Leituras recomendadas sobre o esplendor socialista

O socialismo na prática – o laboratório da morte, por Gary North.

Comunistas-nazis, por Guillermo Llona.

24 pensamentos sobre “Leituras recomendadas sobre o esplendor socialista

  1. jhb

    Para começar o partido em questão não é comunista, é bolchevique (ou pelo menos assim se denominam).

  2. jhb

    Pois para falta de rigor bastaria com esse, mas para continuar leia o primeiro comentário ao artigo, que aqui transcrevo para a sua comodidade:

    “Existen diferencias insalvables entre el nacionalsocialismo y el marxismo. La primera de ellas el internacionalismo de éste último. Otra, el acento en la lucha de clases como motor de la historia, cosa que A.H. claramente denunció como falso. A.H. siempre luchó por la integración de clases en el Reich. Así tanto las Hitler Jugend como la organización Fuerza Por la Alegría tenían ese cometido como primoridial. Para A. H. el motor de la historia, si lo hay, no es la lucha de clases, sino la lucha de razas y fundamentalmente la lucha contra el elemento judío, al que consideraba como disolvente de las comunidades arias. De ahí que el principal factor que lleve a que la identificación del nacional socialismo con el marxismo sea una contradicción es que el primero acusa al segundo de ser un arma judía para la desintegración de las naciones.
    Aclarado esto, puede haber en el nacional socialismo una inclinación más a lo nacional o a lo social, pero siempre negando la lucha de clases. El problema de Greggor Strasser no es que fuera más socialista, sino que fue utilizado por Von Papen y Sleicher para tratar de desplazar el liderazgo de A. H. dentro del NSDAP. El problema de las SA, no es que fueran más socialistas, sino que A.H. debía elegir entre la Wermatch y ellos. No lo dudó un instante y las SA pasaron a ser historia.
    A mi entender el nacional-bolchevismo es un nacional socialismo, que lógicamente no se puede llamar así pues sería algo como traicionar a los 20 millones de muertos en la lucha contra el III Reich. Pero en definitiva recoge los componentes nacionales del NS y el componente social. A eso le suma la figura de Stalin como agente potabilizador de su oferta política.
    Pero debemos dejar claro algo: no hay nacional socialismo sin defensa de la raza aria. Y no hay nacionalsocialismo sin identificación de la raza judía como enemigo fundamenteal. Todo lo demás puede ser una teoría mas o menos fascista, pero no nacionalsocialismo, ideología que se caracterizó por esos componentes.”

  3. ruicarmo

    Começar pelo básico é sempre uma boa opção.
    Mas pronto fica registado que os bolcheviques não “são” comunistas. Calhando são liberais de Chigago e os austríacos são comunistas.
    Detectou alguma “ifalta de rigor histórico e factual” no artigo do Gary North? É para saber se o post passa na sua apertada avaliação, com 50%

  4. jhb

    A questão é que nem todos os comunistas são bolcheviques e não é novidade nenhuma que a natureza comunista do regime bolchevique é questionada por muita gente, gente que, isso sim, sabe o que significa o termo “comunista”.
    Não li o artigo do Gary North, mas sendo publicado por um think thank como o Von Mises dou-lhe tanto rigor factual como a qualquer evangelho: escrito, lido, e relido para o deleite e fortaleza espiritual dos fiéis…

    E para esplendor socialista deixo-lhe esta pequena contribuiçao: http://www.youtube.com/watch?v=gO-5JEhRas4

  5. ruicarmo

    Não seja modesto: o comunismo é o paraíso, o resto são infernos ditatoriais burgueses de tendência divisionista.
    De todos os seus “contributos” o mais válido (em termos do rigor inerente ao socialismo científico) é o “não li o artigo mas”. 😀

  6. jhb

    Eu sou modesto por natureza. Nunca disse que o comunismo é o paraíso. Disse apenas que o artigo do ABC não e rigoroso.
    Mas para si parece que isto vai por clubes, se não és do meu és do outro. O que diz muito sobre o valor que se da aqui ao rigor.

  7. ruicarmo

    A modéstia pode ser uma virtude. Quem disse que o comunismo é o paraíso fui eu. Tal como com um simples link de um artigo da wikipedia, chegou e sobrou para rebater a sua critíca de falta de rigor. Presumo que rigor, rigor seja o seu e em regime de exclusividade, video incluído.

