De Repente…

E de repente a RTP 2 tem mais apoiantes que espectadores. De repente, quando tudo apontava para que o Governo ficasse com um Ministro a menos, o Governo ficou com um Ministro a mais. De repente, o Presidente da Câmara de Gaia fala mais sobre a autarquia ao lado, que sobre aquela que preside.De repente, o Ministro dos Negócios Estrangeiros passou a comentar Finanças, a Ministra da Justiça começou a comentar a Economia e o “Ministro das Privatizações” passou a comentar a RTP. De repente, Louçã saíu de cena no meio de tamanha balbúrdia que ainda aparece em cena mais vezes que antes. De repente Seguro já é contra o Memorando, depois contra parte do Memorando, depois favorável à negociação de parte do Memorando e, por fim, gosta e desgosta simultaneamente do mesmo. De repente, as contas derraparam, o desemprego aumentou e Cavaco continua a falar todos os dias sem que alguém lhe entenda uma palavra. De repente o CDS é pelo serviço público, o Governo é mais ou menos pelo serviço público e a Oposição é por mais serviço público. De repente, todos parecem entender-se sem concordarem. De repente tem-se mais pena do touro que do toureiro. De repente Santana Lopes está calado como nunca esteve e António Borges anda a falar como nunca falou. De repente Luís Amado não pode ir à UV, mas Mário Soares pode. De repente Paulo Portas já discorda de aumentos de impostos, sem que ninguém fique a perceber onde é que ele andou durante este ano de brutais aumentos da carga fiscal. De repente o país vai ao fundo e, aparentemente, isso passa ao lado da classe política.

25 pensamentos sobre “De Repente…

  1. r

    ricardo(naosei se tratarei por tu, uma vez que tenho 22 anos também ), geralmente não concordo com alguma teses liberais que professas,mas o teu post é um dos mais lucidos e mais verdadeiros sobre a balburdia em que o pais mergulhou.E ainda dizem que se está no bom caminho.O governo de socrates colocou-nos aonde estamos, mas pelos vistos mudamos uma coisa para tudo se manter na mesma.Os meus parabens ricardo

  2. Spongebob

    Quando é que deixamos a crítica e passamos à acção? Vamos deixar o sofá e fazer alguma coisa. Falta um movimento liberal no panorama político português. Porque não remendar esta falta senhores Insurgentes e respectivos leitores? Criticar nada melhora! É uma vergonha termos cerca de 15 partidos no boletim de voto e nenhum deles defender o Liberalismo!

  3. Márcia Luísa

    Engraçado, no post referiste todos os partidos menos o PCP! 😀 (que, na minha opinião, é o único partido de jeito)

    Liberalismo? Há muita gente que o defende, mas a mim cheira-me um pouco a Capitalismo, e o que se verifica neste momento é uma grave crise do Capital, onde ninguém mais sabe o que há de fazer para o salvar. Por isso é que anda tudo nesta amálgama.

  4. Spongebob

    Claramente a Márcia Luísa fala do que não percebe. Basta ver uma coisa: diz que o melhor partido é o PCP. Defende o autoritarismo Márcia? https://oinsurgente.org/2012/08/31/as-5-fases-da-revolucao-socialista/. É melhor conhecer o que apoia
    Grave crise do Capital? Grave crise do Estado Social! Veja se a Islândia (país muito mais liberal que o nosso) que já está a crescer a olhos vistos. Por cá continuamos presos nas amarras do Estado Social. Entramos num ciclo vicioso que nenhum dos 6 partidos com assento parlamentar conseguiria resolver ( pois todos defendem o Estado Social) muito menos a esquerda.

