No Fio da Navalha

 

O meu artigo de hoje no i.

A indignação fingida

Várias das figuras pardas do regime já se lamentaram sobre o estado em que o país se encontra e que nunca imaginaram ser possível. Afirmações inacreditáveis vindas de cidadãos com acesso privilegiado aos dados do país. Que sabem o que foi discutido nos gabinetes nos últimos anos, tomando eles próprios muitas das decisões que nos conduziram aqui. Pessoas influentes, que proferem afirmações sabendo a influência que detêm e que falam agora como se não tivessem existido no passado.

O mais confrangedor é que a insolvência do Estado foi previsível. Foi-o para os que pregaram no deserto nos últimos anos, mas também para todos os cidadãos que fizeram uso da razão e foram imparciais. Que não tinham interesse no statu quo e eram isentos. Foram poucos, mas falaram. Como falam ainda hoje.

Não há nada mais ofensivo para a inteligência de alguém que assistir ao esforço daqueles que, nunca querendo saber o que realmente se passava, vendem o seu espanto com indignação. O Estado faliu devido a 30 anos de disparates: concessão aos interesses das corporações com acesso ao poder político; aumento da intervenção do Estado; aumento gradual da carga fiscal sobre quem trabalhava; contratação pública para disfarçar a incapacidade do sector privado de criar emprego à velocidade a que se aumentavam os encargos do Estado, a que se juntou a incapacidade deste de cumprir as suas funções fundamentais. Quem ficou surpreendido com o que aconteceu? Fomos crédulos, mas não podemos ser estúpidos.

Anúncios

5 thoughts on “No Fio da Navalha

  1. Paulo Pereira

    Muito bem, especialmente depois da intervenção do FMI em 1983-1985 não havia desculpa para os continuados erros de politica económica a partir de 1990.

    Quem quer uma moeda forte externa deve saber que tem que exportar mais do que importa.

    Acho que quem negociou a adesão ao euro a partir de 1991 sabia pouco de economia !

  2. Andre

    Espanta-me que ainda ninguem aqui do Blog tenha comentado a historia da Hostess. Uma empresa que iniciou um processo de insolvencia nos EUA. A Administracao quixa-se da intrangisencia dos sindicatos…

  3. Euro2cent

    > mas não podemos ser estúpidos.

    Quer dizer … estritamente falando … podemos.

    Sai é um bocado caro. Mas ao menos não temos um abominável regime “salazarento”, em que os governantes morriam pobres.

  4. Pingback: Top posts da semana « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.