O fascismo é como a banha da cobra

«Será visto assim, na forma como é usada, que a palavra “fascismo” não tem praticamente significado. Em conversa, claro, é usada de forma ainda mais desregrada que na impresa. Já a ouvi aplicada a agricultores, lojistas, Crédito Social, castigos corporais, caça à raposa, touradas, o Comité de 1922, o Comité de 1941, Kipling, Gandhi, Chiang Kai-Shek, homosexualidade, as transmissões do Priestley, Pousadas de Juventude, astrologia, mulheres, cães e sei lá mais o quê.» – George Orwell, 1944, What is Fascism?

8 pensamentos sobre “O fascismo é como a banha da cobra

  1. Vasco

    Se em vez do manifesto comunista se dessem ao trabalho (prazer) de ler Orwell talvez tivessem uma perspectiva diferente.

  2. ricardo saramago

    A maioria dessa gente não lê, nunca leu nada e tem raiva a quem leu.
    A sanha ditatorial de que estão possuídos costuma ser avessa a essa actividade.

  3. O melhor seria ler o Manifesto Comunista e, acto contínuo, o Manifesto Fascista para se verem confrontados com o inelutável facto de que comunismo e fascismo são movimentos irmãos, igualmente revolucionários, progressistas, anticapitalistas, anticristãos, um, porém, de pendor internacionalista e outro nacionalista, o que constitui o sinal na face que permite distinguir os irmãos gémeos.
    Lido o Manifesto Fascista, fica a convicção de que a classificação quase universalmente aceite do Fascismo como o pólo oposto do Comunismo é uma das maiores e mais bem sucedidas mentiras postas a circular pelos comunistas e difundidas e amplificadas pelos seus aliados:

    Italiani!

    Ecco il programma nazionale di un movimento sanamente italiano.
    Rivoluzionario, perchè antidogmatico e antidemagogico; fortemente innovatore perchè antipregiudizievole.
    Noi poniamo la valorizzazione della guerra rivoluzionaria al di sopra di tutto e di tutti.
    Gli altri problemi: burocrazia, amministrativi, giuridici, scolastici, coloniali, ecc. li tracceremo quando avremo creata la classe dirigente.

    Per questo NOI VOGLIAMO:

    Per il problema politico
    a) — Suffragio universale a scrutinio di Lista regionale, con rappresentanza proporzionale, voto ed eleggibilità per le donne.
    b) — Il minimo di età per gli elettori abbassato ai 18 anni; quello per i Deputati abbassato ai 25 anni.
    c) — L’abolizione del Senato.
    d) — La convocazione di una Assemblea Nazionale per la durata di tre anni, il cui primo compito sia quello di stabilire la forma di costituzione dello Stato.
    e) — La formazione di Consigli Nazionali tecnici del lavoro, dell’industria, dei trasporti, dell’igiene sociale, delle comunicazioni ecc. eletti dalle collettività professionali o di mestiere, con poteri legislativi, e col diritto di eleggere un Commissario Generale con poteri di Ministro.

    Per il problema sociale:
    NOI VOGLIAMO:
    a) — La sollecita promulgazione di una Legge dello Stato che sancisca per tutti i lavoratori la giornata legale di otto ore di lavoro.
    b) — I minimi di paga.
    c) — La partecipazione dei rappresentanti dei lavoratori al funzionamento tecnico dell’industria.
    d) — L’affidamento alle stesse organizzazioni proletarie (che ne siano degne moralmente e tecnicamente) della gestione di industrie o servizi pubblici.
    e) — La rapida e completa sistemazione dei ferrovieri e di tutte le industrie dei trasporti.
    f) — Una necessaria modificazione del progetto di legge di assicurazione sull’invalidità e sulla vecchiaia, abbassando il limite di età, proposto attualmente a 65 anni, a 55 anni.

    Per il problema militare:
    NOI VOGLIAMO:
    a) — L’istituzione di una milizia nazionale con brevi servizi di istruzione e compito esclusivamente difensivo.
    b) — La nazionalizzazione di tutte le Fabbriche di Armi e di esplosivi.
    c) — Una politica estera nazionale intesa a valorizzare nelle competizioni pacifiche della civiltà, la nazione italiana nel mondo.