  5. Márcia Luísa

    Não defendo autoritarismos nem ditaduras. Um verdadeiro estado Socialista não é ditatorial, e por isso não me valem exemplos como China (que é uma forma muito estranha de Socialismo) ou Rússia (a primeira experiência Comunista na história, absurdamente precoce, que sim, acabou a dar mau resultado).
    A doutrina Socialista é uma coisa, o que os Homens dela fazem é outra…
    Se estamos presos nas “amarras” do Estado Social é porque esse mesmo Estado Social não tem sido gerido da maneira mais digna e íntegra, pois acaba a “vender-se” às políticas liberais. Tem algum sentido que uma das condicionantes para Portugal ter entrado na CEE ter sido reduzir a sua produção interna para comprar produtos à Alemanha? Claro que a Alemanha é das potências económicas mais fortes, pois domina os mercados dos restantes países e ainda vende armas a países em guerra. O Liberalismo Económico é expansionista, competitivo, e nada de bom pode trazer às populações.
    Ora aqui num livro encontrei o seguinte: “A doutrina liberal foi fundada pela escola económica inglesa e baseia-se na descrição e glorificação da troca. Esse mundo do livre-câmbio será o mundo da felicidade, da igualdade e da justiça. Só tardiamente Adam Smith incorporará na sua doutrina os problemas suscitados pela repartição das riquezas, reconhecendo que a repartição das riquezas não obedece a qualquer factor de igualdade ou de justiça, e que não é proporcional à quantidade de trabalho e de esforço despendido. Malthus coloca frente a frente o crescimento de riqueza devido à exploração humana e o aumento da população. (…)” e mais, “para eles (os liberais), a sociedade limita-se a uma massa de indivíduos que devem respeitar a propriedade e os contratos nas suas trocas. Essa felicidade, essa prosperidade pressupõe que se saiba: Evitar as guerras, o que exige que a nação esteja suficiente armada para poder defender-se; suprimir as barreiras alfandegárias que fecham a nação ao comércio. A troca deve ser prioritariamente livre; não ceder à falsa filantropia. O Estado não deve procurar proteger uns dos outros os habitantes do mesmo país. Como vemos, esta doutrina é hostil à guerra, ao proteccionismo, ao estatismo. A “República Mercantil” nada mais pede ao Governo que a paz, a garantia da propriedade e a liberdade de troca.
    Os socialistas tomam uma atitude completamente diferente. O maquinismo, que multiplica a produção, deveria aumentar a maior felicidade da maioria. Muito pelo contrário, encontram-se alguns ricos para milhares de pobres, aumentam as horas de trabalho e a produção intensiva, irreflectida, leva à sobreprodução, ao desemprego, à crise económica. Em resumo, podemos dizer que as doutrinas socialistas constituem uma reacção contra os abusos e os excessos do industrialismo entregue a si mesmo. Todas elas supões que é possível substituir a livre iniciativa dos indivíduos pela acção combinada da colectividade, tanto para a produção como para a repartição das riquezas.”
    Quanto à Islândia, para se safar, resolveu nacionalizar a banca. Resolveu dar uma de real Socialismo: http://www.zeitgeistportugal.org/capitulo/index.php?option=com_kunena&func=view&catid=16&id=6068&Itemid=86

  6. Spongebob

    Começo pelo fim: em 2008 nacionalizou-se a banca e viram-se os resultados, “continua a péssima situação econômica do país e no ano fecha com uma queda do PIB de 7%”.
    Sim é verdade que a doutrina socialista não é ditatorial mas sendo utópica vai conduzir a uma ditadura. Ou conhece algum caso em que não seja assim? E leva a uma ditadura porque em liberdade rapidamente cairia dado que as pessoas não gostam que lhes tirem tudo (propriedades e capital). Se gosta assim tanto do socialismo não se importaria que o Estado nacionalizasse a sua casa e lá metesse pessoas doentes ao pé da sua família (estou a supor que não mora sozinha. se mora peço desculpa). Eu cá preferiria poder gerir o meu dinheiro a tê-lo gerido por um Estado corrupto. Ponha isto na cabeça: maior intervenção do Estado na economia = Estado mais corrupto. Quer explicação: todo o Homem é falível, todo o Homem comete erros, todo o Homem é corruptível. E por muito bem intencionada que seja essa intervenção do Estado haverão sempre corruptos lá infiltrados. Além disso o que socialismo defende é que basicamente o Estado trate as pessoas como crianças: “És menor de idade, não tens responsabilidade eu é vou gerir o teu dinheiro”. Não sei se sou eu que tenho a vista tapada mas não poder gerir o nosso próprio capital parece-me uma falta de liberdade e um roubo por parte do Estado. Sendo uma defensora do PCP suponho que se queixe da cada maior corrupção. Então porquê dar mais poder aos políticos?
    Em relação à venda às políticas liberais acho que percebo o seu erro: está a pensar que a privatização da EDP, da RTP, etc são medidas liberais. Não são! Privatizações sem a respectiva abertura do mercado aos concorrentes não são medidas liberais!
    Em relação à CEE tem toda a razão mas isso não é de certeza culpa do Liberalismo. É culpa isso sim de uma política de esquerda da CEE/UE e de Portugal. Infelizmente nunca vimos políticas liberais em Portugal. Portanto não culpe o Liberalismo pelos problemas portugueses.
    “Como vemos, esta doutrina é hostil à guerra, ao proteccionismo, ao estatismo”. Sem dúvida!
    Em relação ao maquinismo: vai-me dizer que as pessoas agora vivem pior do que quando não havia máquinas? Outra coisa a multiplicação da produção por si referida torna os produtos mais acessíveis a toda a população.

    Não sei se é aqui que fica bem mas lembrei-me de outro pormenor: eu apesar de defender as políticas liberais também gosto de conhecer o outro lado da barricada. Li os primeiros capítulos da Perestroika do Gorbatchev. O problema que se pôs na Rússia e que se põe nos regimes verdadeiramente socialistas é que não havendo propriedade nem iniciativa privada não há o estímulo de concorrência e o que aconteceu nas fábricas do Estado foi que se tentou atrasar o mais possível o processo produtivo de modo a que o produto ficasse mais caro. A URSS perdeu competitividade em relação ao estrangeiro e a sua economia estagnou. Deixo-lhe esta pergunta: como é que se garante a competitividade num Estado verdadeiramente socialista?

