O Hamas existe?

Num delirante comunicado, o “PCP condena ataques de Israel contra a Palestina e a Síria”. (Sim, leram bem, a Siria). No comunicado ficamos sem perceber onde entra o Hamas e a as centenas de rockets que este lança regularmente sobre Israel. Como bons comunistas, tudo o que nao cabe na equaçao é eliminado da fotografia.

Mais ridiculo  é recordarem que o presente conflito decorre numa altura em “se assinala o 24º aniversário da proclamação da independência da Palestina pela Organização de Libertação da Palestina (OLP).”  Presumo que se refiram à organizaçao mafiosa que foi expulsa de Gaza pelos terroristas do Hamas. Mas presumo que isto tambem tenha sido elimado da historia oficial.

(via David Levy)

62 pensamentos sobre “O Hamas existe?

  1. Nope

    “…expulsa de Gaza pelos terroristas do Hamas.” – expulsa ? A maior parte dessa máfia (e que também era partido da oposição, não esquecer) foi assassinada; existem vídeos disso !

  2. Ala que se faz tarde

    Quando de fala do programa político do Likud, os comentários são apagados. A Frente Nacional em França faz o mesmo na página deles. Agora andam com umas amizades novas. Até com gente do Likud.

  3. Ala que se faz tarde

    Para apagar comentários é preciso ler, portanto… fique a saber que o vosso amigo Likud, no governo actual, aprova esta guerra para inventar um crescimento económico. É que lá como cá, estas coisas da austeridade não funcionam. Mas eles têm uma vantagem que nós não temos. Podem inventar guerras com cobertura dos Estados Unidos.

  4. Miguel Noronha

    Uma vez sem exemplo. Aprovei-lhe este comentario soh para me rir um pouco. Como qualquer estudante do primeiro ano de economia (ou qualquer pessoa com um minimo de senso comum) sabe a guerra e o crescimento economico nao andam propriamente de mao dada. Este provoca destruiçao da capacidade produtiva e infraestruturas e desvio de recursos da produçao de riqueza.

    De resto, informo-o que Os Protocolos dos Sabios de Siao jah foram inventados na Russia ha mais de cem anos.

  5. mggomes

    Os Protocolos dos Sábios de Sião e a Falácia da Janela Partida.
    Dois clássicos intemporais, aos quais a esquerda continua a não saber resistir!

  6. GMI

    O apoio ao terrorismo feito pelo PCP não me choca, muito antes pelo contrario….
    As politicas dos comunistas são baseadas no Ódio. O comunismo é o ódio dos que não querem trab…(pronto não vou acabar…). No fundo eles dizem-se ateus, mas eles são uma religião – acredita-se mesmo sem perceber a razão (a Fé comunista). Em suma Comunismo = Terrorismo. (eu acho normal eles apoiarem os primos do Hamas)

  7. Duvmet

    Há que perceber os instrumentos que os comunistas usam para racionalizar o mundo. Não é ódio nem é cinismo, é um genuíno sofisma.
    Os comunistas olham para tudo na perspectiva do determinismo histórico e da luta de classes. ( Alvaro Cunhal chegou a teorizar que o processo que culminou em Aljubarrota, em 1385, era um clássico episódio da luta de classes). Assim, para eles a coisa é clara: de um lado estão os oprimidos, os explorados, o proletariado, digamos. Do outro os exploradores, os opressores, os capitalistas.
    E não há melhor boneco do “capitalista” do que um judeu, não é?
    Assim sendo, e estando escrito nas tábuas eternas do determinismo histórico , que o final será a vitória do proletariado (neste caso, os árabes), o que se passa ali é um episódio da luta de classes e o resultado será o que está profetizado, isto é, o proletariado vencerá. O bom marxista posiciona-se sempre do lado do proletariado contra o capitalista, o certo contra o errado, o justo contra o injusto. Há uma missão histórica a cumprir e o bom marxista, apesar de não duvidar na vitória final, dá sempre uma ajuda à justa luta.
    De resto não foi Marx, um exemplo típico do self-hating jew, que escreveu que o “capitalista é o verdadeiro judeu”?

