Igualdade, mas calma aí pá !

Ando a reparar que todos os dias são o Dia Internacional de alguma coisa. Presumo que deve haver mentes iluminadas sentadas a uma secretária a inventar estas magníficas celebrações. Ontem foi, supostamente, o Dia Internacional contra a Homofobia. A JSD, que gosta dessas coisas, fez questão de se associar apelando “a todos os cidadãos que tomem consciência do seu papel na sociedade e se tornem atores nesta luta para erradicar a homofobia, a discriminação e a intolerância” – e bem. Mas ao que parece a luta da JSD contra a discriminação não inclui a adopção por casais homossexuais, sendo que ” para os jovens a adopção por casais gay não é uma preocupação central. A JSD tem muitas dúvidas sobre esta matéria”. É pena. Neste aspecto BE e JS estão de parabéns, assim como está o nosso Adolfo, entre outros deputados. 

16 pensamentos sobre “Igualdade, mas calma aí pá !

  1. Sebastien De Vries

    Quando se festejam estes temas é porque se pensa que há dinheiro, há ócio…a filosofia nasceu assim…mas não pediram emprestado.

    Há um bom tema a trabalhar: a guerra. Não é um “estágio”…

  2. tric

    o insurgente está mesmo judaico!! nem uma palavrinha sobre o desemprego…nada sobre as novas parceria publica-privada entre o Estado e a Banca…sobre a Espanha nem uma palavrinha…o insurgente foi ocupado ?

  3. José Pedro

    Eu não tenho dúvidas, o casamento homosexual é uma treta. Chamem-lhe união, e ninguém os impede de viver juntos, mas não é a mesma coisa que um homem e mulher casarem. Tenham paciência, mas a vida é assim.

  4. José Pedro

    E digo mais, esta crise Europeia, que pode dar resultados tão devastadores como outra Guerra terrível, pode também nos relembrar de quais são as nossas prioridades.

    Não há nenhum partido que tenha uma opinião em que eu me reveja!

  5. Luís Lavoura

    Presumo que devem haver
    Presumo que o Ricardo necessita de uma revisão do seu português.

  6. http://mentat-dune.blogspot.com
    “A questão está na criança, saber de facto qual o melhor interesse da criança”

    Só está de parabéns, quem fale assim e proceda em conformidade.
    As crianças são por acaso mercadoria que possa ser negociada com toda a “liberalidade”?
    No estado em estamos, a AR continua a perder tempo com estes assuntos “fracturantes”, e há quem ache que isso um bom trabalho?
    Está bem.
    Devia ser também criado o Dia Internacional da Pachorra, que é que faz mais falta para os Cidadãos que sustentam com os seus impostos estas “frescuras”.
    .

  7. Miguel Noronha

    Quando é que esse blog vê a luz do dia? Salvo seja…
    Já lá vão uns anitos na clandestinidade.

  8. “Quando é que esse blog vê a luz do dia? Salvo seja…”

    Caro Miguel

    Foi sem querer que saiu ali o endereço.
    Mas eu só sirvo para mandar uma “bocas” nos “cafés” dos amigos.
    Não tenho literacia suficiente para manter um Blog.
    Se o mantivesse, só se fosse a falar de Engenharia Civil e depois dum presuntivo engenheiro ter feito o que fez, e com a quantidade de “maçaricos” que andam por aí, não me parece que seja tema com muita “saída”.
    .

  9. Pedro Pestana Bastos

    Ricardo
    Associar os que defendem que uma criança não deve ter dois pais pais ou duas mães à homofobia é de facto espantoso.
    Agora quem defende é contra a redefinição de casamento ou da parentalidade é homofóbico???
    A maioria entende (e quanto a mim bem) que não é indiferente uma criança ter dois pais ou duas mães em vez de um pai e uma mãe.
    A paternidade e a maternidade não confundem e preenchem dimensões diferentes no desenvolvimento de uma criança.
    Quanto ao facto do Adolfo ter estar de parabéns por ter votado ao lado do BE e da JS e contra a orientação de voto emitida pela direcção do partido que integra a doutrina divide-se…

  10. Ricardo Lima

    Pedro, não foi isso que eu disse. Eu disse que a luta contra a discriminação, nos termos em que a JSD a levou a público, inclui a adopção por casais homossexuais. Ao permitir que casais heterossexuais adoptem crianças e ao vetar essa opção a casais homossexuais está a os segundos. Não se pode exigir um “Portugal igualitário” – nas palavras da JSD – e depois ser reservado no que toca à igualdade.

    Eu não vejo gravidade no sentido de voto do Adolfo. Mais grave, em questões de orientação de voto, seria o caso do Ribeiro e Castro, apesar de eu próprio também concordar com a causa em questão.

  11. Aladin

    Há estudos sobre bases de dados ( data mining) americanas que apontam para interessantes correlações:

    66% dos violadores
    75% dos homicidas adolescentes
    75% dos condenados a penas pesadas

    são rapazes que cresceram sem a presença de um Pai.

    A taxa de gravidez adolescente é 50% maior em famílias sem pai.

    Uma vez que, tirando os filmes da correcção política, na vida real os pais não se dedicam a elaboradas conversas com os filhos, sobre estes temas, parece que a mera presença de um pai, é uma coisa importante.

    Este tipo de estatísticas chateia bastante os pregadoras da correcção política, mas parece que há aqui algo de substancial…

  12. Pedro Pestana Bastos

    Ricardo, o teu post associa o dia mundial contra a homofobia ao facto da JSD ter duvidas em relação à adopção por duas pessoas do mesmo sexo.
    Mas também te digo que não existe nenhum direito à adopção. Defender um portugal igualitário é defender que as crianças tenham direito a um pai e a uma mãe porque não é igual (nem indiferente) ter dois pais ou duas mães em vez de um pai e uma mãe.
    E isto nada tem a ver com a orientação sexual de cada um. Duas mulheres ou dois homens hetero também não podem adoptar uma criança.
    Já quanto ao voto do Adolfo entre o ser grave e os parabéns vai um grande caminho…

  13. O igualitarismo normalmente dá asneira.

    Quanto à matéria da adopção e da avaliação negativa do voto do Adolfo nesta matéria, partilho, como é sabido, a posição do Pedro Pestana Bastos.

  14. bocage

    Estão à vista os trágicos resultados deste danoso Sistema Político nesta irracional Democracia como resultado de uma irrealista e fantasiosa Constituição Abrilista . “In casu” , trata-se de uma realidade que “de facto” já acontece e a Lei não proibe e esta apática Sociedade sem “escala de valores” não censura !…
    Falar de discriminação , intolerância e quejandos termos ,
    são meras manobras de diversão intelectual numa Democracia cada vez mais decadente , pois as liberdades de A ou B ou de A e B , homossexuais , terminam quando colidem com a liberdade ou interesses de terceiro C , o desejado adoptado , pois não é correcto
    decidir sobre os interesses de C sem ouvir C o que prematuramente agora não pode acontecer .
    Note-se que um menor adoptado por casal de gagos é seguramente um gago , a menos que se sujeite a um tratamento adequado , o que não acontece com os gays que como eles dizem não sofrem de qualquer doença …
    “É mais fácil morrer do que mudar de hábitos” . E o ser humano começa por ser um “macaco de imitação” …
    E é um sacrilégio falar de adopção com esta “gente” .
    http://oporcocapitalista.blogspot.pt/2012/04/manifesto-homofobico.html

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.