  7. Márcia Luísa

    Sou idealista? Sou. Se fôssemos mais, de certeza o mundo andava melhor.
    Porquê andar tudo obcecado com mercados e dinheiros e capitais e competitividades? Hoje temos meios mais que suficientes para garantir a não exploração das pessoas, melhores condições de saúde, educacionais,culturais, enfim, sociais. Suprimir ou diminuir drásticamente pragas como fome e guerras. Mas não, a banca, o mercado são sempre mais importantes que o garantir da qualidade de vida das populações, que o garantir de um estado de consciência e formação aos seus civis.
    E não, o Estado não intervém na Economia, sim a Economia intervém no Estado. O Estado não manda, mandam as políticas do Capital, e os Estados vergam-se porque toda a gente no poder quer agarrar o tacho.
    Como se conseguem mercados cada vez mais poderosos e competitivos se não tiverem trabalhadores assalariados e precários a trabalhar quase de graça para que o mercado se mantenha? Porque a gente pensa que não, vivemos todos bem, gastamos o nosso dinheiro como queremos. Mas o que se sabe dos meios de produção? Como são feitos os produtos que consumimos? Em boa parte à custa de trabalho infantil ou extremamente violento. Mas disso não se sabe. É o garante de um modo de vida seguro e estável para uns quantos à custa de outros tantos ou mais, que permanecem no obscurantismo. A comunicação social não fala neles porque não convém que se saiba que é assim que isto se tem mantido…
    E o nosso Estado agora anda a privatizar tudo e mais alguma coisa porque não tem competência suficiente para gerir os bens públicos. Pois, a solução é entregar tudo aos privados, os privados que só pensam é em fazer o deles e a população permanece… igual…
    O Socialismo do século XX não deu os resultados que pretendeu. Mas foi a primeira vez na história que se procuraram implementar Estados Socialistas ou pretensamente Socialistas. Com os erros se aprende, e supostamente a Humanidade tende a caminhar para o melhor dos caminhos. Mas vendo o que vejo hoje, parece que não, que se trata afinal de uma ilusão. Andamos de barriguinhas cheias e é o suficiente para nos tirarem a liberdade de pensamento e de actuação. Nós já vivemos uma ditadura, só que não é directa. A ditaduras à antiga eram impostas por meios coercivos e violentos. Hoje é feita com base em omissões, em comunicação social adulterada e adaptada com o propósito de levar as pessoas a chegar a conclusão nenhuma, em meios simbólicos, violência simbólica. Há empresas em Portugal que facturam milhões por dia! Porque não fazem um donativo ao Estado para pagar a dívida? Não lhes custava nada, mas não, pois o dinheiro e os lucros e os bancos e os negócios e parcerias com amigos em primeiro lugar. O mundo é de uns, os outros que se danem e de preferência, que nem se apercebam disso…

  8. “Um verdadeiro estado Socialista não é ditatorial”

    Cara Márcia, deveria substituir a palavra socialista por utópico e assim a frase já faria sentido.
    O Socialismo é lamentavelmente, por natureza ditatorial. Não permite a auto-exclusão. Ou todos são socialistas neste estado ou o ismo torna-se impossível. Portanto, é impossível um estado socialista não ser ditatorial. Não é preciso recorrer aos exemplos históricos. É a própria essencia do socialismo. Em maior ou menor grau, as sociedades que se dirijam para o Socialismo, vão inevitávelmente caminhar para um controlo do indivíduo para bem da sociedade. Isto não é argumentativo, é lógico dedutivo. Também na vertente económica, ao tentar controlar toda a actividade económica, inevitavelmente o socialismo terá que cair na ditadura.
    Quanto á 3º via, a bisneta da NPE de Lenin, também essa, como agora constatamos leva a prazo a regimes onde acabamos por ter que prescindir da nossa liberdade (pagamos mais impostos para salvar o país, os bancos do país, etc etc etc). Aceitamos invasões á nossa privacidade e limitações á nossa liberdade nesta crise que nunca aceitaríamos numa sociedade utópica. E aceitamos isto porquê? Para salvar o nosso querido Socialismo. Socialismo esse que nos trouxe até aqui. Portanto, se exemplos faltassem, aqui está mais uma vez o Socialismo a conduzir á ditadura.