    Isto não é uma caricatura ou uma simplificação….é assim que os comunistas encaram tudo o que se passa à volta. Há que perceber os seus axiomas para entender as posições que tomam e as conclusões disparatadas a que chegam.

  8. Outra coisa não era de esperar dos comunistas e seus seguidores. Mas porque será que eles não vão para esse paraíso? Infelizmente temos que os aturar por cá.Até quando?

  9. Duvmet

    Ah, e já agora, o GMI tem razão…de resto não há melhor imagem do que a do célebre comunista Roger Garaudy agora convertido ao Islão. Ou de Carlos, o Chacal, a declarar que só o Islão pode vencer o capitalismo.
    Companheiros de estrada, meus caros, companheiros de estrada. Como se pode comprovar lendo:
    http://www.amazon.com/esquerda-Companheiros-Ocidente-Portuguese-ebook/dp/B009TWHI46/ref=sr_1_2?ie=UTF8&qid=1353413217&sr=8-2&keywords=Isl%C3%A3o

    http://www.amazon.com/esquerda-Companheiros-Ocidente-Portuguese-ebook/dp/B00A2Y9EGK/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1353413217&sr=8-1&keywords=Isl%C3%A3o

  10. GMI

    jose quando andar à bulha com alguém deixe-se ficar por terra….(vou estar atento e quero vê-lo a sangrar bastante LOLOL)
    Não sei se alguém sabe, mas os rockets chegaram a ser atirados contra escolas, casa, cidades, carros, para as ruas onde passeavam pessoas,… – o povo estava com medo e inseguro – (ao todo contam-se mais de 1000 rockets. Para bombas há dinheiro, mas para comida não). Não podemos ver as coisas por um prisma… Israel tem direito a se defender assim como nós também (caso tivéssemos na mesma situação).
    Agora Israel tem uma coisa que a Palestina não tem (e muito dificilmente terá mesmo tornando-se num estado), que é saber viver numa sociedade respeitando o outro e onde todos trabalham em prol de um bem comum… por isso é que não morreu assim tantas pessoas… pois as pessoas eram evacuadas o que não aconteceu em Gaza quando Israel disse que ia atacar pontos específicos de edifícios do Hamas.

    http://www.mako.co.il/news-world/arab/Article-e01bbc9935d1b31004.htm&sCh=31750a2610f26110&pId=786102762
    (o ódio dos extremistas)

  11. O PCP também emitiu um comunicado a desejar as melhoras do assassino Fidel Castro e não aprovou a moção de censura contra o assassino Mugabe, por isso, que se pode esperar de um partido sem o mínimo de princípios?

  12. Ala que se faz tarde

    Como é que se evacua Gaza com quase 2 milhões de pessoas a viverem num sítio parecido com Sintra?

  13. Miguel Noronha

    Como foi dito pelo GMI a IDF indiciou os pontos especificos que iam atacar. Esses podiam perfeitamente ter sido evacuados.

  14. jsp

    Suspeito, já há algum tempo , que a Filial dos bernardinos nunca terá sido informada da falência da casa-mãe…

  15. “…resumo que se refiram à organizaçao mafiosa que foi expulsa de Gaza pelos terroristas do Hamas:”

    É fácil falar assim dos outros, pois, lá está a OLP resumida a uma organização mafiosa.
    Partindo de tais generalizações, depreende-se que todos membros da OLP são perigosos mafiosos. Esta forma de desclassificação é profundamente demagógica. Eu também poderia dizer, se fosse palestiniano e fazendo uso da tua lógica, que o PSD é um partido de corruptos, ao ter recusado reduzir as verbas para as próximas eleições autárquicas e baixar os salários dos políticos (duas propostas, curiosamente, vindas do parceiro da coligação,e não da tenebrosa extrema.esquerda). Em que ficamos?

  16. “( Alvaro Cunhal chegou a teorizar que o processo que culminou em Aljubarrota, em 1385, era um clássico episódio da luta de classes)”.

