As criancinhas dos outros

predator drone

As que não fazem o presidente Obama apertar as suas filhas com mais força à noite ou ler publicamente os seus nomes.

Ou as que não merecem reacções hipócritas de horror a um acto isolado de um indivíduo tresloucado, enquanto se aplaude e sustenta por uma larga maioria democrática quem o faz de forma reiterada, utilizando recursos públicos por decreto presidencial.

48 pensamentos sobre “As criancinhas dos outros

  1. António Ferreira

    Finalmente alguém fala disto no Insurgente. Antes de proibir as armas, deviam-se proibir os drones. E o Obama anda com muita lata nos discursos que faz, como não fosse responsável pela morte de montes de crianças e civis no outro lado do mundo. Assusta-me ver que os líderes democraticamente eleitos podem ser tão maus como os ditadores. O Obama já deve ter sido responsável por mais mortes que o Pinochet e ninguém fala disso. Triste, muito triste.

  2. tiago

    Reitero o que disse António Ferreira. Finalmente que isto aparece no Insurgente! Eu sei que existe uma corrente aqui a favor da morte de inocentes tendo em vista fins utilitários, principalmente em nome de um certo Estado. Mas a outra parte já se estava a tornar demasiado silenciosa…

  3. EMS

    Gostei muito deste post. Há muito poucos anos atras, teria que ir ao arrastão ou ao 5 dias para ler um post destes.

  4. Duvmet

    Parece-me que este post incorre no mesmo tipo de hipocrisia que condena. Tal como o Obama, utiliza um factóide para prosseguir uma agenda.

    Pois nem uma coisa nem outra. Nem o Obama tem legitimidade para utilizar os cadáveres para promover a sua agenda anti-armas, nem o João PInto tem legitimidade para utilizar estes e outros cadáveres para promover a sua agenda de oposição à luta contra os terroristas islâmicos.

  5. DF

    Quando se confunde política externa com política interna acaba-se por chegar ao mesmo paradoxo arrastão. Uma coisa é uma coisa outra coisa é outra coisa. Claro que depois do mal feito a torrente de disparates aparece logo em catadupa. Os drones são uma consequência do conflito assimétrico latente e não uma arma infame, infame seria ao invés de drones cuja autonomia permite a vigilância e acção quando o alvo é “iluminado”, usar bombardeamentos pesados e indiscriminados. Que o contágio de uma Europa que se esqueceu em que mundo vive, que ultrapassada, deixou de ser actor relevante contaminou as mentes de muitos é um facto indesmentível. Hoje não somos relevantes em nada, a não ser que seja como case study nos erros a não cometer no futuro. Mas que seja, que durma descansada com lirismos inscritos numa pseudo política externa, vivendo à sombra de um combate que outros fazem lá fora e da intel que chega, um dia destes tem uma surpresa desagradável.

  6. “nem o João PInto tem legitimidade para utilizar estes e outros cadáveres para promover a sua agenda de oposição à luta contra os terroristas islâmicos”

    Não deixa dúvidas que faz parte entusiástica dos admiradores à distância, por falta de o poder ser de outro modo, da maioria que refiro. Assenta-lhe bem a crítica, portanto.

    Quanto à extrapolação numa qualquer agenda de oposição à luta contra os terroristas islâmicos, a reacção pavloviana e a conclusão são suas e não acho que valha a pena sequer discuti-las, nomeadamente com os que acham que os fins justificam os meios. Que lhe façam a si bom proveito os cadáveres dos inocentes, porque eu não os quero e não os uso para questões argumentativas.

  7. “Quando se confunde política externa com política interna acaba-se por chegar ao mesmo paradoxo arrastão. Uma coisa é uma coisa outra coisa é outra coisa. Claro que depois do mal feito a torrente de disparates aparece logo em catadupa. Os drones são uma consequência do conflito assimétrico latente e não uma arma infame, infame seria ao invés de drones cuja autonomia permite a vigilância e acção quando o alvo é “iluminado”, usar bombardeamentos pesados e indiscriminados.”

    Informe-se em relação às consequências das “acções” que refere, naturalmente e mais do que tudo “iluminadas”. Continue em seguida pensando nos mecanismos de legitimidade para o fazer. E acabe pensando que parece confirmar que há mortos inocentes de “politica interna” e de “política externa”, como refere. Obviamente mortos de primeira e mortos de segunda, estes últimos sempre prontos para a afirmação da relevância externa de muitos.

