Um bom sinal

Alguma coisa o poder polítco deve estar a fazer bem.

A Associação 25 de Abril não participará este ano, pela primeira vez, nas celebrações oficiais da Revolução dos Cravos por considerar que «a linha política seguida pelo atual poder político deixou de refletir o regime democrático herdeiro do 25 de Abril».

O anúncio foi feito em Lisboa pela direção da associação, de que fazem parte alguns dos chamados “Capitães de Abril”.

«A linha política seguida pelo atual poder político deixou de refletir o regime democrático herdeiro do 25 de Abril configurado na Constituição da República Portuguesa», lê-se no texto do manifesto «Abril não desarma», lido hoje, em Lisboa, aos jornalistas e a uma assembleia de associados pelo coronel Vasco Lourenço.

Adenda: Mário Soares e Manuel Alegre amuaram e também não vão participar nas cerimónias oficiais. O ar ficará mais respirável.

32 pensamentos sobre “Um bom sinal

  1. Ramone

    Sem dúvida um bom sinal. Já é tempo de recusar partilhar palcos e palanques com patetas como Passos e Cavaco.

  2. APC

    Ou então na Associação 25 de Abril já não há ninguém que aguente as artroses… fica-se muito tempo de pé nestas coisas…

  3. Luís Marques

    #3
    Ah, ah, ah, é a brigada do reumático. Reparem bem na semelhança, em Março de 1974 a brigada era toda do regime que estava a ponto de cair, agora é o mesmo, só mudaram as moscas velhas.

  4. mochochato

    Os meninos e as meninas que por aqui escrevem não se esqueçam de que a liberdade que hoje têm para o fazerem devem-na aos tais que “não aguentam as artroses” (ironia fina, muito elegante e sofisticada…).

  5. mochochato

    Já agora, Pedro Passos Coelho e restantes governantes deveriam ser consequentes com as suas ideias e trocarem a supressão dos feriados do 5 de Outubro e do 1 de Dezembro pela eliminação do 25 de Abril e do 1º de Maio. Não tenho dúvidas que a maioria dos “insurgentes” aplaudiria frenéticamente tal medida.

  6. FGCosta

    As medidas do governo começam a ter alguns efeitos positivos…
    Se bem que vou sentir algumas saudades das tiradas sazonais do Vasco Lourenço, com aquela voz fantástica de quem acabou de enfardar um prato de carapaus de escabeche (nunca repararam?)

  7. mujahedin

    @mochochato Acho que os ‘capitães da liberdade’ e outros ‘lutadores’ já foram amplamente recompensados, não? Ou são necessários mais 40 anos de dinheiro dos contribuintes por essa tal “liberdade”? Já agora, antes dos capitães trazerem a liberdade, não havia canetas, era?

  8. Joaquim Amado Lopes

    “o regime democrático herdeiro do 25 de Abril”
    Se o “regime herdeiro do 25 de Abril (de 1974)” foi o que se viu no ano que se lhe seguiu, apelidá-lo de “democrático” denota um notável desfasamento da realidade. Mesmo passados 38 anos ainda há muitos que não aceitaram a democracia (a Associação 25 de Abril, p.e.).

    De qualquer forma, é realmente um bom sinal. Pode ser que se comece finalmente a comemorar o regime democrático que temos, em vez da ditadura que muitos “revolucionários” queriam (querem!) e tentaram implantar.

  9. mochochato

    @mujahedin Havia canetas mas escrever era uma acto de coragem se fosse contra o poder instalado. Também existiam muitos lápis de cor azul que tratavam de calar qualquer insurgente. Falar hoje é fácil. Gostaria de saber qual seria a atitude do mujahedin perante a censura, a PIDE, as múltiplas proibições, , as perseguições por delito de opinião, a incorporação militar obrigatória para combater em África, etc. Mas como, pelos vistos, para o mujahedin a liberdade é uma questão relacionada com o dinheiro dos contribuintes, certamente que teria vivido feliz durante o Estado Novo…

  10. ruicarmo

    Os trolls e os capitães de Abril, auto-considerados os donos do dia do golpe-, também amuam.

  11. Pi-Erre

    Oh!… Coitado do mochochato!… Ele foi censurado, ele foi perseguido, ele foi preso pela PIDE, ele foi incorporado para combater em África, ele foi morto e depois torturado, ele foi comido pala mosca tsé-tsé, ele falou com dificuldade e foi mandado calar, ele ressuscitou e está aqui para nos contar as suas grandes lutas contra as ditaduras de antes do 25A e depois do 25A, aqui e em toda a parte do mundo, amen, etc., etc.
    Conta lá, Mochochato, conta lá para nos divertirmos, conta lá, pá.