    Curiosamente, o meu professor de História Económica na FCSH, que diga-se era um liberal, deu-nos a ler essa obra do dr. Cunhal, à qual não dispensou elogios vários.

  17. Miguel Noronha

    Quem sou eu para negar que o PSD tem alguns corruptos. O poder ou a sua proximidade propricia este tipo de coisas. Dai uma excelente razao para limitar o poder dos politicos e os fundos ah sua disposiçao. Nao estou eh a ver em que medida as duas questoes que levantas (e que terao sido recusadas pelo PSD) o tornam necessiaramente num partido corrupto. Mas quem sou eu para frustar as tuas ilusoes.

    Quanto ao resto. Repito. A OLP nos territorios na Cisjordania actua com uma organizaçao mafiosa. Uma nao, varias. Ja que os varios centros poder tem os seus proprios gangs. Em Gaza jah nao actuam porque foram aniquilados (nalguns casos literalmente como lembraram num comentario) por uma organizaçao que centraliza esse tipo de actividade.

  18. “Nao estou eh a ver em que medida as duas questoes que levantas (e que terao sido recusadas pelo PSD) o tornam necessiaramente num partido corrupto”
    Claro que não… que o dinheirinho é só para colar cartazes.

    Então a existência de gangues permite afirmar que toda uma organização é corrupta? É corrupta porquê? Porque não controla esses grupos? Por esse critério onde houver gangues tudo o mais é corrupto. Portanto, o mundo é só corruptos 😉

  19. Miguel Noronha

    “Então a existência de gangues permite afirmar que toda uma organização é corrupta? ”
    Essencialmente. A sua actividade resume-se praticamente a isso.

  20. Miguel Noronha

    “Claro que não… que o dinheirinho é só para colar cartazes.”
    Eu diria que o controlar de metade do PIB eh uma maior fonte de corrupçao. Mas pronto. Provavelmente o salario dos politicos tera um peso significativo nisso.

  21. Duvmet

    Luis Marvão, não entendi se o seu liberal professor elogiou ou não a tese do Alvaro Cunhal. A sua frase é confusa. Mas pelo tom dela, entendi que sim, que elogiou.
    Se eu a avaliasse, provavelmente tb lhe daria uma razoável nota. O raciocínio é claro e as conclusões decorrem logicamente das premissas escolhidas.
    O problema está nas premissas. O comunista típico é como um matemático. Fixa, sem demostração, alguns axiomas e deles deduz, por processos lógicos, os teoremas e corolários adequados.
    É como na geometria. Na euclidiana, o caminho mais curto entre dois pontos é uma recta. Nas não euclidianas, é uma curva.
    No caso dos comunistas, se se aceitar os axiomas da luta de classes e do determinismo histórico, todos os conflitos podem ser moldados para caberem no formato certo.
    No caso vertente, não importa que aquilo que o PCP diz não condiga com a verdade dos factos. A conclusão a que chegam é “verdadeira”, porque está de acordo com o devir histórico. Verdade e mentira, no conceptual marxista, não se deduzem da adesão da narrativa aos factos, mas sim dos factos à narrativa.

  22. lucklucky

    O PCP é 1984 e o Triunfo dos Porcos pura e simplesmente.

    Não é de admirar a falta de avisos sobre o islâmico Hamas daqueles comunistas que aqui nos comentários que nos avisam contra o Islamismo dos rebeldes Sírios contra a ditadura nacional-socialista dos Assad.

  23. jose

    ó GMI, vai pentear macacos. basicamente aqui neste estimado blog é assim: palestiniano morto =/= israelita morto. normalmente depende da proporção. Se é civil, do hamas, criança, velho, gato ou cão n é lá mt importante. Israel comporta-se da mesma maneira que aqueles a quem chama de terroristas. ponto final parágrafo. Todo o estrume restante que tu e os teus amigos aqui debitam não vai alterar esse facto.