  8. Acho curioso que se esteja sempre a falar dos malefícios do comunismo, das vitimas do comunismo e das alianças dos comunistas com outros, mais ou menos recomendáveis.

    De uma forma geral este tipo de discurso até tem algum fundamento de verdade. Mas, o que acho curioso é que nunca se fale das vítimas do capitalismo e das alianças dos capitalistas com outros mais ou menos recomendáveis…

  9. ruicarmo

    Acho curioso O Raio não se candidatar a meu editor aqui n’O Insurgente. Também curioso é o facto de no meu post que se intitula “Leituras recomendadas sobre o esplendor socialista”, os autores dos artigos menosprezarem as “vitímas do capitalismo”.

  10. jhb

    “Tal como com um simples link de um artigo da wikipedia, chegou e sobrou para rebater a sua crítica de falta de rigor”.
    Não me faça rir, esse artigo da wikipedia nao rebate nada. O artigo diz que o partido bolchevique mudou o nome para partido comunista, logo bolchevique=comunista?!!
    Como o PSD é um partido social-democrata…
    Como disse, ficar-se pelo básico não ajuda nada…
    Não se ofenda pelo vídeo, era só uma pequena provocação…
    Olhe, rigor por rigor, prefiro o meu ao do artigo do ABC.

  11. ruicarmo

    “Como o PSD é um partido social-democrata…”
    Está tudo dito quanto à sua ciência política. 😀

    “bolchevique=comunista?”
    Nada disso. Já foi dito e demonstrado que o comunismo é que é bom e que os bolcheviques não foram, não são e não serão comunistas.
    Sobre os actos e consequências do comunismo algum comentário rigoroso?

  12. jhb

    Estava a ser irónico quando disse que PSD era um partido social democrata. Se não percebeu, o problema é seu.

    Mas eu algumas vez disse que o comunismo era bom?!! É que já são duas vezes… Isto parece-me já uma
    questão de ideias reprimidas. Quem sabe se o Rui Carmo é um comunista reprimido…

    Transcrevo de novo o inicio do comentário ao artigo do ABC:

    ” Existen diferencias insalvables entre el nacionalsocialismo y el marxismo. La primera de ellas el internacionalismo de éste último. Otra, el acento en la lucha de clases como motor de la historia, cosa que A.H. claramente denunció como falso.”

    O partido bolchevique cedo demonstrou que iria seguir um caminho diferente dos princípios do comunismo, tal e qual este foi definido pelos marxistas.
    Essa é a falta de rigor do artigo, que, logo pelo título, identifica os bolcheviques com o comunismo, o que não me surpreende nada dada a linha editorial do ABC.

  13. ruicarmo

    Não, o problema é mesmo seu. Não percebeu a minha ironia. 😀
    Repito: o comunismo é mesmo o paraíso terreno.
    O melhor que tem como “argumento” é uma transcrição de parte de um comentário ao artigo do ABC. É esmagor, tanto rigor.

  14. jhb

    O facto do comentário ser mais rigoroso que o próprio artigo diz tudo sobre o rigor deste último.
    E o meu “argumento” não é o comentário. Transcrevi o comentário porque contém alguns pontos pertinentes para avaliar o conteúdo do artigo. E creio que o objectivo do comentário era mesmo esse, o de mostrar a falta de rigor do artigo.

  15. ruicarmo

    O rigor está para o jhb como a sombra está para o Lucky Luke. 😀
    Estranho é a ausência de um comentário seu, obviamente rigoroso, sobre as consequências do comunismo.

  16. jhb

    Porque é que eu havia de comentar as consequências do comunismo?
    Eu simplesmente apontei para a falta de rigor do artigo do ABC.
    Talvez se eu tivesse dito “O comunismo é um regime criminoso, mas de este artigo, escrito no ABC, não se espera grande rigor histórico ou factual…”, o Rui Carmo ficasse mais descansado?

  17. ruicarmo

    Porque é que eu havia de comentar as consequências do comunismo?
    Talvez seja a altura para o relembrar de forma simples do título do post “Leituras recomendadas sobre o esplendor socialista” e os conteúdos dos dois artigos e apelar ao seu “rigor” nos comentários.

  18. De qualquer forma, penso que os nacional-bolcheviques defendem que as empresas com 20 ou menos trabalhadores devem ser privadas (eu li uns trechos do programa deles em tempos), o que acho que os desqualifica como “comunistas”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.