    Per il problema finanziario:
    NOI VOGLIAMO:
    a) — Una forte imposta straordinaria sul capitale a carattere progressivo, che abbia la forma di vera ESPROPRIAZIONE PARZIALE di tutte le ricchezze.
    b) — Il sequestro di tutti i beni delle Congregazioni religiose e l’abolizione di tutte le mense Vescovili, che costituiscono una enorme passività per la Nazione, e un privilegio di pochi.
    c) — La revisione di tutti i contratti di forniture di guerra, ed il sequestro dell’85% dei profitti di guerra.

    Note
    Il manifesto fu pubblicato su “Il Popolo d’Italia” del 6 giugno 1919.

    http://it.wikisource.org/wiki/Manifesto_dei_Fasci_italiani_di_combattimento,_pubblicato_su_%22Il_Popolo_d'Italia%22_del_6_giugno_1919
    http://en.wikipedia.org/wiki/Fascist_Manifesto#Contents_of_the_Fascist_Manifesto

  4. Mariana

    Sim, o fascismo é realmente banho da cobra. Já não vende. Por isso é preciso intelectualizá-lo de diferente forma. A história das liberdades individuais é bem achada. Finta o resto do pessoal pela direita fingindo que vai pela esquerda. Claro que nem todas liberdades, entenda-se, apenas algumas e para alguns. Mas é tudo uma questão de tempo, meus caros. O que vos vai nas entranhas é demasiado forte.

  5. paam

    Cara Mariana,

    “Está a insinuar, sem sequer conhecer, uma coisa sobre outro.[…]Cá está, uma das principais qualidades do fascizóide. A arrogância e a presunção. Obrigado, a pouco e pouco vamos identificando os fascizóides dos tempos modernos.” Mariana in https://oinsurgente.org/2012/08/03/temporada-parva/#comment-128749

    “Mas é tudo uma questão de tempo, meus caros. O que vos vai nas entranhas é demasiado forte.”

    Como é que a Mariana sabe o que vai nas nossas entranhas? Não estará a insinuar, sem sequer conhecer, um coisa sobre outro. Esta não é uma das qualidades, identificada pela Mariana, de um fascizóide? Não terá a Mariana acabado de cair na sua definção de fascizóide dos tempos modernos?

    Não tem nada de agradecer. Tem toda a razão. Pouco a pouco vamos identificando os fascizóides. Basta deixá-los falar que eles acusam-se a si próprios 😉

  6. Mariana

    Paam. A negação. Este blogue não existe, um grupo de pessoas com nome e currículo não escreve aqui todos os dias, os textos não são assinados e não estão acessíveis a toda gente para serem lidos. Portanto, é impossível alguém inferir de que espécie é feito quem os escreve.
    Nos últimos dias, depois de ter caído da sua cadeira, António Oliveira também entrou de forma definitiva nesse processo de negação. Será este um padrão nos fascizóides? Vamos esperar mais uns tempos para tentar perceber. Obrigado pela dica.

  7. lucklucky

    Para a Mariana a suposta arrogância e presunção torna logo o outro Fascista. É este o nível de intimidação com que está discutir paam, É claro que arrogantes e presunçosos é quem discorda da Mariana. Que Orwell tão bem explica…
    Note-se ainda a presença de Kafka… A Mariana não diz nada com que é permitido discordar, ela não define Fascismo ou Comunismo.

  8. pois

    Orwelll tem razão, não se deve abusar da palavra fascismo.

    “Fascismo Indiano
    Fascismo euro-centralista
    fascismo argentino
    Neofascismo
    Fascismos e outros socialismos
    Socialism is Fascism
    fascismo islâmico”
    In 0 Insurgente

    Já agora liam o texto completo.

    Parabéns Vasco. Reparei que já acabaste de ler a Bíblia e começaste a ler outras obras que fora do género ficcional.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.