  24. Pisca

    Para quem ache que historia se desenrola por causa Nossa Senhora e das Aparições ao Santo Condestável, é natural que a obra de Álvaro Cunhal tenha algo de substancial para além do título

  25. Duvmet

    Quem espreitar a carta do Hamas, cujo link está acima, pode deliciar-se com a referência clara e descarada aos Protocolos dos Sábios de Sião.

  26. Duvmet

    Pisca, meu rapaz, as explicações do Cunhal são as da luta de classes. As de outros historiadores mais, digamos, clássicos e descomprometidos com uma crença ideológica, referem coisas como a Guerra dos 100 anos, o Grande Cisma, as disputas dinásticas, a organização feudal, os alinhamentos familiares, etc,etc.
    Coisas complexas mas que não têm lugar no instrumental marxista.
    Mas reconheço que sim, é mais fácil utilizar a grelha marxista. Polarizar a infinita complexidade de uma situação, numa simples dicotomia é confortável. Já imaginou ter de descrever todos os graus de cinzento entre o preto e o branco? Não é mais fácil dizer que só existe o preto e o branco?
    Foi o que fez o Cunhal, de resto um bom intelectual marxista. Especializado portanto em dicotomias simples e carregadas de adjectivos morais.

  27. jojoratazana

    Para estes (humanistas), um palestiniano bom é um palestiniano morto.
    A frustração desta gente vai ser grande, se os sionistas não matarem uns milhares de palestinianos.

  28. mggomes

    “.O PCP é 1984 e o Triunfo dos Porcos pura e simplesmente”

    Nem mais!

    E se atendermos a que a URSS foi um dos primeiros países a reconhecer o Estado de Israel, bem podemos constatar que o Ministério da Verdade se tem fartado de trabalhar.

    Só se têm esquecido é de dizer aos camaradas que são dois minutos de ódio, apenas.
    Era escusado andarem o dia todo a verter o seu ódio contra Israel!

  29. Duvmet

    “frustração desta gente vai ser grande, se os sionistas não matarem uns milhares de palestinianos.”

    Quit the opposit, my friend rat, quit the opposit.

    Os jihadistas parecem estar bastante frustrados pelo facto de os seus misseis balísticos não matarem tantos judeus como desejariam.
    Pelo contrário os “sionistas” ( já reparou que usa a mesma terminologia desse vulto intelectual que é o Amadinejad?) só querem que os jihadistas parem de lançar mísseis balísticos e granadas de morteiro sobre as povoações israelitas. E têm-se dado a grandes ginásticas para evitar atingir as populações.
    Como deve imaginar, não seria tecnicamente dificil aos “sionistas”, arrasar completamente Gaza.

    O outcome deste conflito vai ser apenas um: os jihadistas vão deixar de alvejar Israel.
    De uma forma ou de outra.
    Ou comprometendo-se a fazê-lo, de uma forma que possa ser aceite pelos “sionistas”, ou obrigando os “sionistas” a descer ao terreno e destruir os mísseis e projécteis.

    Até os sanguinários “sionistas” preferem a 1ª opção. Tal como aconteceu no Líbano, recorda-se? Reparou que o Hezbolah deixou de lançar mísseis sobre Israel?
    Voilá!

  30. Lobo Ibérico

    jojo, enxergue-se.

    Vou reproduzir aqui um comentário que li no fim-de-semana no Slashdot, para quem tem sempre a solução para o conflito na ponta da língua (ou dos dedos, neste caso) — http://tech.slashdot.org/story/12/11/17/1539205/anonymous-attacks-israeli-websites-in-response-to-idf-operation-in-gaza:

    “I will give you a few simple ways to know whether your point on view on the Israeli-Palestinian conflict is incorrect:

    If you think you can spot a clear villain, you are wrong
    If you have a simple solution, you are wrong
    If you think that Israel should do (or stop doing) something and the Palestinian should do (or stop doing) something, then you are probably right, but also out of touch with what is possible to achieve

    I’ll illustrate with an example:

    I don’t know how to solve the problem in the region, but it’s a problem that was deliberately created by creating the nation of Israel smack dab in the middle of everyone that hated them and everyone that they hated.

