Crescimento vs política de crescimento

“O mal-entendido” de João César das Neves (Diário de Notícias)

É espantoso mas muitos dos que afirmam com clareza a urgência de promover o crescimento e criação de emprego, logo na frase seguinte se põem a falar de outro tema, propondo medidas e intervenções que não só pouco têm a ver com a dinâmica produtiva, mas até a prejudicam.(…)

Promover crescimento é, segundo eles, dar subsídios (que implica impostos que oprimem a economia), criar incentivos (que distorcem o dinamismo e rigidificam a estrutura), fazer planos (que estabelecem clientelas e prejudicam negócios), ajudar sectores (que perpetua favores e encarece produtos). Esta foi precisamente a política seguida pelos sucessivos ministérios que nos trouxeram à crise. Eles achavam saber melhor que a sociedade o que havia a fazer, e o resultado está à vista. A década perdida da economia portuguesa, que já se aproxima de década e meia, foi o mais intenso período de política de crescimento da nossa história. Isto não constitui um paradoxo pelo simples facto de que crescimento económico não é política, mas economia.

A razão deste mal-entendido não é distracção ou ignorância. O motivo é que grande parte daqueles que exigem crescimento têm uma agenda própria, que pretendem mascarar de progresso.(…) Esses, mesmo que o crescimento nunca chegue a ser promovido, já receberam o seu. O que eles querem não é crescimento mas política de crescimento.

7 pensamentos sobre “Crescimento vs política de crescimento

  1. ricardo saramago

    Eles querem uma “política para o envelhecimento”, uma “política para a natalidade”, uma “política para a juventude”, uma “política para o cinema”, uma política para tudo e mais alguma coisa.
    É sempre para salvar a cultura, as criancinhas, as viúvas e os orfãos, os velhinhos, os empregos, as PMEs.
    Nunca dá resultado.
    Mas não faz mal, salvam-se eles e os amigos, pinga dinheiro no bolso dos espertos e dos vigaros.
    Se lhes dessem mais verba, mais funcionários e mais poder é que era…
    Assim não dá porque o mercado é imperfeito e tem que haver sensibilidade social, porque falta legislação, porque a Europa tem que ajudar.
    Destroiem tudo à sua volta…mas é com boa intenção.

  2. Miguel Noronha

    “Depreendo então que também o Prf. João César das Neves é um socialista”
    Não é assumidamente um liberal mas não compreendi essa tua sentença. Explica lá

  3. Eduardo

    um artigo que começa ” A Irlanda, muito mais endividada que nós, deixou de ser alvo dos mercados porque a sua economia revelou um dinamismo que tem faltado a outros, como nós.” não merece ser lido. Gostava de saber aonde é que está a confiança na economia irlandesa que não para de cair

  4. Pingback: Qual dos dois é o PM verdadeiro? « O Insurgente

  5. Pingback: A apologia do pântano « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.