  8. Duvmet

    João PInto, mantenha a compostura. Se critica o populismo perde a autoridade para usar tb argumentos populistas.
    Tem piada que negue indignadamente aquilo que de facto faz com o seu post, o que só pode significar duas coisas: ou não compreende o alcance daquilo que escreve, ou está de má consciência.

    Extrapolação?
    O seu post á claro como a água.
    O problema é que o João parece não perceber que as guerras existem e que nelas morrem pessoas. Umas vezes porque são atacadas deliberadamente, outras porque têm o azar de estar no local errado.
    Desafio-o a demonstrar que os americanos ( ou outro qq exército ocidental) ataca deliberadamente alvos civis, com o intuito de matar “civis inocentes”. Se não for capaz de o fazer, está demonstrada a sua má fé.

  9. Duvmet

    “Informe-se em relação às consequências das “acções” que refere”

    Lá está a insuportável falácia.

    Meu caro, a equação não é essa, como pode comprovar lendo todas as leis da guerra. Há um conceito juridico que se designa “mens ra”.

    Tome estas duas situações:

    1- Um sniper alveja deliberadamente um civil e mata-o
    2- Um missil alveja um carro de combate, falha e mata 100 civis.

    Pois bem, ainda que muito lhe custe o 1º caso é um crime de guerra . O 2º não.

    Percebeu a equação básica? Se não percebeu, dificilmente entenderá o que se passa à sua volta. E é provável que volte escrever coisas como as que escreveu.

  10. Duvmet

    João, o uso de adjectivos tremendos apenas revela que não consegue sustentar racionalmente a sua argumentação. Que faz num blogue como este? Como chegou aqui?

  11. lucklucky

    “Tal como o Obama, utiliza um factóide para prosseguir uma agenda.”

    Precisamente. João Luís Pinto na sua agenda pacifista, pois é a única que pode usar isto ” acham que os fins justificam os meios.”

    Curiosamente essa agenda pacifista – tem de ser Pacifista pois qualquer guerra mata pessoas inocentes – é só aplicada alguns.
    Ainda não se viu um post sobre rockets e depois quando chega a resposta a vitimização Palestiniana.

    Mas ainda é pior, a Agenda Pacifista mata muitos – só que finge a sua não responsabilidade- se a Al Qaeda/Taliban não tivesse tantas baixas teria feito muitos mais ataques.
    Matando milhares de civis. E nem imaginemos o que uma Al Qaeda com aura de vencedora faria a países como o Paquistão.
    Mas aí os pacifistas já não sentem responsabilidade alguma. Desde que se sintam impolutos na acção estão-se nas tintas para a omissão.

    A questão é o GRAU desses meios e que FINS. Há várias questões que podem ser colocadas a Obama mas nenhuma foi.

    Entretanto Guantanamo continua. Que tenha visto o Publico e o Expresso calaram-se.
    As notícias do jornalismo só existem se são úteis para uma parte política.

  12. Renato

    Seria a escola um escudo humano de “defesa” contra os transeuntes tresloucados que podem usar a sua liberdade(?) na compra e uso de armas de guerra?

  13. Duvmet

    O problema do João, de todos os Joões, é que acreditam viver num paraíso kantiano e não entendem que o mundo é o que sempre foi, hobbesiano, onde os lobos fazem o que sempre fizeram. E, na luta entre a civilização e a barbárie, acreditam estar na bancada, a observar, como se nada daquilo lhe dissesse respeito, como se as tábuas os protegessem do touro, ufanos na crítica ao toureiro, não percebendo que se este falha, serão eles quem terá de sofrer as suas investidas.
    Esta gente não se enxerga….

  14. tiago

    “Um ladrão rouba-me a casa e mata a minha mulher. O ladrão e assassino vai-se esconder em casa da família do Duvmet. Bomba nesse assassino! Xau Xau Duvmet e respectiva família tenho muita pena, mas a guerra é assim…”

  15. tiago

    E ainda está para provar como a guerra acaba com o terrorismo e não faz precisamente o contrário. Uma coisa é certa: os terroristas não nascem em número limitado e não se alimentam de sociedades pacíficas…

  16. Duvmet

    Tiago, na minha casa a policia usa snipers e o GOE. Não usa bombas. Na guerra os americanos usam drones e não B-52. Entende a coisa?

    está por provar que a guerra o quê? Ah, então você tb é dos que acham que os terroristas são terroristas por causa das vítimas. Os seus objectivos, ideologias, etc, nao contam. Já conheço o argumento. A culpa da violaçao é da rapariga que é bonita.