    Deliberately by whom? Also, the great opposition to the Zionist movement started a (relatively) long time after Jews started immigrating to (then) Palestine.

    It’s past time to do something.

    Right. Because, obviously, there is a solution. You can’t think of one, but there must be something that can be done that is better than what is currently being done, right? I mean, none of the leaders could think of anything, and not one “expert” on the subject offers anything that has not been tried before and failed, but drinkypoo says that something can be done, so it must be true.

    It’s too late to turn back the clock, which is unfortunate, because not doing it in the first place would clearly have been the best solution.

    Really? My mother’s mother, and her brother and sisters, that left Germany between 1930 and 1936, beg to differ.

    Israel’s blockade of the strip is probably illegal,

    International law seems to disagree with you on that point.

    and the only people who can stop them won’t because they have too much to gain by maintaining the status quo. Keeping that region in a condition of endless war keeps all of those people busy.

    The only people I can think of who can stop this without causing even more bloodshed are Hamas leadership (proof: The west bank’s leaders decided to mind their own business, and are experiencing both more freedom and more economic prosperity, despite the fact that, unlike the Gaza strip, Israel still occupies that region). While I suspect that the motives you claim for why they do that are, more or less, correct, I somehow doubt that’s who you meant.

    Shachar”

    Ênfase nisto:

    “I will give you a few simple ways to know whether your point on view on the Israeli-Palestinian conflict is incorrect:

    If you think you can spot a clear villain, you are wrong
    If you have a simple solution, you are wrong
    If you think that Israel should do (or stop doing) something and the Palestinian should do (or stop doing) something, then you are probably right, but also out of touch with what is possible to achieve”

  31. lucklucky

    Podes tentar lançar todo o estrume que tens sobre o outros josé. A verdade é muito simples

    1300 ataques vs 100 mortos muitos deles combatentes do Hamas e da Jihad.

    Se Israel quisesse matar palestinianos bastava um destes ataques para fazer 100 mortos.

    Como era de esperar o jojoratazana e o pisco desta vez não nos vieram avisar dos perigos islâmicos do Hamas e da Jihad Islamica como fazem quando falam regime amigo de Assad…
    o silêncio é ensurdecedor.

    “E se atendermos a que a URSS foi um dos primeiros países a reconhecer o Estado de Israel”

    🙂 Na altura para os Soviéticos os árabes eram primitivos e os judeus supostamente queriam o soci@lismo. Só que no fim o soci@lismo dos judeus era do kibbutz. ou seja cada um podia escolher a la carte.

    Coisa impossível para jojoratazanas deste mundo adeptos da pata totalitária do centralismo e do poder da estrutura sobre a pessoa.

    Depois os comunistas infectaram os árabes com as suas tácticas de extermínio e terror e levaram os palestinianos como idiotas úteis. Note-se que o terror começa sempre dentro do próprio movimento. O primeiro terrorismo foi de Palestinianos contra Palestinianos para a ala marxista tomar o poder.
    Aliás vários ataques contra Israelitas o principal objectivo não foi matar israelitas mas tomar o poder no movimento palestiniano afastando quem não seguisse a cartilha neo-soviética.
    A mensagem era clara: também pode acontecer a ti.

  32. jojoratazana

    “O Sionismo é um movimento político e filosófico que defende o direito à autodeterminação do povo judeu e à existência de um Estado judaico independente e soberano no território onde historicamente existiu o antigo Reino de Israel”
    Eu sou judeu e tal como outros milhões de judeus, não sou sionista.
    Posso ter esta opinião?
    Mas nesta questão e em muitas outras, falam mas não sabem do que falam, já afirmei várias vezes que as únicas ideias que discutem, são as ideias feitas.

  33. Duvmet

    Obrigado pela meia resposta, ratazana, estou à espera que me diga o que entende por “judeu”.

