Um verdadeiro especialista no género

Ontem o ex-ministro João “PPP” Cravinho afirmou que as alterações na TSU não foram “bem estudadas”. Ainda no mesmo dia foi forçado a admitir na AR, que a previsão de tráfego no contrato de concessão da Fertagus foi “monumentalmente errada”. Temos aqui, portanto, alguém com experiência neste tipo de efabulações.

Ainda a propósito do “monumental erro” nas PPP escreve Pedro Pita Barros: “A dúvida que retenho como hipótese de trabalho para ser testada por quem tiver acesso à informação necessária é se as as taxas de rentabilidade não foram determinadas e fixadas, e depois as previsões de tráfego ajustadas às necessidades de justificar essas taxas”.

Diga-se de passagem que partilho semelhantes duvidas acerca do impactos anunciados por Vítor Gaspar a propósito das “mexidas” na TSU.

9 pensamentos sobre “Um verdadeiro especialista no género

  1. Paulo Pereira

    É óbvio que as TIR foram fixadas à cabeça e depois os numeros martelados para darem o resultado pretendido.

    Basta ver o dossier do TGV Lisboa – Caia para se ter uma ideia muito clara da aldrabice total que foram e são as PPP’s.

  2. paam

    Um coisa é certa. Se a proposta relativa à TSU passar o Governo consegue o equivalente ao corte de 2 subsídios na FP. Esta foi a forma encontrada para contornar a decisão do TC. A questão é qual vai ser o custo político, económico e social desta decisão.

  3. paam

    “De acordo com o documento, que foi aprovado na quinta-feira em Conselho de Ministros e a que a agência Lusa teve hoje acesso, o Produto Interno Bruto (PIB) deverá cair 1 por cento no próximo ano, enquanto a evolução no mercado de trabalho deverá levar a um recuo de 1,2 por cento do emprego e a um agravamento da taxa de desemprego para os 16 por cento.”

    http://sol.sapo.pt/inicio/Economia/Interior.aspx?content_id=59161

    Mas várias previsões deste Governo têm falhado por vários pontos percentuais, não são décimas.

  4. Pois… é o problema das previsões! E da crença que os políticos depositam no poder dos especialistas.

    PS. Miguel, tira o “n”, é efabulações, e não “enfabulações 😉

  5. Miguel Noronha

    O pessoal mais dado ao planeamento economico centralizado é que gosta muito dessas coisas. Ou não sabias?
    O problema não são as previsões em si. Mas nos pressupostos utilizados e muitas vezes o resultado é o ponto de partida e não o de chegado. Suspeito que nos casos acima expostos tenha acontecido isso.

    E como sempre agradeço a correcção.

  6. Paulo Pereira

    Qualquer economista do inicio do seculo XX sabia que mesmo com uma moeda externa como era o caso nessa altura (o padrão ouro parcial) o estado pode criar meios de pagamentos válidos internamente.

    Basta titular e pagar 6% de toda a despesa pública com titulos que podem ser descontados num banco.

  7. Pingback: Se os nossos gestores políticos já desistiram do país, como vão vender a sua viabilidade à Europa e ao mundo? « Farmácia Central

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.