  17. CN

    Os falcões não admitem num um pouco de bom senso, andar a matar por ordem executiva suspeitos mais todos os danos colaterais por esse mundo fora, culpados de ameaças potenciais com 0 (ou perto disso) de perigo para a defesa territorial americana, continuando a espalhar o incentivo a reacção… não lhes diz nada.

    Pessoalmente este “falconismo” parece ser mais medo que algo com 0,001% de probabilidade alguma coisa aconteça, por isso são a favor de tudo e mais alguma coisa que desça a probabilidade para 0.00001%. Incluindo os danos colaterais (e os suspeitos sem julgamento).Nunca vêm o perigo real de por toda uma cultura reagir ou sobre-reagir da mesma forma que eles.

  18. tiago

    “Tiago, na minha casa a policia usa snipers e o GOE. Não usa bombas. Na guerra os americanos usam drones e não B-52. Entende a coisa?”

    Não. Se os terroristas usarem drones ganham legitimidade?

    “Ah, então você tb é dos que acham que os terroristas são terroristas por causa das vítimas. ”

    não disse isso. Está a extrapolar.

    “A culpa da violaçao é da rapariga que é bonita”

    isso não tem nada a ver com o argumento utilizado. Colocando no prisma dos violadores, eu disse qualquer coisa como os violadores não nascem em número limitado e não se alimentam de sociedades estáveis (não é bem isto, mas serve…). A sua refutação é falaciosa. (um aparte: as violações durante a guerra aumentam consideravelmente)

  19. Miguel A. Baptista

    Sou cristão e como tal procuro ver no outro um filho de Deus. Tal não implica que seja pacifista ou que faça parte dos “idiotas úteis”. No entanto para mim implica que haja, tanto quanto possível, respeito pela vida e que a morte de inocentes que estão “do lado dos maus” seja, em muitos casos, um crime civilizacional por muito branqueado que seja. Isso é válido quando penso nos bombardeamentos de Dresden ou na matança de Badajoz.

    De facto a forma como as mortes “dos outros” é tratada por vezes impressiona-me. Para além disso este tema é também uma boa reflexão acerca dos “double standards”

    Veja-se esta capa do Courrier Internacional acerca dos drons de Obama.

    Click to access CourrierSet2012.pdf

    Que capa tão “clean”, que capa tão “fofinha”. E o título, “O futuro chegou à guerra”, que título tão asséptico, que título tão “choque tecnológico”.

    Se lá tivesse o G. W. Bush podia haver títulos bem mais impactantes tipo “O carniceiro que não suja as mãos”, “A guerra do grande cobarde”, sei lá, havia muito por onde escolher.

    Curiosamente o candidato à nomeação republicana menos belicista era o candidato mais à direita – Ron Paul. Este seu video merece ser visto para entender a sua posição. (e é um filme low budget bem feito)

  20. jojoratazana

    A pena e o dó que alguns destes pistoleiros, que por aqui comentam, me causam .
    Especialmente um tal de Duvmet, de certeza que não tem consciência daquilo que escreve, mas se vive da forma como pensa, pobre vida a dele.

  21. Duvmet

    “Os falcões não admitem num um pouco de bom senso”

    Meu caro, é justamente porque usam de bom senso que utilizam armas precisas e de efeitos localizados, em vez de B-52. O facto de o fazerem demonstra que fazem a guerra segundo determinadas regras éticas.

    A coisa está muito bem argumentada aqui
    http://www.amazon.com/Assim%C3%A9trica-Ocidente-inimigos-Portuguese-ebook/dp/B0095VL2R0/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1355844261&sr=8-1&keywords=guerra+assim%C3%A9trica
    e em português. Vem lá todo o seu argumento e a impiedosa desmontagem.

    “Nunca vêm o perigo real de por toda uma cultura reagir ou sobre-reagir da mesma forma que eles.”

    A típica falácia da inversão de causa-efeito. A guerra aos terroristas islâmicos deriva dos actos dos terroristas islâmicos e não o inverso.