  9. Spongebob

    Abanei a cabeça ao ver este texto mas pronto. Como é que faria isso de garantir a não exploração das pessoas, melhores condições de saúde, etc? Gostava mesmo de saber.
    Eu ri-me foi com a interrogação “Porque não fazem um donativo ao Estado para pagar a dívida?”. Para que é que as empresas fariam esse donativo, para vê-lo ser mal aproveitado como tudo é mal aproveitado pelo Estado?.. Para alimentar meia dúzia de barrigas?
    Há empresas que facturam milhões por dia. Onde é que está o mal nisso?
    Sim se calhar o Capitalismo estragou tudo. A esperança média de vida aumentou imenso, a taxa de mortalidade diminuiu substancialmente. A higiene melhorou imenso, temos que trabalhar cada vez menos, podemos ter a nossa própria terra e não estamos condicionados à nascença. As condições de vida da população mundial melhoraram substancialmente a partir do momento em que se estabeleceu o Capitalismo mas isso deve ser com certeza uma coincidência enorme. Mas pronto se calhar estavamos melhor se não tivessemos saído da Idade Média do tempo dos Landlords e das Enclosures ou se tivéssemos imediatemente “evoluído” para o socialismo. Sim porque nos Gulag não se passava fome…

  10. Aladin

    “A doutrina Socialista é uma coisa, o que os Homens dela fazem é outra…”

    Ou seja, é uma Verdade do tipo religioso. Imune aos factos. Jamais algum facto, alguma realidade conseguirá refutar a “Verdade”.
    Corre mal? ( correu sempre)
    Ah, pois, não é o “verdadeiro socialismo”, a culpa é dos homens, esses maus.

    Já reparou, caríssima Márcia, que esse tipo de argumentação idiota pode ser usada pelos nazis, por exemplo.
    Ah e tal, correu mal a experiência nacional-socialista.
    Não faz mal, não era o verdadeiro nacional-socialismo, a doutrina nacional socialista é uma coisa, o que os homens fazem dela é outra.

    Enxergue-se, Márcia, e use a própria cabeça em vez de debitar os chavões que ouviu no Centro de Trabalho do Partido.

    Pergunte a si mesma porque razão uma doutrina tão boa ( como você acredita), falhou sempre. Acha que todos os milhões de homens e mulheres que a tentaram levar à prática, em todas as latitudes, eram menos espertos que você? Menos empenhados? Menos bons? Menos inteligentes?
    Não eram, pois não? Então porque falhou?

    P.S ( o Ricardo Baptista deu-lhe umas pistas…)

  11. “O Socialismo é lamentavelmente, por natureza ditatorial. Não permite a auto-exclusão. “

    Isto são apenas chavões, o que implica o desprezo por algum aprofundamento sobre o assunto. Em suma: não concordo coma a firmação que faz. O fim último desta ideologia destaca isso mesmo (para além de haver vários postulados que indicam que o “Socialismo é intrinsecamente democrático, o que implica um grau de liberdade individual”): “construir o socialismo é, portanto, democratizar ou socializar os poderes; é libertar os indíviduos de toda a forma de opressão, subordinação, discriminação e exclusão que interfira na satisfação das suas necessidades materiais e espirituais.”

    “A esperança média de vida aumentou imenso, a taxa de mortalidade diminuiu substancialmente. A higiene melhorou imenso, temos que trabalhar cada vez menos, podemos ter a nossa própria terra e não estamos condicionados à nascença.”

    O mesmo se pode afirmar se relacionarmos o momento histórico da União Soviética com o seu momento antecedente (império czarista). No entanto, o Capitalismo tem sido o único sistema económico a reger a maioria do mundo ocidental (e depois a sua totalidade) desde da Idade Média. O Capitalismo não é nenhum desígnio divino, elaborado e implementado pelo homem, logo imperfeito. Portanto, falível e corruptível. Questionar ou mesmo por em causa o sistema vigente deveria ser incentivado, ora para aperfeiçoá-lo ora para gizar um novo modelo. Para mim, as suas teses básicas (o acumulo de capital) são insustentáveis. A promoção de um crescimento infinito (como a história capitalista tem nos mostrado) é impossível de coexistir num planeta com recursos finitos. As consequências são óbvias: a continuar neste modelo capitalista (no qual as teses neoliberais aprofundam os seus defeitos) o fim da sociedade e deste planeta é mais que expectável, pelos menos nas condições em que permitam a vida humana.

    “Não faz mal, não era o verdadeiro nacional-socialismo, a doutrina nacional socialista é uma coisa, o que os homens fazem dela é outra.”

    Neste blog assiste-se, muitas vezes, a escritos que colocam o socialismo (ideologia) no mesmo patamar do que o nazismo. O nazismo previa tudo o que os nazis elaboraram. O Mein Kampf instituía ideologicamente a supremacia racial e o anti-semitismo. Os nazis não acreditavam numa coisa e fizeram outra. Isto é completamente falso.

    “Pergunte a si mesma porque razão uma doutrina tão boa ( como você acredita), falhou sempre.”
    Sabe a diferença entre Socialismo e Comunismo? Para si o keynesianismo e neoliberalismo é a mesma coisa?