  12. mochochato

    A reacção do Pi-Erre é bem elucidativa e, tenho de confessar, fez-me sorrir pela irritação que pelos vistos produzi. Mas também tenho de reconhecer que veria com bons olhos que o irritado Pi-erre fosse um dia censurado, preso, obrigado a combater numa guerra qualquer, torturado e mesmo picado pela mosca tsé-tsé (comido acho exagerado, mas enfim, cada um com os seus fetiches…). Mas atenção, que tudo isto lhe acontecesse num ambiente conhecido e que certamente frequenta assiduamente: na Playstation!

  13. ricardo saramago

    O regime está nas últimas.
    Já nem estes ratos do regime dão um tostão furado por ele.

  14. Eurocéptico

    Até há 38 anos a rapaziada insurgente que aqui disse o quis, não dizia nada e mesmo que fizesse parte da pandilha da altura, só estaria autorizada a falar nos seus ballets ou nas suas tertúlias. E agora que pode dizer o que quer, não gosta de ouvir opiniões contrárias. E depois dizem que o mocho chato é chato. É uma chatice.

  15. ruicarmo

    Felizmente, o Vasco, o Mário e o Manuel gostam – como só eles sabem gostar – ouvir opiniões contrárias às suas.Um pouco mais a sério, perderam as eleições, a influência e o simples tino. Felizmente.

  16. mujahedin

    @mochochato De censura, não gosto. Mas ela existe ainda hoje. Só que não é a lápis azul, é a cash mesmo. E eles calavam qualquer insurgente, mas eles fartavam-se de falar, na mesma. Seria interessante ouvir novamente o que dizia, por exemplo, Manuel Alegre na Rádio Argel… Em Espanha falavam bem menos, aparentemente… As múltiplas proibições, não sei a que se refere. Ainda hoje há múltiplas proibições, e então? Perseguições por delito de opinião? Experimente dizer por aí que não gosta de homossexuais, por exemplo, e depois aguarde… Quem diz homossexuais diz muitas outras coisas. Tudo, aliás, que escape ao “politicamente correcto”. A incorporação obrigatória, bom, parece-me normal tendo em conta que o país estava em guerra contra (super) potências estrangeiras, que armavam e financiavam os “libertadores”. Depois viu-se o quanto eles libertaram. Aliás ainda lá andam, livres, os angolanos, moçambicanos, etc. Alguns, os que sobreviveram à “libertação”. Porque os outros, muitos, brancos e negros, foram assassinados, violados, decapitados, e sabe Deus o que mais lhes terá acontecido. Podem todos esses e seus familiares, entre os quais me incluo, agradecer aos grandes paladinos da liberdade o belo destino que tiveram.

    E, pelo que se tem visto desde a “libertação”, é antes para os libertadores que a liberdade é uma questão de dinheiro dos contribuintes. Tão ávidos têm andado a roubá-lo que, não fora a “liberdade” que trouxeram, dir-se-ia que era o único objectivo que tinham. Mas como trouxeram a “liberdade”, não faz mal, a gente paga. Até se acabar o dinheiro, pelo menos. Depois, veremos como vai ser…

    Vocês não entendem, ou então não querem entender, que não é ditadura que se quer de volta. É a honestidade, a ética e sentido de dever público que, quer queira quer não, vigorava na administração pública e, consequentemente, na sociedade. Quando as coisas eram feitas, eram bem feitas, com cuidado, com esmero, entende? Não era a achanatar como hoje, de qualquer maneira. Porque dantes a responsabilidade não se esfumava ao fim de quatro anos…

    Liberdade? Mas qual liberdade? Só se for a de o povo ser roubado impunemente por quem deveria servi-lo. O resto são cantigas…

  17. Aladin

    “que o irritado Pi-erre fosse um dia censurado, preso,”

    O Pi-erre não sei, mas conheço alguns que no Verão quente, foram presos e torturados pelas forças “progressistas”.
    Um deles, um militar negro, oriunda da Guiné, Marcelino da Mata, de seu nome, condecorado com a Torre e Espada por feitos em combate.
    E alguns dos que lhe propiciarem este tipo de “liberdade”, foram os que agora fazem muafas e se reclamam os depositários do “verdadeiro 25 de Abril”.

    Um deles, conheço-o bem, agora coronel reformado, familiar do Rui Namorado, do Comite Central do PCP, era quem tinha os famosos mandados em branco. Estava no CopCon.

    Quem os não conhecer estes pulhas, que os compre.