    “isso (“A culpa da violaçao é da rapariga que é bonita”) não tem nada a ver com o argumento utilizado”

    Tem tudo a ver. O meu caro amigo explicou que o terrorismo islâmico é culpa do que os seus alvos fazem. Ou seja, é um terrorismo que não nasce de ideias e objectivos próprios, mas sim da da acção prévia dos seus alvos. Isto é exactamente o que você quis dizer. A imagem do violador está de acordo com essa sua maneira de racionalizar o problema. No seu racional, o violador não viola porque quer, mas porque não pode deixar de responder à provocação da violada. Ela é bonita, veste-se de forma provocatória, logo é culpada da violação.

    Espero que exposto assim o seu racional, perceba o quanto ele é falacioso e iniquo

  22. Cigano

    O Pinto que me perdoe a incompreensão ; não sofisticada e òbviamente obscurantista, mas ” o que é que o cu tem a ver com as calças”?…

  23. “Pessoalmente este “falconismo” parece ser mais medo que algo com 0,001% de probabilidade alguma coisa aconteça”

    Sem dúvida. E torna por demais caricato que sejam exactamente esses a parecerem querer demonstrar que, por definição, o terrorismo venceu.

    “No entanto para mim implica que haja, tanto quanto possível, respeito pela vida e que a morte de inocentes que estão “do lado dos maus” seja, em muitos casos, um crime civilizacional por muito branqueado que seja. Isso é válido quando penso nos bombardeamentos de Dresden ou na matança de Badajoz.”

    É assinalável até a falta de memória (e até não é necessário buscar assim tanto no passado) dos que proclamam com sobranceria a superioridade moral dos “exércitos ocidentais”, quando não faltam exemplos das mais devastadoras acções militares com clara intenção de matar civis. Basta o bombardeamento de Dresden que refere, e pode-se-lhe acrescentar Hiroshima, Nagasaki e Tóquio.

  24. Duvmet

    “No entanto para mim implica”

    Pois, para si implica. E a sua opinião desinformada e eticamente enviesada, é a suprema verdade do universo. Tem uma opinião, uma fézada, está na sua, tem na cabeça todas as certezas de que precisa.
    Ortega Y Gasset tinha um nome pouco laudativo para pessoas cheias de si mesmo….

  25. Duvmet

    E, já agora, João Pinto, continuo à espera que demonstre a sua afimação de que os americanos usam os drones com a deliberada intenção de matar “civis inocentes”. Até lá, a sua argumentação vale um huevo, como dizem os espanhóis.

  26. tiago

    Duvmet, você manipula as conversas e não é honesto intelectualmente, partindo de preconceitos errados.

    1- Não expliquei, alguma vez, como os terroristas nascem.

    2- Pelo facto de eu dizer que determinados circunstâncias fomentam o terrorismo, não estou a desculpar os terroristas de ausência de “free will”. Pelo facto de afirmar que numa situação de guerra o número de violações aumenta, não estou a afirmar que a culpa é da mulher. Se o Duvmet acha que o ser humano é um ser hiper racional ausente das circunstâncias sociais, tenho más notícias- não é.

    3- Pelo facto de dizer que determinadas circunstâncias (uma sociedade violenta foi o que eu disse, e não referi “lados”, posso estar a referir à violência já existente da própria sociedade) fomentam o terrorismo não estou a estabelecer uma correlação causa-efeito, mas uma relação mais ou menos de senso comum.

    4- a utilização de “conceito jurídico”, tal como usou anteriormente não serve validar ou refutar um argumento

    5- não expôs o meu racional mas a sua mediocridade prepotente

    6- não respondeu às perguntas, e repetiu o argumento

    7- Se os terroristas usassem drones, seria isso sinal da sua ética?

  27. tiago

    Uma pessoa insulta a outra. Pessoa responde com um soco.

    conclusão 1: O insulto fomenta a violência

    Duvmet em relação a conclusão 1: “A imagem do violador está de acordo com essa sua maneira de racionalizar o problema. No seu racional, o violador não viola porque quer, mas porque não pode deixar de responder à provocação da violada. Ela é bonita, veste-se de forma provocatória, logo é culpada da violação.

    Espero que exposto assim o seu racional, perceba o quanto ele é falacioso e iniquo.”

  28. Duvmet

    Caro Tiago, compreendo que resista aos inevitáveis absurdos a que os seus argumentos conduzem. Não se deve irritar mas rever as suas premissas.

