Assim se perde um País

“No mesmo dia em que foi conhecida a mais recente edição do “Global Competitiveness Report” do “World Economic Fórum”, que habitualmente se reúne em Davos na Suíça, o Primeiro-Ministro de Portugal anunciava: “a situação do país não permite “fazer qualquer alívio da carga fiscal” nesta altura (…) todos no Governo, “pessoas que tenham uma origem independente, origem no CDS-PP ou no PSD”, estão conscientes disso.” (…) Em todo o caso, resta uma certeza: a carga fiscal é a segunda maior preocupação dos nossos empresários, mas é precisamente essa mesma carga fiscal, já excessiva, que o Governo (este e quase todos os anteriores) se prepara para agravar pela enésima vez. Pelo contrário, em matéria de optimização da burocracia pública nada de substancial se vê. Em matéria de reforma administrativa do Estado, também é essencialmente só conversa. E quanto à produção de leis, nada de novo; continua-se a legislar furiosamente sem que alguém se lembre de arrumar todas as leis em vigor, muitas das quais contraditórias entre si, e que em boa medida não passam de lixo legislativo, castrador da actividade económica que urge promover neste País”, no meu artigo desta semana no Vida Económica (“Assim se perde um País”).

E, pronto, meus caros blogueiros, decidi fazer um interregno na blogosfera. As notícias de hoje, confesso, desanimaram-me. É chegada a altura de desligar…um pouco. Até breve.

10 pensamentos sobre “Assim se perde um País

  1. Sebastien De Vries

    Calma, …as pausas são boas…, espero que quando cá chegar os EUA e a FRANÇA já estejam com o ranking a menos, os tiranetes locais da Espanha andem à bofetada (enquanto os povos autonómicos…enchem a boca de más autonomía (tradución: más cheta)), por aqui se apercebam do terror demográfco (capaz de eliminar escolas, professores, abarrotar a segurança social e a saúde…e que era PREVISIVEL há 20 anos)…ESPERO-O dentro de UM mês! Vá lá…

  2. Sebastien De Vries

    Já agora…O Ricardo veja:
    –a decisao do TC foi :
    a) Declarar a inconstitucionalidade, com força obrigatória geral, por violação do princípio da igualdade, consagrado no artigo 13.º da Constituição da República Portuguesa, das normas constantes dos artigos 21.º e 25.º, da Lei n.º 64-B/2011, de 30 de Dezembro (Orçamento do Estado para 2012).
    b) Ao abrigo do disposto no artigo 282.º, n.º 4, da Constituição da República Portuguesa, determinar que os efeitos desta declaração de inconstitucionalidade não se apliquem à suspensão do pagamento dos subsídios de férias e de Natal, ou quaisquer prestações correspondentes aos 13.º e, ou, 14.º meses, relativos ao ano de 2012.
    –o pedido foi: a declaração de inconstitucionalidade, com força obrigatória geral, das normas constan¬tes dos artigos 21.º e 25.º, da Lei n.º 64-B/2011, de 30 de dezembro (Lei do Orçamento de Estado para 2012), com os seguintes fundamentos

    Então se este OGE contiver a norma de suspensão…refere-se a 2013! Logo, nova questão de direito, logo não há violação de nada, pois o tribunal responde tao só a uma questão precisa: a do pedido acima descrito.

  3. LDR

    Fuga ao fisco generalizada. É a única forma do estado se reformar. As empresas já começaram a desligar os pod’s.

  4. Paulo Pereira

    Este governo é inutil e o Passos deveria demitir-se para dar lugar a um governo Nacional, liderado por alguem experiente e com um programa verdadeiramente reformista, tal como a Alemanha fez .

  5. tina

    “Pelo contrário, em matéria de optimização da burocracia pública nada de substancial se vê. Em matéria de reforma administrativa do Estado, também é essencialmente só conversa”

    Mas isso demora muito tempo e não vai alcançar grandes poupanças. Como é sabido, as áreas mais importantes, salários, PPPs e fundações, o Governo já atacou. Tem as mãos atadas agora porque não lhes deixam cortar nos subsídios e as rendas das PPPs está difícil porque terão de voltar com a palavra atrás dada pelo governo de Sócrates.

  6. Pingback: Chico-espertismo « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.