificilmente conseguiria revelar a imbecilidade escondida.

  3. pois

    “Mais uma prova que os media portugueses estão contra a liberdade.”
    Tem razão, deviam ser todos encerrados. LOL

  4. Comunista

    Em Portugal os resultados deste governo têm sido:
    – aumento da dívida em relação ao Pib;
    – aumento do desemprego, da pobreza e da fome;
    – aumento das falências das empresas;
    – erros de 100% nas previsões da recessão;

    e a imprensa portuguesa é de esquerda porque não dá notícias sobre as virtudes da acção do governo.

    Como diz o “pois”:

    LOL

  5. Jónatas

    É paradoxal para mim estas vossas escolhas. Depois de citarem o Glenn Beck, que representa dos jornalismos mais parciais e movidos a ódio e conflito; depois de perceberem que todo o video que citaram não passou de (mais uma) prova de que nada do que diz é certo; vêm vocês agora acusar a imprensa portuguesa e criticá-la quando faz comete os mesmos erros que o Glenn Beck comete?

    Qual é a diferença entre um e outro, sinceramente?

  6. pois

    Jónatas, existem algumas diferenças, o Glenn Beck não é jornalista, é um opinador “pundit”, o problema está em haver pessoas que o tomam como jornalista e acreditam nas palavras dele.
    Não existe nada de suspeito no facto de ele andar a pregar o fim do mundo e a convencer as pessoas a investir em reservas de ouro, e por outro lado fazer publicidade a uma empresa que vende ouro. Esta é a isenção que se aprecia aqui n’o insurgente. 🙂

    Por outro lado ainda não vi muitos por aqui a acusar o diário económico, ou o jornal de negócios de parcialidade, mas isso só vai de encontro aqui à ideologia da casa, todos os temas, sociais, políticos, económicos e culturais, só devem ser vistos à luza da economia. Mas não de uma economia qualquer. Ou seja, o aumento do PIB é bom, o aumento do PIB segundo Chavez, é mau.

  7. Jónatas

    Pois, tem razão, não é jornalista. E eu devia saber isso porque um tipo que esteve na Fox, conhecida que é a sua informação credível e o seu apego à verdade, nunca é jornalista, mesmo quando finge ser. É, sempre e sempre, um pundit.

  8. @Jónatas:

    O Jónatas entende o conceito de ‘blogue colectivo’, certo? Nenhum de nós é individualmente responsável pelo que os outros colegas publicam. Em todo o caso, não veria qual é o problema – se o Glenn Beck diz uma coisa que me pareça de interesse, pessoalmente não me importaria de citá-lo. A posição no espectro político é irrelevante.

    @pois:

    Nesse caso, aconselho-o/a a seguir este espaço com mais atenção e/ou frequência. As críticas a qualquer coisa publicada num determinado jornal são relativamente comuns.

  9. Ricardo G. Francisco

    O Jónatas gostava de ter por cá um Chavez. Jornais que não dessem este tipo de notícias eram inimigos do povo fechados. Uma amante da liberdade o Jónatas. Mas só “das mais amplas liberdades”, certo? O direito à vida e à liberdade de expressão estão sujeitos ao interesse do povo manifestado pela voz do partido, certo?

  10. pois

    Mais, é preciso uma lata, estão para aqui a dizer que os jornais são isto e aquilo e o ca****o, e quem é contra a liberdade é o Jónatas?
    Por amor da santa, ganhem tino.

  11. Ricardo G. Francisco

    O Jónatas não se queixa dos Jornais, dá loas a quem fechou uns quantos. Por aqui há uma unanimidade, é a defesa intransigente do direito dos outros dizerem disparates. E o nosso direito de nos rirmos dos ditos disparates. Mais uma vez, eu sei que isto são conceitos difíceis de apanhar por amigos de outro tipo de “liberdades”.

  12. pois

    “nos rirmos dos disparates” ?
    “Mais uma prova que os media portugueses estão contra a liberdade.” tem uma piada do caraças.

  13. Ricardo G. Francisco

    Pois,

    Imagino que essas quotes sejam da mesma pessoa? Isso são métodos que ensinam nas catacumbas do partido?

    ““Mais uma prova que os media portugueses estão contra a liberdade.” tem uma piada do caraças.” pois.

    Eu respondo. Nos media Portugueses há de tudo, como em qualquer sector. Há um peso desproporcional de pessoas que se revêm em regimes pouco amigos da democracia. Sim. Como é desprorcional em relação à população portuguesa pode explicar porque é que jornais vendem cada vez menos. As pessoas não se revêm. E humor por humor há coisas mais giras e pelas quais merece mais a pena pagar.

