O Petróleo sobe, ou as Moedas caem?!?

Talvez sejam o Euro e o Dólar a cairem, já pensaram nisso?

Alguém na Forbes finalmente reparou nos dados e coloca esta hipótese.

14 pensamentos sobre “O Petróleo sobe, ou as Moedas caem?!?

  1. Há uma maneira simples de testar (não li o link todo, pelo que é possivel que lá falem disso) – é comprar o preço do petróleo com o preço de outros bens (p.ex., calculado a evolução do racio “preço do barril de petróleo”/”preço de uma embalagens de Whiskas”)

  2. Luís Lavoura

    Falta ver como crescem os preços das outras coisas.
    O petróleo, juntamente com o cobre e o milho, são as commodities que mais crescem de preço. Outras commodities crescem menos, ou até (por exemplo, a cortiça) caem.
    Se fosse um efeito da queda do valor das moedas, todas as commodities (e grande parte dos bens manufaturados também) cresceriam de preço da mesma forma.
    Pelo que, esta teoria não se sustem de pé.

  3. Carlos Novais

    As bolhas são caracterizadas por subidas de preço (os preços do consumidor são apenas uma parte de toda a actividade económica) de uma parte ou várias partes da economia. O inflacionismo quantitativo que induz a descida do poder de compra das moedas (preço das moedas) pode entrar por vários pontos. É difícil é dizer que uma dada subida se deve a factores reais ou a factores monetários. O petróleo (como outros casos) pode bem ter os dois factores acumulados.

    Na verdade é essa dificuldade em separar os 2 factores que fomentam as bolhas económicas temporárias.

  4. Paulo Pereira

    Os preços sobem e descem conforme a procura e a oferta sobem e descem.

    O capitalismo resolve os problemas dos preços altos com mais produção ou com novos produtos.

    Quanto mais o petroleo subir de preços mais produtos alternativos serão produzidos.

    O capitalismo é uma grande invenção da humanidade porque é o sistema económico mais eficaz.

  5. Ricardo Campelo de Magalhães

    “Os preços sobem e descem conforme a procura e a oferta sobem e descem.”

    Sim, mas se sobem TODOS, então…

  6. Paulo Pereira

    Então as empresas aumentam a produção e/ou produzem novos produtos, a menos que o crédito seja dificil para as pequenas empresas, a menos que os oligopólios sejam tolerados ou apoiados, a menos que o sistemas fiscal e o crédito favoreça a especulação e o consumo em vez da produção local.

    Ou seja o capitalismo só é eficaz se existirem as condições necessárias à sua eficácia.

    No caso do petroleo , como a armazenagem é pouca, a especulação é de curta duração.

  7. ricardo saramago

    Os preços são ratios. Só existem preços relativos.
    Se todos os bens físicos e serviços custam mais unidades monetárias a cada dia que passa, temos uma desvalorização da moeda(ou inflação).
    A tendência actual no Ocidente é de subida dos custos de produção via matérias primas, energia, impostos e sobreregulamentação.
    De fora ficam os activos (empresas, dívida,imobiliário) e os salários, em que é difícil estabelecer uma tendência.
    Parece também que os défices públicos e o excesso de tributação consomem a maior parte da poupança, pelo que o Investimento não consegue os aumentos de produtividade que seriam necessários para conter a inflação, manter o emprego e o valor dos activos.

  8. Paulo Pereira

    A inflação é uma oportunidade para os empresários , basta ver a historia dos ultimos 60 anos.

    Os empresários pedem crédito e investem no aumento da produção ou em novos produtos , não precisam de poupança para nada porque os bancos podem criar crédito “BARATO”.

    Com inflação os créditos perdem valor, aumentando a rentabilidade das empresas.

    Os deficits publicos só produzem inflação sustentada se o desemprego for baixo, o que não é o caso.

    Impostos altos sobre as empresas e o IVA aumentam a inflação, logo os impostos sobre as empresas devem ser reduzidos.

    Os salários e os preços do sector publico devem ser actualizados abaixo da inflação, de forma a servirem de ancora aos preços.

    Não vale a pena pensar que o preço do petroleo vai baixar, porque a sua produção está estagnada desde 2006 e o consumo nos paises em desenvolvimento está a subir.

    O capitalismo acaba por resolver o aumento do preço do petroleo com motores de menos consumo, motores electricos, etc.

  9. Caro Paulo Pereira

    “A inflação é uma oportunidade para os empresários , basta ver a historia dos ultimos 60 anos.”

    Estive a procurar isto e não encontrei nenhuma prova desta afirmação. Talvez seja uma oportunidade para alguns empresários e um custo para outros, mas não há nenhuma prova de que seja globalmente uma vantagem!

    “Os empresários pedem crédito e investem no aumento da produção ou em novos produtos , não precisam de poupança para nada porque os bancos podem criar crédito “BARATO”.”

    Compreendo a confusão, mas a definição de poupança é a abstinência do consumo. Esses recursos não consumidos são então desviados para projectos empresariais. Até Keynes partilhava esta visão (apesar de não a compreender totalmente). Portanto, sem poupança não é entendível que existam recursos disponíveis para investimento.

    “Com inflação os créditos perdem valor, aumentando a rentabilidade das empresas.”

