Propaganda pública

 

A crise grega, mais a possível saída da Grécia da moeda única, mostra-nos que, ao contrário do que foi dito, os investimentos públicos em eventos internacionais não estimulam a economia. Na verdade, não passam de um instrumento do estado para aumentar o ego dos cidadãos e se manter em actividade.

Por muito que a esquerda queira fugir ao assunto, uma crise da dívida é uma crise da dívida. Excesso de investimento público que, além de não ser produtivo, onera o futuro. A conta está a ser paga agora, oito anos depois.

Não deixa de ser interessante que a extensão das crises grega e portuguesa seja proporcional à dimensão dos disparates feitos em 2004: enquanto uns tiveram os Jogos Olímpicos, outros ficaram-se pela realização do Campeonato da Europa de Futebol.

Anúncios

13 thoughts on “Propaganda pública

  1. António Joaquim

    Há a divida PRI e a divida PUB e toda a gente gosta de ir ao PUB nem que seja para molhar a pena.

  2. tric

    plenamente de acordo…por isso não sei porque os liberais defendem o investimento publico na banca privada portuguesa!

  3. Henrique Gama Pinto

    Mas então o André considera que o próximo a cair no excesso de despesa publica é a Alemanha (organizador do Mundial 2006)?

  4. Ricardo G. Francisco

    Este tric não gosta nada de ser levado a sério. Sempre a dizer coisas que toda a gente sabe que não são verdade. Aqui a maioria se não a totalidade foi contra os bailouts. De tanto dizer asneira não se admire que as pessoas simplesmente passem à frente dos seus comentários. Por ser publicado não quer dizer que seja lido.

  5. tric

    não vi ninguem aqui a pedir a demissão do Primeiro-Ministro de Portugal !!?? ou mesmo a exigir a revogação de tal medida…aliás, é estranho que tenha mesmo passado ao lado aqui os termos de tal acordo com a banca…aqui e em toda a comunicação social…só lí posições do tipo ” com o meu vestido preto, nunca me comprometo…”, generalizações vaguissimas…

  6. Eusebio da Silva Pereira

    Aqui no UK ainda nao chegou a conta para pagar que vai ser pesadissima. E nao se pense que estes gajos sao muito diferentes do que se fez em Portugal ou Grecia. Inauguraram o estadio de Wembley 3 anos atras quando ja sabiam que iam ser os anfitrioes dos JO. Nao se “lebraram” de incluir uma pista de atletismo quando lhes podia poupar dinheiro. Ao inves construiram um estadio em que se comeca a questionar a utilidade deste pos Olimpicos. Propuseram ao West Ham ou ao Tottenham jogarem la para a premier league. Quando souberam quando tinham de pagar para la porem os coutos fizeram logo um manguito. A todos aqueles que querem por a Alemanha no mesmo saco por ter construido os estadios para o Mundial, so para que saibam do Top 20 dos clubes com maiores assistencias, 8 sao germanicos. Gostava de saber em que posicao estao a U.Leiria, Beira-Mar, Farense, Academica e Boavista.

  7. Henrique Gama Pinto

    Caro André, estou a afirmar que o que se está a passar na economia não é só uma “crise da dívida”, por muito que a direita queira fugir ao assunto.

  8. Se o disparate fosse ouro, este blog era um poço de massa!
    O problema de Portugal, Grécia, Espanha, Holanda, etc., não tem nada a ver com Jogos Olímpicos ou Campeonatos de futebol, tem a ver simplesmente com a adesão ao Euro promovida e feita por uma cambada de criminosos que conseguiram por um continente quase inteiro de pantanas!
    E, pior, defendidos por uma data de gente que passa o tempo a arranjar desculpas para a crise do Euro e a tentar lançar areia para os olhos da malta.

    Já agora, para quando a crise da China que organizou os Jogos olímpicos de 2008? Ou a da Austrália que organizou os de 2000?

    Ahhh! E a África do Sul com o último Mundial de Futebol?

  9. lucklucky

    “estou a afirmar que o que se está a passar na economia não é só uma “crise da dívida”, por muito que a direita queira fugir ao assunto.”

    É claro que não é. É uma crise da demografia que a esquerda fez tudo para provocar, é uma crise de qualidade das pessoas que a esquerda fez tudo para provocar, é uma crise de falta de matemática que a esquerda fez tudo para provocar, é uma crise do crime e violência que a esquerda fez tudo para provocar, é uma crise do multiculti que a esquerda fez tudo para provocar, é crise que vem compra dá votos com o dinheiro dos outros – Populismo – que a esquerda fez tudo para provocar e quando não chegou foi-se endividando.
    É uma crise das Republicas incompletas só com uma perna onde a esquerda não tolera que tirem o poder total que os Governos têm sobre a economia das pessoas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.