Toda a verdade (sobre a CGD) – no DE

Artigo publicado no DE hoje.

“(…)A CGD é desde sempre uma ferramenta fundamental para os interesses do partido no poder. Nos últimos anos permitiu o financiamento de aquisições de participações relevantes da EDP, GALP, Portugal Telecom e BCP, de projetos imobiliários, rodoviários e ferroviários injustificáveis.

Permitiu a nacionalização encapotada do BPN e do BPP. No meio de grandes decisões que sem dúvida nenhuma foram do interesse de clientes do partido do poder, e contra os interesses dos acionistas em última instancia, os Portugueses, foram tomadas milhares de pequenas decisões de financiamento irracional que tiveram consequências negativas em toda a economia.(…)

Anúncios

13 pensamentos sobre “Toda a verdade (sobre a CGD) – no DE

  1. edgar

    “A mentira para ser segura e atingir profundidade …”
    Aceitando-se que a CGD terá sido administrada como se fosse privada e estivesse ao serviço de interesses privados, como que é que a má administração da CGD pode servir de justificação para a sua privatização?

  2. JS

    Dancing On The Grave Of Keynesianism. Authored by Gary North via the Ludwig von Mises Institute.

    Tudo excelentes alunos, mas de discutíveis professores.
    “… The problem we are going to face at some point as a nation and in fact as a civilization is this:
    there is no well-developed economic theory inside the corridors of power that will explain to the administrators of a failed system what they should do after the system collapses.
    This was true in the Eastern bloc in 1991. There was no plan of action, no program of institutional reform. This is true in banking. This is true in politics. This is true in every aspect of the welfare-warfare state. The people at the top are going to be presiding over a complete disaster, and they will not be able to admit to themselves or anybody else that their system is what produced the disaster. So, they will not make fundamental changes. They will not restructure the system, by decentralizing power, and by drastically reducing government spending.
    They will be forced to decentralize by the collapsed capital markets….”.

    O centralismo é bom para alguns, e enquanto for ….

  3. lucklucky

    “Aceitando-se que a CGD terá sido administrada como se fosse privada e estivesse ao serviço de interesses privados, como que é que a má administração da CGD pode servir de justificação para a sua privatização?”

    Não foi administrada como se fosse privada, pelos menos como privada responsável perante os verdadeiros accionistas.
    CGD foi assim administrada porque estavam e estão os accionistas(=povo português via orçamento) obrigados a aumentar capital para tapar buracos. Quando os accionistas estão cativos e obrigados a pagar pode-se fazer o que quiser.
    A CGD não vai ao mercado aumentar capital para tapar buracos e assim perder reputação, basta-lhe pedir dinheiro aos políticos, este tiram aos contribuintes, e só contribuintes atentos notam as notícias que lhes foram ao bolso.

  4. Euro2cent

    O que é triste é que ainda hoje vi um cartaz de um “sindicato de trabalhadores” a defender o saque que a CGD faz ao país – rouba aos pobres para dar aos … como se há-de por a coisa … “esforçados dirigentes” que os partidos para lá vão nomeando.

    Sem falar dos assaltos a BCPs e outras folias de milhares de milhões. Tudo de grande interesse público.

    Arre.

  5. JS

    Dancing On The Grave Of Keynesianism. Authored by Gary North via the Ludwig von Mises Institute.
    Tudo excelentes alunos, mas de discutíveis professores.

    “…I offer this optimistic assessment: the bad guys are going to lose. Their statist policies will bring destruction that they will not be able to explain away. Their plea will be rejected. “Give us more time. We just need a little more time. We can fix this if you let us get deeper into your wallets.”…”

  6. tric

    para se vender a Caixa Geral de Depósitos tem que haver novas eleições ou um referendo sobre o assunto !!! senão espero que haja um Golpe Militar…o fundo de pensões da banca já está a dar prejuízo e ninguém se importa…as parcerias publico privadas estão a dar prejuizo aos estado e nunca vi um banqueiro a sair em defesa da sua renegociação…mas quanto CGD estão todos a opinar sobre os prejuizos desta para o estado… prejuízo da o Estado andar a suportar a Banca Privada…

  7. edgar

    lucklucky,
    Quem afirma que a CGD foi gerida pelo partido no poder e ao serviço de interesses privados é o autor do texto.
    Mas não respondeu à questão fundamental: como que é que a má administração da CGD pode servir de justificação para a sua privatização?

  8. Ricardo G. Francisco

    A má gestão pública é em benefício dos gestores e em prejuízo dos contribuintes. A má gestão privada alinha o benefício e o prejuízo.

    A gestão pública tem o problema de agenciamento levado ao extremo.

  9. Guillaume Tell

    Vai ser necessário acordarmos muito cedo para vermos um dia a CGD privatizada. Todos sabemos que a CGD é um excelente instrumento para pormos em prática políticas de crescimento e emprego, para dar apoio às pé-ém-ei e para financiar os projectos estratégicos. Como este nos explica este cavalheiro:

    http://economico.sapo.pt/noticias/nunca_152992.html

    É curioso, antes de 1789 o clero e a nobreza explicavam que era normal terem privilégios e não pagarem impostos porque asseguravam o Paraíso e a segurança na Terra, e o povinho também achou isso normal durante muito tempo. Hoje não é bem assim não é?

  10. lucklucky

    “Quem afirma que a CGD foi gerida pelo partido no poder e ao serviço de interesses privados é o autor do texto.”

    Pelos partidos no poder, pela a oposição, o caldinho vai a todos por isso é que nenhum quer ela privatizada. O PS tem lá gente , o PSD tem lá gente, o CDS tem lá gente, o PCP tem lá gente de mão dada com os sindicatos.

    “Mas não respondeu à questão fundamental: como que é que a má administração da CGD pode servir de justificação para a sua privatização?”

    Para os partidos a CGD não foi mal administrada. Vê algum a criticar? Vê algum a criticar quando se aumenta o capital= ir aos bolsos dos contribuintes? Sempre foi administrada assim desde que me lembro pois a CGD é um instrumento do estado essencial no Sistema Nacional de Corrupção aka troca de favores, lugares e empréstimos para financiar projectos estatais, comprar dívida publica e para amigos e empresas amigas às expensas do contribuinte.
    Quando afirmo que os contribuintes são escravos da CGD não é suficente para justificar a sua privatização ?
    É claro que isto também implica que se um banco privado for mal gerido và à falência e não se chame o contribuinte como nos outros dois casos conhecidos.

  11. ricardo saramago

    A diferença entre a Caixa e o BPN é que os buracos da Caixa são tapados desde há muitos anos com “aumentos de capital” de milhares de milhões.
    Na prática trata-se do mesmo- cobrir os prejuízos com dinheiro dos contribuintes.

  12. Pingback: Privatizá-la está completamente fora de questão « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.