Mapas NYT sobre as Eleições EUA 2012

Como já deverão saber, o mapa por estados é este:

Ou seja, Romney manteve os de Mc Cain e venceu ainda Indiana e Carolina do Norte (a vermelho escuro).
Para vencer precisava de ter vencido mais estados indecisos até à última como ColoradoFloridaVirgínia e o importantíssimo Ohio (que desde que eu me lembre sempre votou no vencedor). Os Hispânicos do dois primeiros, os empregados federais no terceiro e os trabalhadores do Sector Automóvel no quarto revelaram-se um obstáculo que Romney não conseguiu superar perdendo por cerca de 100.000 votos em cada um deles.

Naturalmente, Romney venceu na maior parte dos condados (“counties”) – é assim aliás que os Republicanos dominam o Congresso – mas perdeu nos urbanos, que decidiam os estados devido o seu peso populacional. Veja-se por exemplo o estado onde Obama foi senador (Illinois) onde grande parte dos condados estão a vermelho mas no canto superior esquerdo Chicago garantiu a Obama uma vitória folgada no estado.

Para melhor entender o mapa anterior, veja-se este em que a cada condado foi atribuída uma bola de acordo com a vantagem de um candidato face a outro em votos absolutos. Veja-se a relevância de cidades como Seattle (canto superior esquerdo), San Francisco e concelhos anexos na California, Los Angeles (o maior círculo na California), Chicago no Illinois, Miami no canto inferior direito e Nova Iorque e restantes cidades da costa leste no canto superior direito.

Washington D.C., apesar de muito mais pequena que as outras, aparece grande pois nela Obama ganhou por uns expressivos 91,4% – 7,1% (a mensagem “small government” não é muito bem recebida na capital federal).

Romney tem a seu favor Dallas no Texas, Atlanta na Georgia (sede da CNN), diversas cidades no Utah (que apesar de pequenas aparecem no mapa devido ao histórico 72,8% – 24,9% no estado Mormon), e muitos outros mais pequenos e menos cosmopolitas.

No fim, o país virou à direita mas não o suficiente. As setas neste mapa mostram a variação de votos das presidenciais anteriores (Obama-McCain) para estas (Obama-Romney). A crise e o desencanto com o Obama tiveram o seu efeito, mas no fim Romney não foi suficientemente motivador para vencer os 4 estados essenciais referenciados no início (Colorado, Florida, Virgínia e Ohio), perdendo todos por cerca de apenas 100.000 votos cada.

Teria Romney ganho se não tivesse mal tratado Ron Paul (cujos aliados ganharam 8 – 3)?
Teria Romney ganho se não houvesse incidentes menores ou até alguns mais graves?

Nada disso interessa agora. Acabou. Obama está reeleito. Parabéns.
As nossas vidas seguem dentro de momentos.
As consequências desta eleição não deverão ser óbvias este ano.

Mapas anteriores às eleiçõesMapa das últimas sondagensMapa dos recursos gastos.

Referências: Mapas extraídos do site do New York Times, Resultados estado a estado do site Politico.

PS: Obrigado ao comentador mggomes pela correcção. Isto de me fiar na comunicação social para contas…

 

7 pensamentos sobre “Mapas NYT sobre as Eleições EUA 2012

  1. A. R

    Depois houve carradas de Somalis a serem conduzidos no Ohio aos locais de votos onde foram bem orientados por interpretes “democratas” até à mesa de voto. Uma engenharia bem montada… melhor só Chavez e as suas máquinas de gerar votos.

  2. F

    Centros populacionais vs campo. Podíamos fazer uma comparação Alentejo Vs Lisboa, para ver a relação vermelho azul.

  3. Paulo

    A questão que fica é: será possível aos republicanos ganharem no futuro (2016, já sem Obama) com a evolução demográfica e o aumento exponencial (legal ou ilegal) dos hispânicos sem reformularem a sua proposta aproximando-se do centro e abandonando os extremos do tipo “tea party”? Para Chris Christie (governador de New Jersey), que já está na corrida, essa é a grande questão a resolver pelos republicanos nos próximos tempos.

  4. JJPT

    Tendo, desde há 25 anos, votado sempre nos dois partidos à direita do nosso espectro político – e lamentando que, como demonstra a prática do actual governo, não exista um partido verdadeiramente liberal – não consigo perceber o apoio (e muito menos o fascínio) de quem quer que seja, que se diga “liberal”, com o actual partido Repúblicano. Se alguma coisa mostra o mapa acima é que o votante actual no partido Republicano é um voto – à falta de melhor termo – reaccionário. Socialmente reacionário (o mesmo Deep South que em 68 votou em George Wallace e as planícies evangélicas) e economicamente reacionário (são os estados e condados mais pobres – os do Sul – e aqueles que recebem mais do Estado – sob a forma de investimento público ou de subsídios à agricultura – os das planícies. É, parece-me, o voto do passado (o campo conservador, religioso e branco), contra o futuro (as cidades, o agnosticismo e as minorias). Creio, até, que esse voto, mais do que de efectivas opções económicas diferentes (totalmente desmentidas na prática pelas Adminstração Bush , que mais do que “liberal”, foi “pro business” no mesmo sentido em que a “Administração” José Sócrates o foi em Portugal), resulta de opções culturais, ou seja, das questões “fracturantes”, nas quais a posição efectivamente “liberal” é, parece-me, a do Partido Democrata (ou alguém acha que é “liberal” – no sentido europeu do termo – inserir na Constituição normas quanto ao começo da vida e à natureza do casamento?). Assim, se subscrevo quase tudo o que neste blog se escreve quanto a Portugal (e por isso o leio todos os dias), quando o assunto é a América, sinto-me perdido no meio da (obrigado Jon Stewart) “Bullshit Mountain”. JPT

  5. mggomes

    Uma ligeira clarificação: Romney teria também de ter ganho o Colorado.
    Se ganhasse apenas mais FL, VA e OH ficaria com 266 votos no Colégio Eleitoral. A 3 do empate, e a 4 da vitória.
    Com o Colorado chegaria aos 275 (acima dos 270 necessários para ganhar).

  6. politologo

    Palhaçada , na opinião de um capitalista americano ! Até parece que Obama recebeu umas lições de Sócrates e Ganhou ! Vamos ver como está a Divida Publica daqui a 4 anos ? Entretanto a desagregação cultural dos Estados Unidos continua .e maior surpresa ela vir de um Prémio Nobel ! Que certamente não é da Paz .! Apenas domina o Dicionário Politico .. No resto será um fracasso .Dar tempo ao tempo mas o tempo não perdoa …Ganham as minorias , mas a final perdem todos e o resto do Mundo !!!.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.