  14. pois

    Não, não são da mesma pessoa. Era simplesmente para mostrar o apreço à liberade que existe nesta casa por parte de muitas pessoas. Lá está a reta do partid novamente para desconversar. para vocês, quem não é liberal é tudo uma cambada de comunistas inimigos da liberdade. lindo.

    “Há um peso desproporcional de pessoas que se revêm em regimes pouco amigos da democracia. Sim” lá está, parece-me que está a acusar os jornalistas serem contra a liberdade e não parece que seja humor.
    porque que as pessoas deixaram de comprar jornais? é uma pergunta cabeluda, e já tem muitos anos, não é nova. Novos meios de comunicação, i.e, novos canais de televisão, internet, jornais gratuitos etc. As pessoas estão tesas como um carapau. Eu por mim ainda me lembro de sentar à esplanada com três jornais do dia. mas para vocês não, a única explicação é porque os jornalistas são inimigos da liberdade, contrariando a vontade do povo. Sim claro. Já agora quem vos deu de direito a exclusividade da liberdade? é que por aqui parece que não gostam muito de ver pessoas na rua, sei lá, a exercer as suas liberdades.

  15. lucklucky

    “Tem razão, deviam ser todos encerrados. LOL”

    O pensamento de esquerda e ou salazarista dá bacoradas destas.
    Já me viu alguma vez a querer proibir o PCP por exemplo? Não. Eu quero é que a publicidade ao tabaco tenha a mesma liberdade que o manifesto comunista.

  16. Ricardo G. Francisco

    pois,

    Eu não acuso “os jornalistas”, não são uma massa, não são todos iguais nem pensam todos da mesma maneira. Quanto muito acusei muitos jornalistas. E muitos, ou elo menos alguns até concordarão comigo. De qualquer forma fica o Strike 2 em métodos dialéticos não aceitáveis. Com estas tácticas ainda fica a falar sozinho.

  17. lucklucky

    “jornalistas são inimigos da liberdade, contrariando a vontade do povo.”

    Mais uma vez as palavras empregues demonstram o pensamento soci@lista-tribalista :)))) – a vontade do povo não existe. O povo tem muitas vontades. Diversidade. Certamente conhece esta palavra da sua propaganda que no vosso caso só quer dizer todas as raças mas todos soci@listas. Tribo única portanto.

    Quanto menos as diversas vontades interferirem umas com as outras mais liberdade. Eu não me importo que você faça soci@lismo com outros que concordem consigo . Faça uma comuna, um kibbutz. O problema é que você e os jornalistas na sua maioria querem que quem não é soci@lista seja obrigado a sê-lo.

  18. pois

    Então quantos são, tem números? É que aqui nesta casa insinua-se muita coisa.
    “. Mais uma vez, eu sei que isto são conceitos difíceis de apanhar por amigos de outro tipo de “liberdades”.” são este os métodos aceitáveis?
    Ficar a falar sozinho, já estou habituado.

  19. António Ferreira

    Pois,

    Somos a minoria silenciosa. Somos os 50% que sustentam esta merda (desculpem-me o termo) toda. Somos os que trabalhamos. Os que pagam o que o devem e vivem dentro das suas possibilidades. No fundo, os que têm medo, que vêem o país praticamente comunista, não nas liberdades (ainda), mas no confisco do fruto do trabalho das pessoas que qualquer dia é mais de 50%. Cada vez mais, Estado é igual a roubo e a polícia parece os capangas da Máfia.

  20. pois

    Concordo, somos os que trabalhamos e sustentamos esta merda, e está na altura de começar a fazer barulho. Estamos de acordo. Agora, estamos de acordo em relação ao caminho a seguir?

  21. jorge

    socialismo chavista = senhas alimentares ,bichas para o pão e carne, prateleiras vazias, controle preços pelo estado, nacionalizações massa, fecho de jornais e reádios e tvs, prisão para juizes e opositores e jornalistas, alteração da constituição em proveito próprio, financiamento de partidos comunistas em toda a america latina desviando fundos petroleo dos venezuelanos e taxa assassinatos mais elevadas do mundo.
    socialismo portugues = aumento rendimento mínimo, aumento desemprego, bichas para comprar iphones e tablets, prateleiras cheias, privatizações quanto baste, diminuição PIB, aumento impostos, direitos adquiridos em perigo, liberdade imprensa que na sua maioria define Chavez como um herói, liberdade de manifestações, sindicatos livres e partidos politicos em oposição livre.
    Entre os dois, perfiro o mal menor que é o socialismo tuga.

  22. lucklucky

    “Agora, estamos de acordo em relação ao caminho a seguir?”

    Certamente estamos de acordo em algumas coisas e não noutras. Somos pessoas, pensamos diferente. Porque é que temos de estar obrigados em concordar em acordo em tudo e seguir o caminho como uma tribo?
    Cada um siga o seu caminho com aqueles com que concorda, naquilo em que concorda.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.