    Se bem percebi da sua definição de sionismo e da sua posição face a ele, você é contra a existência de Israel como estado judaico independente.
    Uma vez que esse estado existe, isto significa que você advoga a sua extinção/destruição, tal como o Irão, o Hamas e o Hezbolah?
    Estou enganado?
    E, já agora, porque razão é pela destruição de um estado judaico e não, por exemplo, pela destruição da Síria, um estado árabe, ou de uma República Islâmica, como o Irão?
    O que há em Israel que atrai tanto a sua hostilidade, mas que não encontra nos restantes 200 países do mundo?

  34. jojoratazana

    Lamento que ponha palavras na minha boca.
    Mas a sua desfaçatez e falta de humildade, são reveladoras da sua falta de dignidade.

  35. Duvmet

    Registo que não respondeu à minha pergunta sobre “o que é um judeu”.

    E recuso a acusação que me faz. Limitei-me a extrair uma conclusão lógica das suas duas premissas. O ratazana disse que o que entendia por sionismo. E disse que não era sionista.
    Ora se não é contra a extinção de Israel, em que consiste o seu antissionismo?

    Porque razão se irrita quando estou a tentar entender a racionalidade do seu raciocínio?
    E porque razão me insulta? O facto de eu ter “desfaçatez”, “falta de humildade”, ou até ser feio, gordo, careca ou desdentado, não é minimamente relevante para a discussão de ideias.
    Eu quero apenas perceber as suas posições. Isto é um blogue, um debate de ideias e se o ratazana quer expôr a firmeza das suas, não deve ter medo de as clarificar.

  36. lucklucky

    O jojoratazana já respondeu há muito apoiando o Hamas. Obviamente que é a favor da destruição de Israel.

    Pray for black body bags…

  37. Pingback: O Hamas existe? (2) « O Insurgente

  38. Duvmet

    Ratazana, você disse que é judeu.
    Professa o judaísmo?
    Se professa, e acredita que um judeu é um crente no judaísmo, então como explica que haja judeus que não são crentes? Einstein, por exemplo?
    Se não professa, porque se define como judeu?

  39. jojoratazana

    Já lhe perguntei se era cristão?
    Ou é sionista?
    Professa alguma religião?
    Não espero nenhuma resposta, porque não me interessa aquilo que faz, só aquilo que apregoa.

  40. Duvmet

    Se não espera resposta, não devia perguntar. Mas eu, ao contrário do ratazana, respondo sempre às suas questões. Sou agnóstico e simpatizo com Israel.

    As questões que lhe coloquei destinam-se a entender as contradições óbvias do seu discurso.

    Repare, você afirmou lá acima que era judeu mas não sionista.
    Depois disse que um sionista é alguém que defende o sionismo, isto é, a existência de um Estado para os judeus. Uma vez que você não defende essa existência, só pode defender a sua não existência, já que não há meio termo entre existir e não existir. E uma vez que esse Estado existe, isso significa que advoga a sua extinção. Branco é, galinha o põe.

    Mas você é judeu, garantiu. E precisou que judeu é aquele que professa o judaísmo. Não fui eu que disse, foi você.
    A questão que lhe coloquei é simples: se você se afirma judeu mas não professa o judaísmo, será que afinal judeu pode ser outra coisa qualquer que não apenas uma fé religiosa? Uma identidade, talvez? Uma pertença? Como, por exemplo, um português dizer-se português?

    Em suma, uma vez que as suas afirmações taxativas sobre a questão chocam frontalmente umas com as outras, não acha justo concluir que está bastante confuso? E talvez não tenha digerido este assunto como devia ser? E que, em consequência, os disparates que aqui escreve, talvez se devam , não à razão, uma vez que ela não está presente no seu raciocínio, mas a uma paixão que nasce, não no córtex, mas talvez no tronco cerebral, quiçá até abaixo da cintura?
    Ódio, talvez? Ódio ao judeu ou, em novilíngua, ao “sionista”?

    Repare que a maneira como o ratazana responde é sempre agressiva e um normal psicólogo verá logo nessa agressividade uma defesa. Uma defesa contra aqueles que, argumentado, deixam a descoberto a fragilidade das suas convicções.