    Respondo à sua pergunta:

    1- Os terroristas usam o que tiverem para causar o maior dano possível. Alvejam deliberadamente civis porque é essa a lógica do terror. Se tiverem drones usá-los-ão para atacar onde possam causar mais impacto. Sem que qualquer tabu ético se intrometa. Nos exércitos ocidentais que eu conheço existem legal advisers que, perante um alvo, informam o comandante da adequabilidade das armas usadas para os neutralizar, sob o ponto de vista das leis da guerra.

    Assim sendo, se o terrorista com um drone o usar num alvo militar está a fazer a guerra, mesmo que civis morram na acção. Se alvejar civis deliberadamente, está a cometer um acto de terror.
    Da mesma maneira, se os terroristas usam os civis para se protegerem de ataques levados a cabo por forças que agem segundo regras éticas, a culpa da morte desses civis recai sobre os terroristas e não sobre as forças que os têm como alvo.
    Isto é tão cristalino que nem devia ser necessário explica-lo.

  29. jojoratazana

    “Ratazana, falácia argumentativa ad hominem.”
    Sempre me assustaram os cobardes, pois todos eles sãos potenciais criminosos.
    O Duvmet, é dos tais que defende a morte como autodefesa.
    Este é o seu modo de vida, não consegue viver sem projectar o medo e o terror.
    Assim não é de estranhar, que quem não pense como ele é um terrorista.
    As melhoras.

  30. Duvmet

    “O insulto fomenta a violência”

    Ok, então para si, a rapariga bonita fomenta a violação.

    Não percebe, Tiago, que nem a beleza da rapariga nem a percepção do insulto, são razão para, respectivamente, a violação e a agressão? Não entende que esses actos SÂO ESCOLHAS, do agressor e não inevitabilidades decorrentes do que a vítima faz ou é?

    Por favor, não se debata mais. O seu raciocínio não se aguente e a cada cavadela sua minhoca.

  31. tiago

    “Não percebe, Tiago, que nem a beleza da rapariga nem a percepção do insulto, são razão para, respectivamente, a violação e a agressão?”

    Percebo perfeitamente que , não são razão para tal, nem eu alguma vez afirmei isso! Consegue perceber o que significa “não afirmar algo”? Não seja difamador nem manipulador!

    Eu nunca respondi a um insulto com um soco, nem acho que haja legitimidade para tal. Mas sei que se andar aí a insultar a torto e a direito vou levar com um soco. Consegue perceber a diferença?! Pelos vistos não consegue ou não quer. Eu sei que esses actos são escolhas! Nunca disse que não o eram! É uma escolha responder a um insulto com um soco! Há pessoas que nem precisam de serem insultadas para dar socos! E há pessoas que podem ser insultadas a torto e a direito que nunca responderão com um soco!

    Se o Duvmet seguisse a sua lógica andaria na rua a insultar pessoas sem medo nenhum, porque no fim o que interessa são as escolhas hiper racionais das pessoas indiferentes ao insulto. Mas como deve ter um minímo de bom senso não o vai fazer com medo de levar um soco nas trombas!

  32. DF

    Duvmet, não vale a pena. Este é o produto de uma Europa que anda atarantada por ninguém lhe ligar nenhuma, com uma política externa confusa, uma economia decrépita, que precisa da energia Russa, mas não ousa afrontá-la na primeira ocasião, sem noções de trato. É uma Europa que sem se saber impor, vê o mundo de uma forma cândida e idealista. Porquê? Porque não tem quaisquer argumentos ou bases sólidas para ver de outra forma. Este é o produto que anda por ai a criticar o prémio Nobel como se a paz que temos vivido desde a 2º Guerra Mundial não valesse absolutamente nada. Esta é a Europa que só acorda quando há atentados ou quando o problema lhes bate à porta. Esta a Europa que quer combater o terrorismo mas nunca se chega à frente. Esta é a Europa zangada pelos drones Obama. Noutra altura, pelo ideal de gente produzida, abandonaríamos facilmente a NATO e já estávamos nos braços da União Soviética, que infames estes Americanos, como ousam tais ofensivas contra “inocentes”!
    Está bem espelhado nos jornais, nos artigos de opinião, nas pessoas. Estão zangados, o mundo já não os têm no centro do mapa. Sem armas, temos de usar da nossa retórica de pai do mundo civilizado.
    Basta ver outras regiões para se entender o que outros Estados pensam do mundo em que vivemos e compará-lo com a “Europe on valium”. Qualquer “white paper” esclarece a posição e perspectivas, aqui vivemos das banalidades e moralidades.

