O PS e o estado social

“O fenómeno de Oliveira do Hospital” de David Levy (Lisboa Tel Aviv)

2 pensamentos sobre “O PS e o estado social

  1. João Branco

    Cortar nos serviços para diminuir despesa e aumentar eficiência pode ser necessário. Cortar cegamente sem verificar que se está a remover os serviços do mesmo ponto onde outros já foram também cortados só pode levar à desertificação. Mas claro, fazer cortes com consciência implica planeamento, preferencialmente a médio prazo (e que preferencialmente deveria ser tomado a um nível mais próximo das populações do que o Terreiro do Paço, mas mais global do que a Câmara) e isso em Portugal, não existe.

    E deve ser dito que mais uma vez a resposta a uma crítica é “vocês também fizeram o mesmo”. Como se isso importasse para avaliar a justiça da crítica. Enquanto a questão for tratada como Benfica-Porto, não vale muito a pena…

  2. Miguel Noronha

    O estado não tem recursos para tudo nem pode fazer tudo o que faz agora. Defina-se as áreas de actuação do estado adaptadas ao recursos existentes sem esquecer que é mais que desejável uma substâncial redução na carga fiscal. Outra coisa que o estado não deve nem pode fazer é combater os fluxos migratórios internos. Para engenharias sociais já bastaram os trágicos exemplos do passado.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.