  12. Márcia Luísa

    A mim parece-me é que estão todos loucos ou cegos! Melhorámos a nossa condição de vida graças ao quê? Ao Capitalismo???
    Melhorámos a vida graças à Esquerda, graças aos grupos socialistas que exigiram melhores salários, melhores condições de trabalho, redução da carga horária, protecção estatal através do garantir do acesso público à educação, à saúde e a outros benifícios! Acham que a Idade Média era Socialista e depois veio o lindo e justo e glorioso Capitalismo que nos veio salvar a todos? A Idade Média era feudal, que na verdade não passa de um estado arcaico do Capitalismo! Liberalismo é apenas uma forma de gestão do Capital!
    Sim, veio a Revolução Industrial que veio a melhorar a vida das pessoas com toda a tecnologia. Mas por sua vez, na busca incessante do lucro, explorava e violentava a massa trabalhadora! Ou será que essas pessoas nada significaram? A vitória das mulheres e a luta por igualdade de sexos foi promovida por quem? Pelo Capitalismo? É muito engraçado, todos tomam o presente bem estar como algo que caiu assim do céu, algo que sempre esteve cá, ou pior, algo que adveio do Capitalismo!! Então e as reinvindicações, protestos, manifestações? As mortes e assassinatos que se deram para que agora pudéssemos estar aqui com as presentes regalias?
    O actual sistema, para poder sobreviver, acabou por dar umas de Socialista que é para as pessoas não reclamarem muito. E depois as medidas de Esquerda são más.Tipo a Igreja Católica, lá aceitou passado que afinal era a Terra que girava à volta do Sol para não perder credibilidade e apoio. Mas tempos atrás andava a queimar pessoas por isso! Se não fossem as pressões de Esquerda, a sociedade actual seguiria o mesmo esquema canibal de certas empresas como, por exemplo, a Herbal Life! Já viram como aquilo funciona? É altamente Liberal, que bom seria aplicado à sociedade global, nao é? Principalmente se fossem vocês os que estivessem na base escumalhenta do sustento da pirâmide!
    Os países que tentaram o Socialismo não conseguiram porque se venderam ao Capital, à Banca, aos Mercados, porque foram permanetemente atacados por outros ditos “salvadores da Humanidade” como os Americanos! No entanto, países como a Noruega e a Suécia que praticam o chamado Socialismo do Norte, são assim tão maus? O Estado não fornece aos seus civis serviços públicos de qualidade como a Universidade ou a Segurança Social? Aprenderam de quem? Dos Capitalistas? A mim parece-me que devem uma boa parte à experiência Russa que apesar de ter tido tantas coisas negativas e que eu condeno, trouxe determinadas soluções para se viver melhor em sociedade.
    União Europeia e CEE, Esquerda?? Que engraçado! Lá porque o PS, o PSD e o CDS têm lá o S de Socialista não quer dizer que o sejam! Nem outros partidos desse género! Acreditam mesmo? É fantochada, é para enganar as vossas cabecinhas liberais.
    Sim, liberalizem, dêem asas ao Capital puro e duro, destruam os recursos naturais, roubem, explorem, sejam corruptos à vontade que ninguém os impedirá.
    Mandem o Estado passear, sejam anarquistas irresponsáveis, assim é que deve ser! Sejam ditadores e mandem calar aqueles que são contra as vossas ideias! No fim de tudo, lutem uns contra os outros para conseguirem a supremacia nos mercados. Nunca ouviram dizer que o Capitalismo é antropofágico? É que depois de chupar até ao tutano os Estados mais fracos, os económicamente mais fortes depois comem-se uns aos outros para ver quem ganha os maiores lucros! E acreditem, no topo da cadeia alimentar do Capital estão meia dúzia deles! Era bom que fosse vocês, os que agora apregoam o Liberalismo nao era? Esquecam, o resto que sobra só serve para alimentar a locura de uns poucos. Já leram o 1984? Fazer-vos-ia bem. Se calhar até gostariam de viver numa sociedade como aquela! Oh espera, não me digam a sociedade totalitária do 1984 é a Esquerda!!!

    Ainda são mais utópicos que eu, pensarem que um Liberalismo Económico trará a justiça, a igualdade e a prosperidade entre os povos…

  13. Aladin

    “Melhorámos a vida graças à Esquerda, graças aos grupos socialistas ”

    Ou seja, os países socialistas falharam o socialismo por culpa dos capitalistas. Fizeram tudo o que a cartilha manda e falharam. Culpa de quem? Dos capitalistas que não mandavam lá.
    Os países capitalistas tiveram sucesso. Trabalho mais bem pago, direitos sindicais, liberdade, melhor vida, etc. Mérito de quem? Dos mesmos socialistas que não tiveram nada a ver com as políticas aí seguidas.

