Pandêgos (6)

E o comentador Leandro encontrou o vídeo:

Anúncios

19 pensamentos sobre “Pandêgos (6)

  1. Isto tudo para dizer que o nazismo e o fascismo são de esquerda ou, pelo contrário, para concluir que o comunismo é de direita?

  2. tric

    é como o liberalismo…é uma mer**! é uma ideologia que está por detrás do genocidio cristão português ! D. Pedro IV o cão judeu-maçon

  3. tric

    Os Judeus consideram Napoleão Bonaparte como “o Grande Libertador “…Como é possivel que os Judeus cheguem à Presidente da Républica de Portugal bem como dominem a cultura de Portugal, sem nunca terem pedido desculpas!!?? só mesmo num Regime Máçonico-Judaico…cuja história de Portugal demonstra muito bem, como acabam estes regimes…

  4. Estão a ver como isto é um mundo quase perfeito: toda a literatura (e media) negacionista é permitida, até as delirantes teses do vosso Querido Líder Hayek. É o maravilhoso das democracias “socialistas”. Já nos vossos “liberais” Chile de Pinochet e China actual há algumas coisas que nem por isso.
    (Já agora: o que é “pandêgo”? É uma espécie de podengo?

  5. Miguel Noronha

    Tinha a impressão que a China era governada pelo Partido Comunista e é considerada um dos modelos para o PCP. Mas posso estar enganado.

  6. APC

    Em Cuba e na Coreia acho que também proíbem umas coisitas aqui e ali.

    Quanto ao Chile, caro Sérgio, não confunda liberalismo económico, que no caso do Chile em particular, falamos antes de monetarismo, com liberalismo político, coisa que Pinochet não defendia lá muito. São essas confusões que o assolam que assolam a maior parte da esquerda, no entanto, preocupa-me o facto de confusões dessas serem originadas na ignorância ou pura preguiça.

  7. tric

    “Tinha a impressão que a China era governada pelo Partido Comunista e é considerada um dos modelos para o PCP.”

    é um modelo para o PCP, Liberais, Bloco de Esquerda, Socialistas…tal o silêncio que fizeram ao negócio em que o Partido Comunistas Chinês se apoderou de interesses estratégicos portugueses…nem uma moçãozinha de censura apareceu na judaica-maçónica Assembleia da Republica…

  8. Miguel: não vi por aqui muitos textos a criticarem a compra da EDP e da REN por empresas estatais chinesas, detidas a 100% pelo PC chinês. De qualquer modo, se quer alguém que goste do regime que vigora na China, tanto actualmente como no tempo de Mao, escusa de procurar no Arrastão, porque não vai encontrar lá ninguém.

    APC: pois há, em Cuba e Coreia. Mas que tenho eu a ver com isso, para além de desejar que tais regimes desaparecessem rapidamente?

    Não, não confundo liberalismo económico com liberalismo político. Mas aqui no Insurgente já vi coisas escritas do tipo: “o liberalismo económico é um passo para o liberalismo político”, coisa que, convenhamos, é completa e vergonhosamente descupalibizadora de regimes totalitários que aplicam esse liberalismo económico. No Insurgente também vi celebrações mais ou menos veladas do golpe de Estado que matou Allende e levou Pinochet ao poder (e de resto Kissinger é bastante elogiado por aqui). Basta procurar (não tenho paciência agora). Ignorância? Preguiça? Olhe que não, meu caro, olhe que não…

  9. Miguel Noronha

    “Miguel: não vi por aqui muitos textos a criticarem a compra da EDP e da REN por empresas estatais chinesas”
    E porque razão haveria de ver?

    “o liberalismo económico é um passo para o liberalismo político”
    Não sei se viu escrito assim. De qualquer forma é sempre positivo quando o governo confere maior liberdade económica. É menos poder para o estado e mais liberade para os individuos. Nada disto invalidada que seja desejável maior liberdade política num dado país. O desejável é que a liberdade quer política quer económica não seja restringida pelo governo.

    “No Insurgente também vi celebrações mais ou menos veladas do golpe de Estado que matou Allende e levou Pinochet”
    O golpe de estado evitou uma ditadura comunista no Chile. Ainda assim nada justifica a repressão nem que ele se tenha mantido no poder durante 17 anos. Felizmente cedeu o poder pacificamente ainda que tarde demais.

    “e de resto Kissinger é bastante elogiado por aqui”
    Hum… Pode-me arranjar exemplos? E imagino que, como alega, sendo ele “bastante elogiado” por estas bandas náo lhe deve ser difícil arranjar meia duzia de exemplos de autores diferentes.