  18. jota

    Mas é verdasde ou mentira que os militares se revoltaram por causa de questões relacionadas com as carreiras, as promoções..o pilim ? e depois o golpe deu no 25 abril e no 25 novembro. Terminou numa democracia mas esteve perto de terminar numa ditadura comunista. Agradeço a todos os que lutaram pela democracia e liberdade, militares e civis, mas escarneço dos que se fazem passar por democratas e que queriam transformar portugal num satélite soviético e que nesta data aparecem como os hérois de abril ( comandados pelo otelo terrorista e assassino perdoado e amnistiado mas que nunca se arrependeu ).

  19. Pobres e mal agradecidos.
    Estes reaças que por aqui postam e aqui comentam, não merecem comer atacadores com estilhaços, muito menos cabeça de sargento.
    A esta gente a unica coisa que conta é o “eu” nunca aprenderam a soletrar o “nós”, dai nunca chegarem a ser gente, não passam de lixo.

  20. Aladin

    O jojoratazana tem razão. Esta gente, que não pensa como ele, só merece Campo Pequeno e Sibéria.
    Isto sim, é que é ser democrata.

  21. Aladin como eu te compreendo, só pensas em ti, por isso tens medo do outros.
    Continuas a vender aquela que comiam criancinhas ao pequeno almoço, e matavam os velhinhos com uma injecção atrás da orelha.
    Triste.

  22. A. R

    Esta malta que amuou devia ir era para o calabouço pelas centenas de milhares de mortos que causaram ao entregar as colónias ao Imperialismo soviético e a uma mortandade de rara dimensão. Nunca foram homens.. foram mais oportunistas que navegaram à vista e cativaram idiotas úteis que nada aprenderam.

  23. ruicarmo

    Quase que impressiona a capacidade de sofrimento do jojoratazana. É obrigado a ler e a comentar sobre opiniões “reaças” que deploravelmente não são as suas.

  24. Aladin

    “Continuas a vender aquela que comiam criancinhas ao pequeno almoço, e matavam os velhinhos com uma injecção atrás da orelha.”!

    Nada como tentar caricaturar, para fazer de conta. A verdade, meu caro, é que as doutrinas que baba, são directamente responsáveis pelas maiores mortandades da História.

    O Mao libertou dezenas de milhões, os soviéticos, tb nessa ordem. E depois, em 2º escalão, Cambodja, Coreia do Norte, etc, etc, andaram na casa dos milhões.
    Cuba está noutro campeonato, mas até o Fidel fez mais de 30 000 risquinhos.

    Ao pé destes campeões, coitado do Pinochet ( cerca de 3000) e então o Salazar nem se fala (menos de 60).

    Os números são chatos, eu sei, mas importa pregá-los na testa dos tontos, para que não apareçam Ritas Ratos, a clamarem que nunca ouviram falar em Gulags, Laogais, Campos da Morte, etc.

  25. Anselmo Damásio

    Tanto disparate para aqui escrito. Esquecem-se de um pequeno pormenor, não podiam estar para aqui a dizer asneiras se esses militares não tivessem feito o 25 de Abril. Com a revolução não se restaurou só a liberdade, ganhamos alguns direitos que estes fascistas do Passo e do Cavaco nos tiraram, só espero que também não nos tirem a liberdade. Pelo que ouvi dizer, as pessoas amanhã não vão poder SE manifestar nas ruas, porque senão tem logo a policia em cima.
    A PROPÓSITO DE ALGUNS COMENTÁRIOS AQUI FEITOS: Ou são fascistas, ou então são uma cambada de betinhos que eram crianças na altura ou nasceram depois do 25 de Abril, POR ISSO vão à procura na net um pouco da história acerca da ditadura e da revolução de Abril pode ser que assim abram os olhos. FELIZMENTE TEM LIBERDADE PARA PESQUISAR TUDO O QUE QUISEREM NA NET, ATÉ PROPAGANDA FASCISTA, MAS PARA ISSO BASTA IR À PAGINA DO CAVACO, DO PASSOS E DO PORTAS.

    VIVA AO 25 DE ABRIL. 25 DE ABRIL SEMPRE

  26. ruicarmo

    Claro que o Anselmo Damásio não conseguiu evitar acrescentar ainda mais disparates.
    Não fosse o 25 de Novembro e o golpe militar de 25 de Abril substituiria a falta de liberdade por mais falta de liberdade.
    Os amuados reformados não assistem às comemorações oficiais porque não querem, vão petiscar e andar pelas ruas a manifestarem-se ou a arrotarem postas de pescada.
    Agradeço, por último que “fale” mais baixo. É má educação gritar em letras maísuculas.

  27. ricardo saramago

    Nos tempos da longa noite, a ditadura não deixava o povo ter net e a Pide censurava o Facebook.
    Felizmente os militares de abril deram-nos telemóveis e ipads e já podemos ver os golos do benfica na banheira.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.