    A contradição é total mas no Partido conseguem meter estas tontices na cabeça das vítimas.

    “Neste blog assiste-se, muitas vezes, a escritos que colocam o socialismo (ideologia) no mesmo patamar do que o nazismo.”

    E mto bem, historicamente documentado.

    Nem os socialistas nacionais alemães tiveram necessidade de inventar muitas coisas, limitando-se a usar a retórica e os instrumentos comunistas.
    O que permitiu a Hitler dizer que “não sou apenas o vencedor do marxismo…sou o seu realizador. Aprendi muito com o marxismo e não tenciono escondê-lo. O que me interessou no marxismo foram os seus métodos….todo o nacional-socialismo está lá contido”
    (Hermann Rauschning, “Conversas com Hitler”)

    Hitler sempre se considerou socialista, de facto era o chefe do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, e explicou a Otto Wagener que os “meus desacordos com os comunistas são menos ideológicos que tácticos” e “agora que a idade do individualismo terminou, a nossa tarefa é encontrar o caminho que conduza ao socialismo”.

    Confidenciou-lhe ainda que “o problema dos políticos de Weimar foi nunca terem lido Marx”.

    Paul Eltzbacker, um ilustre teórico nazi, gabava tranquilamente o bolchevismo, dizendo que “o bolchevismo é o Estado forte … totalmente liberto do respeito excessivo pela liberdade individual e da lassidão sentimental que sofre a democracia”

    A ideia de um partido político susceptível de ordenar toda a vida individual, desde o berço até à cova, tendo em vista a realização de um bem colectivo supremo, foi dada à luz pelos socialistas.
    Foram os socialistas que começaram por enquadrar as crianças, os jovens e as mulheres em organizações de base, assegurando o controlo total da vida colectiva e privada, e a imposição de um pensamento único, guiado pelo partido, génese teórica do totalitarismo.
    A praxis assentava nas teorias de Lyssenko, que garantiam a possibilidade de educar os genes através da educação forçada, pelo que as ideias comunistas instiladas nos pais, seriam transmitidas por via genética aos filhos, o que aliás vinha na linha das ideias de Engels, o qual, no “Anti-Duhring” afirmava a crença na hereditariedade dos caracteres adquiridos.

    Enfim, a ideia de que socialismo e nacional socialismo são doutrinas opostas, é uma mistificação histórica e filosófica.
    Ainda hoje a maioria das pessoas não conhece a fundo as arrepiantes semelhanças entre as “teologias” e as práticas do do socialismo nacional e do comunismo, mas absorve bem a ideia geral de que a primeira é de “de direita” e por isso “má” e a segunda é “de esquerda” e por isso “boa”.
    A máquina de embrutecimento oleada pelo já longínquo Komintern continua inacreditavelmente a funcionar, passados todos estes anos.

    O facto é que estas doutrinas têm a mesma génese, partilham o mesmo ADN totalitário, não são opostas e têm uma visão do homem como mera engrenagem de um colectivo.

    O inimigo jurado de todas elas é o liberalismo, hoje associado a globalização, mercados, capitalismo, americanos, etc.

    De resto o programa económico de Hitler pôs em execução 8 das 10 medidas urgentes preconizadas por Marx no Manifesto Comunista de 1847.
    No 10º ponto do Programa Nazi, de 1920, Hitler anunciava a “abolição dos lucros obtidos sem trabalho e sem esforço”, o que nos soa muito próximo das modernas diatribes de Jerónimo de Sousa ou Francisco Louça.

    As citações que se seguem, são exemplos, entre muitos outros, que não deixam qualquer dúvida sobre o inimigo comum dos nossos “compagnons de route”:

    “…estamos a combater o capitalismo. Estamos a tornar as pessoas completamente livres”
    (Adolf Hitler)

    “ Nós queremos destruir o estado burguês”
    (Salvador Allende)

    “Se o século XIX foi o do indivíduo (liberalismo) o séc actual é o século colectivo”
    (Benito Mussolini)

    “A crise pré-revolucionária legou-nos um outro problema: o do combate e da constituição de uma alternativa dentro e contra o regime da democracia burguesa.“
    (Francisco Louça)

    “Esse revolucionário chamava-se Lenine. Nada mais realista do que este sonho do poder dos trabalhadores”
    (Francisco Louça)

    As diferenças?
    Onde os socialistas nacionais metem “judeu” e “raça”, os socialistas internacionalistas metem ” burguês” e ” classe”. Tirando a semântica, o resto é exactamente igual. Bem, igual não….o socialismo internacionalista foi muito mais eficiente a reprimir e a matar. Mais de 100 milhões….