  10. Ricardo Lima

    ” Já nos vossos “liberais” Chile de Pinochet e China actual há algumas coisas que nem por isso.”

    O Pinochet e os Chineses são liberais ? Muito me conta…

    “No Insurgente também vi celebrações mais ou menos veladas do golpe de Estado que matou Allende e levou Pinochet”

    E só não viu mais porque o assunto já está batido. Só foi pena o Allende não ter saído de cena, a bem ou a mal, mais cedo.

    “e de resto Kissinger é bastante elogiado por aqui”

    Não sei onde viu elogios ao Kissinger, eu ainda não vi nenhum. Mas se é para estrear, aproveito para lhe dizer que gosto bastante de ler o homem.

  11. APC

    “Mas aqui no Insurgente já vi coisas escritas do tipo: “o liberalismo económico é um passo para o liberalismo político”, coisa que, convenhamos, é completa e vergonhosamente descupalibizadora de regimes totalitários que aplicam esse liberalismo económico.”

    Acredito que tenha visto, e inclusivamente concordo perfeitamente com a afirmação, não vejo o que tem de mal. Não acredito que tenha lido essa expressão associada à “desculpabilização vergonhosa” de qualquer regime totalitário, aliás, até o Sérgio é capaz de compreender que o Liberalismo Político em todas as suas concepções não coaduna com regimes totalitários.

    Já os Socialismos, Comunismos e afins…

    Quanto aos chineses, sejam eles bem vindos, não me faz qualquer espécie. Gostava é que o Estado incompetente tivesse renegociado rendas absurdas negociadas pelo anterior governo incompetente antes de meter lá os chineses, mas isso é outra história.

  12. Miguel Noronha

    “Não sei onde viu elogios ao Kissinger, eu ainda não vi nenhum. Mas se é para estrear, aproveito para lhe dizer que gosto bastante de ler o homem.”
    Eu também. Se não ficou claro aproveito para esclareceer que me referia ao Kissinger enquanto político e membro da administração americana.

  13. L Lara

    E não é possível, e desejável, uma economia liberal com uma política socialista? Os países escandinavos (ou a Holanda) serão maus exemplos?

  14. lucklucky

    “vergonhosamente descupalibizadora de regimes totalitários que aplicam esse liberalismo económico.”

    Mais uma vez a ignorância de conceitos à mostra…

    Não há regimes totalitários que aplicam liberalismo económico. É impossível. Por definição Totalitário quer dizer controlo de Tudo= Economia e Política. Se o regime do ditador X está-se nas tintas que o senhor João tenha uma loja então não é Totalitário. É uma Ditadura Autoritária.
    É uma Ditadura que é violenta contra quem a quer derrubar, mas como a definição de política é mais restrita, alguém que por exemplo seja apolítico consegue viver sem constrangimentos importantes pois a sua economia não faz parte da política.

    Ao contrário como para a Esquerda tudo é política, até as couves do senhor Manuel, por isso as Ditaduras de Esquerda especialmente as fundamentadas por princípios Comunistas são Totalitárias. Tudo importa ao apparatchik. Logo a violência do Estado pode acontecer por causa das couves do sr.Manuel. Não é preciso que o senhor Manuel queira liberdade basta que não queira que lhe controlem as couves.

  15. A. R

    O Chile de Pinochet, em relação a Cuba-Coreia do Norte- foi sem dúvida uma grande democracia. Liberdade para sair e entrar do país, ter antenas parabólicas, ter comida, ter trabalho, ter justiça, ter fotocopiadoras, poder ouvir e ler o que se quisesse foram regalias impensáveis para os paraísos comunistas.

  16. António Machado

    Lá vem a converseta do Chile. Allende tomou o poder após o voto do povo. E depois? O povo é idiota. Votou num comuna. Morreu como merecia.

  17. Joaquim Amado Lopes

    Clássico. Um dos dogmas da esquerda (nazismo = direita) é posto em causa e vem logo um “esquerdista” disparar em todas as direcções, misturando alhos com bugalhos e demonstrando o quão pouco sabe do que fala. A novidade é que, desta vez, é nem mais nem menos do que o Sérgio Lavos a dar um ar da sua graça.
    Convém não esquecer que o Sérgio Lavos só se representa a ele próprio (parece até que não milita em nenhum partido) e que há “à esquerda” gente inteligente e culta com quem vale a pena discutir. Com o Sérgio Lavos aqui a representar o pior que “a esquerda” tem para oferecer, pode ser que alguns desses outros se sintam obrigados a fazer o contraponto e comecem a aparecer.

    De qualquer modo, seja bem vindo, Sérgio.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.