  33. Duvmet

    DF, temo bem que tenha razão. Criámos uma geração de suicidas, de gente que acredita que a paz é o fruto espontaneo de uma qq árvore, que a guerra não existe e que basta não a querer fazer para que ela deixe de existir.
    O problema não são os Joões, e Tiagos, o problema é a mentalidade suicida em que foram aculturados.
    Aquele livro que linkei lá acima, fala disso mesmo.

  34. lucklucky

    “Uma coisa é certa: os terroristas não nascem em número limitado e não se alimentam de sociedades pacíficas…”

    Um pouco de História iria ensinar-lhe a falsidade do que escreveu. Para começar “sociedades pacíficas” e depois números de terroristas são limitados.
    Por serem limitados é vários 911 não ocorreram.
    Os terroristas nascem por ideologia. As mulheres muçulmanas não se andam a explodir. Porquê? Porque não têm ideologia que as faça querer que aquilo seria certo.
    Se a esquerda europeia e a URSS tivessem apoiado mulheres árabes a explodir-se contra a sociedade patriacal teríamos tido muitos atentados.

    “Se os terroristas usassem drones, seria isso sinal da sua ética?”

    Não entende, não são os drones são as armas que os drones disparam e para onde disparam. Se a Al qaeda se dedicasse a atacar alvos militares não seria terrorista.

    “É assinalável até a falta de memória (e até não é necessário buscar assim tanto no passado) dos que proclamam com sobranceria a superioridade moral dos “exércitos ocidentais”, quando não faltam exemplos das mais devastadoras acções militares com clara intenção de matar civis. Basta o bombardeamento de Dresden que refere, e pode-se-lhe acrescentar Hiroshima, Nagasaki e Tóquio.”

    Tem piada como salta das posições legalistas para as morais – segundo a sua bitola – conforme conveniência. Não deu ainda que existem mísseis nucleares?
    Não é para matar militares. A retaliação é legal. A partir do momento em que o 1º lado se dedica a atacar as cidades do outro indiscriminadamente ou seja Guerra Total, o atacado tem todo o direito e dever de retaliar na mesma moeda se isso for essencial.

    Até temos o mapa das bombas lançadas sobre Londres: http://bombsight.org/#15/51.5050/-0.0900
    http://www.theregister.co.uk/2012/12/12/blitz_map/

    “parece ser mais medo que algo com 0,001% de probabilidade alguma coisa aconteça”

    Já foi verificar quantos atentados Islâmicos foram impedidos? Ainda há dias foi um na Alemanha. Mas como não sabe – pois os média de esquerda só notíciam aquilo que lhes é politicamente útil – para si nada acontece. E claro nem considera os atentados no mundo muçulmano.
    E ainda menos que não foram feitos porque um míssil atingiu uma casa onde estavam duas crianças e onde também estava o seu pai estava a preparar um atentado numa escola para meninas em Kabul.

  35. pois

    “Já foi verificar quantos atentados Islâmicos foram impedidos? Ainda há dias foi um na Alemanha. Mas como não sabe – pois os média de esquerda só notíciam aquilo que lhes é politicamente útil – para si nada acontece.”

    deixe-me adivinhar, o atentado foi impedido por um drone no Paquistão?

    “onde estavam duas crianças e onde também estava o seu pai estava a preparar um atentado numa escola para meninas em Kabul.”
    O lucky seria óptimo a escrever argumentos para hollywood.

    “Assim sendo, se o terrorista com um drone o usar num alvo militar está a fazer a guerra, mesmo que civis morram na acção. Se alvejar civis deliberadamente, está a cometer um acto de terror.”
    então os ataques com bombas às colunas militares americanas não são atentados. Então porque insistem em chamar a estes ataques atentados terroristas?

    ” Ou seja, é um terrorismo que não nasce de ideias e objectivos próprios, mas sim da da acção prévia dos seus alvos.”
    Então para sí as invasões militares não instigam revolta e ataques? Não fomentam terrorismo? Boa.

    “Já conheço o argumento. A culpa da violaçao é da rapariga que é bonita.”
    Com conversas absurdas é que a gente se entende.

  36. CN

    gostava de saber em que lado estariam estes nossos defensores securitários na Alemanha dos anos 30 com Estaline ao lado e os revolucionários comunistas internos.

    Como disse o Yoda: “Fear leads to anger. Anger leads to hate. Hate leads to suffering”

  37. lucklucky

    “deixe-me adivinhar, o atentado foi impedido por um drone no Paquistão?”