  14. Márcia Luísa

    Santa ignorância…
    claro que o Capital mete o bedelho onde ache que há um cheiro de Socialismo!! O que é que acham que os Estados Unidos fazem?!
    São todos tão ingénuos porque ainda acreditam no mito que o Comunista/Socialista come criancinhas ao pequeno almoço!
    Até tenho pena de andar a lutar pelos direitos de pessoas mal-agradecidas!! Que fiquem todos vós a serem sugados! Provavelmente nunca trabalharam nem tiveram que lutar por nada, nem passar por dificuldades! E a acharem que as 8 horas de trabalho, que agora andam a ser retiradas, foram uma benece, uma dádiva, uma obra de caridade do Capital aos seus queridos e dedicados trabalhadores que gentilmente foram ter com os patrões pedir redução de carga horária e aumento salarial, para que trabalhem ainda mais alegremente para lucro do patrãozinho que nem conhece as instalações da empresa que dirige. Ou melhor, que paga a pessoas que a dirigam por ele!
    Nunca ouviram casos de queima de fábricas com trabalhadores lá dentro, só porque pediram maior justiça social? Se calhar foram os Socialistas que os queimaram?
    Para exemplo do cúmulo da hipocrisia e loucura humanas, uma vez vi uma imagem em que um burguês do Capital, todo aperaltado, subia para as costas do seu empregado para poder, na prateleira, alcançar uma obra… de Marx!

    I rest my case.

  15. Spongebob

    Em relação à Márcia não há volta a dar, tem a cabeça completamente baralhada e é impossível fazê-la crer em outra coisa. Ela tem os olhos tapados de tal maneira que não consegue ver a realidade. Uma pergunta Márcia: de certeza que condena absolutamente o nazismo pelas atrocidades que eles cometeram. Então porque não condena o socialismo??Tanto Estaline como Mao-Tse Tung( principalmente este) mataram mais que Hitler..
    Agora o Zé precisa mesmo de estudar História. Primeiro: diz que o Socialismo e o Comunismo não são a mesma coisa; pois bem o Socialismo é o caminho para essa grande utopia que é o Comunismo.
    Segundo: as condições de vida da União Soviética melhoraram em relação ao período czarista?! Sim, claro, que o digam os camponeses que ficaram sem toda a sua produção durante a Guerra Civil para alimentar o Exército Vermelho ou os soviéticos que sendo estimulados/obrigados a um esforço heróico para a URSS cumprir os planos quinquenais continuavam ainda assim a viver em condições miseráveis

  16. Aladin

    “ainda acreditam no mito que o Comunista/Socialista come criancinhas ao pequeno almoço!”

    Isso não sei, mas que mataram mais de 100 milhões de pessoas, EM REPRESSÃO INTERNA, é um facto devidamente documentado.

    “Até tenho pena de andar a lutar pelos direitos de pessoas mal-agradecidas”
    É como aquele escoteiro imbecil que queria ajudar a velhinha a atravessar a estrada. Como ela não queria atravessar a estrada, deu-lhe uma mocada na cabeça e arrastou-a à força.

    Olhe, Marcia, psssst. Gastaria muito melhor o seu tempo e ajudaria muito mais a sociedade onde está, se estudasse uma coisas sérias, em vez de engolir sem mastigar toda a mistela propagandística que o Partido lhe mete pela goela abaixo. A sua cabecinha está em muito mau estado, a avaliar pelo que aqui escreve.
    Pergunto-me como é possível que, após um século de factos e de falhanços e de história profusamente documentada, ainda haja pessoas tão cegas como a Márcia.
    Precisa de uma fé, Márcia? De uns principios de bem e de mal?
    Há para aí religiões bem melhores do que essa que professa.

  17. Márcia Luísa

    Seres ignorantes que nunca leram nada sobre filosofia política, sonham com as coisas, baseiam os vossos argumentos em opiniões preconceituosas e pré-formadas e acreditam que seja verdade. Andam a ver muitos filmes, a consumir muita televisão, a serem ovelhas. Isso, ovelhinhas do sistema, acreitam no que querem que vocês acreditem. E como cordeiros que são, acreditam em algo e até o defendem sem saberem bem proquê, mas porque sim, porque parece bem. Desde logo, o Socialismo não leva ao Comunismo e sim o contrário. O Comunisto leva à construção de uma sociedade verdadeiramente Socialista, coisa que ainda não existiu porque demasiados seres humanos burrinhos preferem as coisas deixar andar, preferem não ter que pensar, que os outros mandem e decidam por vocês. O dono manda, vocês servilmente obedecem, e nem se apercebem!
    Mas deixa estar, com esta cambada não adianta. Continuem a pensar que o Capital é o bem da Humanidade, que os privados são justos, que a falta de um Estado que vigie pessoas doentes, obcecadas com o poder do dinheiro, e mesquinhas como vós vai impedir as grandes corrupções, tráficos de influências e desvios de capitais. Porque sim, os homens são animais naturalmente egoístas, obceados e patéticos como vós. Aliás, sem essas coisas todas, o Capital não sobrevive. É essencial ao Capitalismo haver guerra e exploração humana para que subsita. Mas vocês estão tão tapadinhos que nem reparam nisso. Se calhar passam a vida confortavelmente debaixo do tecto dos papás, nunca viram o degredo social causado pela negligência de um sistema que tanto defendem!
    Se na Rússia aconteceram atrocidades, quantas mais não acontecem à custa do capitalismo corrupto, selvagem e explorador? Quantas guerras, quantas pessoas a morrer vítimas de trabalho violentador, de fome, de epidemias, de doenças?

