Nuvens Escuras no Horizonte

Hoje foram divulgados vários indicadores económicos importantes, em particular para nós o do crescimento do PIB português no quarto trimestre de 2012 assim como o do crescimento do PIB anual – sobre este tópico ver este post.

Relativamente ao crescimento do PIB, foram divulgados para além de Portugal, dados para o Japão, França, Itália, Alemanha e também para a Zona Euro e para a União Europeia. A tabela abaixo mostra estes indicadores juntamente com os dados dos Estados Unidos que já tinham sido revelados anteriormente.

DadosEconomicos14Fev2013

Como se pode observar, no quarto trimestre a evolução do PIB foi negativa em todos os casos com excepção dos Estados Unidos que mesmo assim viram a taxa anualizada de crescimento tornar-se negativa no quarto trimestre de 2012.

Relativamente a Portugal, a queda do PIB em 2012 foi de 3,2%, acima do valor previsto no Orçamento de Estado para 2013 que em Outubro de 2012 previa uma contracção do PIB de 3,0% para 2012.

Em termos históricos, e recorrendo a dados do Pordata até 2011 e do INE em 2012, pode-se verificar a evolução do crescimento do PIB em Portugal desde 2000.

Crescimento_PIB

A média de crescimento do PIB em Portugal nos anos contidos no gráfico (2000 a 2012) é de 0,47%. Se considerarmos apenas os últimos 10 anos (2003 a 2012) então esse valor de crescimento médio do PIB baixa para o valor negativo de -0,05%.

Juntando os números recentes do desemprego, das exportações assim como da conjuntura internacional referida acima, as perspectivas para Portugal não são neste momento muito animadoras.

13 pensamentos sobre “Nuvens Escuras no Horizonte

  1. tina

    Não percebo porque o PIB tem tanta importância como indicador económico. O PIB nos USA aumentou no 3º trimestre por causa da compra de equipamento militar. Esse dinheiro é emprestado da China. Que indício de riqueza representa isso?

  2. É um indicador que vale o que vale. Por exemplo, nos Estados Unidos (não estou seguro na Europa) se alguém se endividar em 1.000 dólares para comprar uma televisão, para o PIB contam 1.000 dólares. Depois existe uma série de malabarismos (hedonics, etc.) para que o número seja bem melhor do que o que é na realidade. A este propósito, aconselho vivamente o site do ShadoStats: http://www.shadowstats.com/

  3. vivendipt

    O PIB é como o pénis… Mais do que ser quantificado ele deve ser é qualificado.

    A economia americana funciona na base de viagra. E um dia os estímulos deixarão de funcionar ou até provocarão um colapso por excesso de dosagem…

    Já a Europa fez bem em deixar de tomar o viagra e daqui a uns tempos ficará mais saudável para obter performances sustentáveis no futuro sem recorrer a artifícios.

  4. Pois

    Tal como o PIB português, não foi com armas ou viagra, foi com autoestradas e quejandos. Qual é mesmo a surpresa ? Eu até tenho alguma surpesa, mas é da recessão não ser mais violenta ainda.

  5. lucklucky

    O crescimento dos EUA foi negativo. É só ver a Dívida que fizeram no mesmo período.

    O crescimento com a configuração de boa parte dos países Ocidentais tal como estão acabou. Kaput!. Poderá haver um ano de excepção e nada mais.

  6. vivendipt, gostei da analogia, mas tenho dois apontamentos a fazer. Primeiro, apesar do que se diz, o tamanho importa, e muito. Segundo, a Europa recusa-se a tomar viagra, é um caso típico de alguém que não f+de nem sai de cima! Vamos a ver se recupera o vigor, mas com tanta mariquice eu vejo um sério risco de disfunção eréctil crónica…

  7. alexandreferreira101

    “Já a Europa fez bem em deixar de tomar o viagra e daqui a uns tempos ficará mais saudável para obter performances sustentáveis no futuro sem recorrer a artifícios”
    Wishful thinking. Daqui a uns tempos em Portugal, a seguirmos os mesmo ritmo, não restará pedra sobre pedra do que se pode chamar ainda de economia e sociedade.
    A não ser que considerem saudável uma economia com 27% de desempregados como a Grécia (lá chegaremos), um tecido empresarial diminuido em número e dimensão de empresas, uma actividade económica muitissimo inferior à actual e uma dívida já bem acima dos 120%.
    Se isso é saudável ou poderá induzir a crescimento saudável, ou é ironia ou estupidez.

    Mas de facto por estes lados assiste-se a um apego ao divino e ao sobrenatural sobre a forma de teorias económicas e seus gurus que o ex Papa Bento XVI em comparação assemelha-se um ateu.

    Na realidade vossa fé irracional em teorias que vos inculcaram e que repetem como salmos, mesmo que a realidade a contrarie, assemelha-se mais aos sacrifícios humanos dos Maias e Aztecas.
    Quantos mais mulheres, homens e crianças forem sacrificados mais brilhante será o futuro e os problemas se resolverão.
    Curioso o resultado de tantos sacrificios para estes povos.

  8. vivendipt

    O desemprego em Portugal é enorme porque:

    – o estado é pesado que continua a extorquir a riqueza de quem produz
    – o ensino superior é desajustado da realidade (é mais importante as pessoas terem um curso profissional que os oriente para uma profissão ou ofício do que cursos da treta)
    – com o avanço da inovação e da tecnologia é natural que sejam precisos menos recursos humanos para sustentar a produtividade, uma parte da sociedade terá de ser deslocalizada para outras atividades de auto-sustento e de serviços voluntários de apoio à comunidade
    – excesso de endividamento no imobiliário que retirou liberdade às pessoas de poderem dispender recursos no dia-a-dia
    – dificuldades tremendas para empreender (burrocracias e custos elevados para iniciar uma atividade)
    – falta de investimento estrangeiro

  9. tina

    “Quantos mais mulheres, homens e crianças forem sacrificados mais brilhante será o futuro e os problemas se resolverão.”

    Porque não se preocuparam com eles quando a direita avisava sobre o que ia acontecer? Quantas discussões não houve em que a esquerda se ria dos avisos e Medina Carreira e MFL eram apelidados de velhos do Restelo? Que querem agora? Voltar ao antigamente, pedir dinheiro emprestado para aumentar salários e manter uma falsa economia e os nossos filhos que resolvam depois o problema?

  10. alexandreferreira101

    Não, prefiro a politica da direita que empobrece o país, que destroi a economia e que não deixa futuro para os nosso filhos que não seja o de emigrar.
    Esse sim é o caminho….

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.