    Só para demonstrar que a conversa de que nada acontece é falsa. Aliás eu posso dar~lhe a lista dos atentados/ataques islâmicos a cada dia.
    Mas pela sua ausência de imaginação não me parece que consiga perceber.

    “O lucky seria óptimo a escrever argumentos para hollywood.”

    Não tem nada de especial . Os Talibans não colocam bombas em escolas de meninas? Os Talibans não têm filhos? Então que tem de especial alguns reunirem nas traseiras da casa a prepararem a próxima operação?

    “Então para sí as invasões militares não instigam revolta e ataques? Não fomentam terrorismo? Boa.”
    Não sabe o que é ideologia?
    Por exemplo 1943 o Exército Alemão eram bem maior que em 1939 mas a guerra já estava perdida. O que é que isso quer dizer? nada.
    O 911 do instigou a invasão do Afeganistão. E depois?
    Não sabe que vive no planeta terra onde acções e inacções(esta última parte convenientemente esquecida) têm consequências?
    O que instigou o 911 é o que você não quer responder não é… pois os EUA tinham abandonado o Afeganistão quando os Soviéticos saíram de lá. Ou seja comportaram-se by the book como pura realpolitik. E tivemos o 911.
    Porque simplesmente os EUA são uma ameaça cultural ao Islão.

    Uma boa parte da esquerda é puramente desonesta porque sabe. Mas há uns que parecem não saber que por vezes a escolha é só entre mau e péssimo.

    Dou~lhe as festividades para ontem e anteontem :

    Five female Pakistani polio vaccination workers have been fatally shot in a string of co-ordinated attacks – four within 20 minutes across Karachi.
    No group has said it carried out the shootings, but the Taliban have issued threats against the polio drive.
    “These were pre-planned and co-ordinated attacks in various localities which took place within a span of 20 minutes,” Imran Javed, a police spokesman told the BBC of Tuesday’s attacks in Karachi.

    Unidentified terrorists blew up the building of PTCL exchange in Lachi town of Kohat district in the small hours of Sunday.

    QUETTA: Unknown gunmen attacked the car of deputy director of the department of Public Relations on Monday near Liaquat park killing the official and three policemen, DawnNews reported.

    In the Libyan city of Benghazi two explosions rocked police stations while a third attack was foiled by the police, according to a security official who added that there were no casualties

    BAGHDAD, Dec. 17 (Xinhua) — A new wave of bomb attacks, including 10 car bombings, targeted both Iraqi security forces and civilians across the country on Monday, killing a total of 32 people and wounding more than 100 others.

    Car bomb kills 19 near government offices in Pakistan tribal area.

    Two civil servants were killed and five others, including a female teacher, injured in a fresh gun attack in Narathiwat’s Cho Airong district yesterday.
    (…)
    About 1,200 schools in the deep South called off classes on Thursday and Friday after five armed men stormed Ban Ba-ngo school in Pattani’s Mayo district and opened fire, killing the school director and a teacher on Tuesday last week.
    (…)
    Brad Adams, Asia director of New York-based Human Rights Watch, yesterday called on Muslim insurgents in the deep South to stop killing teachers.

    Estes ataques a escolas – consequência de uma decisão política baseada numa ideologia religiosa totalitária e não de um louco – já não fazem parte dos jornais tugas…

  38. “CN, finalmente a Lei de Godwin. Já tardava!”

    Folgo em ver que as suas expectativas em relação aos comentários deste artigo se concretizaram.

    Algumas das minhas, felizmente, materializaram-se bem mais rapidamente. Umas demoraram quatro comentários a concretizar. Outras treze. Tudo muito rápido.

  39. pois

    “Não tem nada de especial . Os Talibans não colocam bombas em escolas de meninas? Os Talibans não têm filhos? Então que tem de especial alguns reunirem nas traseiras da casa a prepararem a próxima operação? ”
    As crianças não estudam na escola? Ao estudar não podem vir a ser médicos? sendo médicos, não podem ser geniais? sendo geniais não podem inventar vacinas que podem salvar milhões de pessoas? uma dessas crianças não pode vir a ser um desses médicos? Um ataque de drone pode vir a salvar milhões de pessoas. Não tem nada de especial.
    LOL, é sempre divertido perder tempo por aqui.

  40. Pingback: Top posts da semana « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.