    Metam-se a trabalhar na caixa do Pingo Doce, experimentem ir para o campo, para as minas, para a pesca! Vá lá, metam-se a ser pescadores, a ir para o alto mar com graves faltas de apoio financeiro à vossa actividade! A correr riscos de vida e a serem depois roubados pelos que compram o peixe na lota, esses que compram o pescado a cinco tostões e vendem-no nas grandes superfícies a 10 euros o quilo, só para que vocês pudessem comer um belo de um robalo! E o dinheiro vai para onde? Para o pescador? Para o homem do mar, que continua a viver na miséria? Não, vai para a grande superfície privada. Porque esses que servem o bem estar da sociedade são os mais discriminados! É justo? Para vocês parace que sim, é mais que justo haver escravatura dissimulada para que os mercados possam crescer. Principalmente se forem vós os escravos.

    Oh espera, eu estou a fazer um discurso sério para pessoas que ainda ontem deixaram de brincar com os carrinhos!

    Deixem mas é de ser crominhos, pensem no concreto e crescam para a vida. …putos…

  18. Márcia Luísa

    Constato que nenhum de vós usa outros argumentos para além do da Rússia que cometeu atrocidades. Esse é o argumento comum, infantil e ordinário que por aí corre… o que toda a gente que pensa que percebe algo do assunto o utiliza.

    Deviam ser mais originais.

  19. Manuel Costa Guimarães

    Márcia,

    Está a escrever do alto mar, da caixa do Pingo Doce ou das minas?
    Já agora, queira por favor elucidar-nos quanto à filosofia política. O que é que acha que os crominhos deveriam aprender?

  20. Aladin

    Márcia, compreendo o seu fervor. As mentalidades religiosas são assim.
    Mas já olhou para si?
    Já reparou que sente um ódio de morte por pessoas que não comungam as suas crenças? Que seria capaz de fazer a pessoas como eu? Menos ou mais que aqueles que, antes de si, mataram milhões de pessoas em nome de uma crença nos amanhãs que cantavam.
    Reparou que nunca cantaram?
    E reparou que as pessoas que foram mortas, presas e reeducadas eram exactamente como a generalidade das pessoas? Pessoas egoístas, que procuram levar à frente as suas vidas, e dar de comer aos seus filhos e proteger a sua família. Exactamente como você faz, ou fará, um dia que cresça.
    Condena as pessoas por serem pessoas?
    Aqueles que, antes de si, tiveram poder para fazer alguma coisa face a pessoas que não seguiam a sua cartilha, tentaram criar o “homem novo”. Milhões de mortes depois, o sapiens continua a ser sapiens e o Homo Novus, nunca viu a luz.
    Sabe, essa é a prova real do falhança. A criminosa ideologia que defende não se adapta ao homem. Exige que o homem se adapte a ela. É como um carro que teoricamente anda muito mas que tem a manete das mudanças junto ao rabo. Para funcionar, teriam que criar um homem que tivesse um braço a sair do rabo.
    Não lhe parece mais lógico, mais racional, mais simples, mais sensato, andar com um carro que se adapta ao homem tal como ele é.
    E você, como é?
    Já reparou que está sentada, burguesamente, a largar pevides num instrumento e numa rede criada justamente pelo sistema de mercado que tanto ataca.
    Como é que você, uma obvia burguesa, alimenta tanto ódio a si mesma?

  21. Spongebob

    Se calhar os putos percebem mais que a Márcia, pois se calhar não tiveram uma educação marcada pelo PREC. Mesmo tendo 16 anos acho que tenho a mente mais aberta que a Márcia
    Está-se a queixar da falta de apoios estatais pois bem acabei de fazer uma descoberta que é capaz de ser útil para si: os recursos são limitados e as necessidades ilimitadas! Nunca em nenhuma situação toda a gente ficará satisfeita. Isso é uma utopia e não venha dizer que é mentira senão demonstra uma capacidade de racionar de um esquilo.
    Em relação ao único exemplo ser a Rússia: Rússia, China, Cuba, Venezuela. Quer mais?
    O Socialismo já foi experimentado vezes suficientes para demonstrar que não resulta. Ou quer arriscar mais uns milhões de vidas?
    Se calhar você não se importa com essas mortes, afinal um grande líder socialista disse uma vez: “Uma morte é uma tragédia, um milhão é estatística”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.