  41. jojoratazana

    Há gente que afirma que o branco é vermelho, perdão encarnado.
    A essa gente, ninguém perde tempo a contrariar.
    Mas convenhamos deve de ser muito triste, todos os dias assim que abrem os olhos só verem o encarnado à sua volta.
    Fiquemos por aqui, detesto raciocínios de rabo na boca.

  42. Duvmet

    Não devia ficar por aqui, ratazana. Uma vez claramente demonstrada a irracionalidade e a inconsequência do seu discurso nesta matéria, nomeadamente o uso de termos (sionista e judeu) que não parece compreender e que se contradizem em catadupa, deveria fazer um exame de consciência e interrogar-se porque razão as suas simpatias e antipatias não são possíveis de circunscrever no campo da racionalidade.
    Há um problema consigo e uma pessoa normal não descansaria enquanto não se examinasse a si mesmo.
    Claro que não tem de o fazer em público mas na sua própria consciência, onde não se consegue esconder de si mesmo.
    Deveria questionar-se a si mesmo, de onde vem esse ódio que o consome, essa detestação do “sionista” e de Israel, a quem encara como o “judeu” do sistema internacional.
    E, olhando para si e para a História, questionar-se porque razão esse sentimento tão profundo é tão inquietantemente semelhante ao que moveu os autores de milhentos pogroms, por esse mundo fora.
    Porque razão odeia um país minúsculo, rodeado de centenas de milhões de pessoas em países retrógrados e violentos. Porque razão odeia um país que em 60 anos fez florir o deserto e, sem recursos naturais e sempre soba ataque, se transformou numa potência tecnológica e militar, mantendo uma democracia vibrante, uma imprensa livre e um estado de direito inatacável.
    Não me responda a mim, mas a si mesmo.
    Com a franqueza , a simplicidade e a racionalidade de que não foi capaz neste debate.

  43. Lobo Ibérico

    @Duvmet,

    “E, olhando para si e para a História, questionar-se porque razão esse sentimento tão profundo é tão inquietantemente semelhante ao que moveu os autores de milhentos pogroms, por esse mundo fora.
    Porque razão odeia um país minúsculo, rodeado de centenas de milhões de pessoas em países retrógrados e violentos. Porque razão odeia um país que em 60 anos fez florir o deserto e, sem recursos naturais e sempre soba ataque, se transformou numa potência tecnológica e militar, mantendo uma democracia vibrante, uma imprensa livre e um estado de direito inatacável.
    Não me responda a mim, mas a si mesmo.
    Com a franqueza , a simplicidade e a racionalidade de que não foi capaz neste debate.”

    Simplesmente brilhante.
    * standing ovation *

  44. jojoratazana

    Agradeço imenso a sua preocupação, mas a minha filosofia humanista, leva-me a não destrinçar alinhamentos ou cores apenas razões e motivos, a morte para mim é uma violência que não aceito de modo algum, mas as pessoas extremistas como o senhor e mais alguns que por ai andam, tudo aceitam em nome da vossa verdade, por mais torpe que ela seja.
    Eu não sou assim, aceito a vontade dos sionistas desde que no respeito das directivas da ONU, nem distingo como o senhor os países como rétrogrados e violentos, apenas os vejo como povos, com os seus anseios e vontades com direito a terem os seus modos de vida, os seus usos e costumes.
    Assim como aceito o estado de Israel, também aceito o País Basco, a Catalunha, a Escócia e todos aqueles que por vontade dos seus povos, determinem essa vontade.
    Num ponto está enganado, não tenho necessidade de fazer nenhum exame de consciência, pois psicologicamente sou uma pessoa resolvida, sem dramas nem tabus, e muito menos com medo de fantasmas.
    Aprenda a não questionar os outros, sem antes se questionar a si mesmo.
    Vai ver que muito vai aprender.
    Pois não é dono da verdade.

  45. jose

    Este duvmet consegue ser psicanalista, politólogo, paternalista e peneirento tudo ao mesmo tempo. Podia era treinar o inglês. Examina-te pá, examina-te!

  46. Pingback: Top posts da semana « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.