    Ora aqui está uma falácia que nem um caloiro de economia cometia. Aprende-se na 1ª aula de economia: Não há almoços grátis. Os Bancos também são empresas e perante uma quebra de rentabilidade face á inflação teriam que aumentar os juros ou restringir o crédito! Básico.

    “Os deficits publicos só produzem inflação sustentada se o desemprego for baixo, o que não é o caso.”

    Não discordo totalmente, mas também não concordo. Déficits crónicos abaixo da inflação seriam até geríveis, mas a inflação em si poderia tornar-se um problema político maior. Além disso imprimir moeda é apenas um tipo diferente de default. E depois as pessoas ainda falam da bolha do ouro!

    “Impostos altos sobre as empresas e o IVA aumentam a inflação, logo os impostos sobre as empresas devem ser reduzidos.”
    Concordo plenamente!

    “Os salários e os preços do sector publico devem ser actualizados abaixo da inflação, de forma a servirem de ancora aos preços.”

    Isto só numa economia fechada é que funcionava (de uma forma doentia diga-se). Aqui o Paulo falha ao não entender como funciona uma economia capitalista aberta moderna.

    “Não vale a pena pensar que o preço do petroleo vai baixar, porque a sua produção está estagnada desde 2006 e o consumo nos paises em desenvolvimento está a subir.”

    Não discuto, nem é isso posto em causa no post. Há todavia a questão de saber até que ponto é a oferta e procura de Petróleo que influencia o seu preço ou se a desvalorização monetária tem um papel importante.

    “O capitalismo acaba por resolver o aumento do preço do petroleo com motores de menos consumo, motores electricos, etc.”

    Ora nem mais Paulo, mas não é isso que o autor do post coloca em causa. O autor coloca o problema da desvalorização do dolar e do euro como factores na valorização do petróleo e não as saídas para o problema. Todavia, se o problema subjacente for o da moeda, as alternativas ficarão igualmente mais caras.

  10. oscar vaz

    O capitalismo acaba por resolver o aumento do preço do petroleo com motores de menos consumo, motores electricos.
    Sim, com um pequeno esforço até ha-de conseguir rendimentos de 200%.
    Típico raciocinio de economista, não percebem que as suas teorias vingaram como consequência de um longo periodo de constante incremento da energia disponivel, periodo esse que está a terminar. Depois, vão ter de andar á procura do famoso crescimento.

  11. Paulo Pereira

    Ricardo Baptista,

    a) Pode verificar na OCDE que em períodos de inflação moderada o investimento privado não baixa, pela simples razão de que a inflação é benéfica para quem investe com crédito.
    A inflação moderada nos ultimos 60 anos coincidiu com crescimento económico significativo.

    b) Numa economia capitalista industrial existe em geral capacidade industrial e emprego em excesso, por isso o crédito ao investimento não precisa de poupança monetária para nada.
    A poupança real iniciou-se com a revolução industrial quando a produtividade explodiu e continua com o aumento de 2% em média anual na produtividade desde há 200 anos.

    c) Numa economia capitalista com moeda-fiat os almoços “grátis” vêm da inovação tecnológica e da criação de moeda-fiat.
    Os bancos aproveitam essa capacidade para criarem crédito e assim terem lucros sucessivos, tal como está demonstrado na historia dos ultimos 60 anos.
    O problema é que os bancos são também os grandes especuladores e depois perdam somas elevadissimas nos crashs.
    Daí a necessidade de limitar fortemente o crédito à especulação.

    d) Os deficit publicos são inevitáveis dado que o consumo é sempre inferior a 100% do rendimento.

    e) Os estados podem “travar” o crescimento da inflação se não indexarem salários, FSE’s e preços do sector publico á inflação.
    Como o não fazem temos periodos sucessivos de “stop and go” e desemprego mais elevado.

    f) O preço do petroleo ainda é muito baixo face ao seu “valor” energético, por isso discutir flutuações do seu preço em certas moedas é perda de tempo.

  12. Paulo Pereira

    Oscar Vaz,

    Os motores electricos têm uma eficiencia tripla ou mais dos motores de combustão.

    Se o preço do petroleo subir significativamente vai haver uma altura que os carros passarão a ter motores electricos em geral, pelo menos para distãncia curtas e médias.

    O capitalismo é uma grande invenção !

  13. oscar maximo

    Os motores elétricos até podem ter 90% de eficiência, se houver suficiente neodímio para todos os carros, o que é falso, mas o problema é a produção da eletricidade. Supondo 35% na produção a partir do fuelóleo, 80% de rendimento na armazenagem e 85% no uso (contando já com a recuperação), obtemos 0.24, o que realmente é melhor que um motor de combustão interna, especialmente na cidade. Mas note-se que passar de um carro pesado e grande autonomia para um carro leve e pouca autonomia, isso não é crescimento, é decrescimento.
    Á medida que o petróleo encarece, todas as alternativas aumentam de preço quase na mesma proporção.

  14. Paulo Pereira

    Felizmente o petroleo ainda é barato o que dará tempo ao capitalismo encontrar soluções.

    Quanto ao tamanho do carro, é mais uma questão de vaidade que de utilidade, veja o sucesso dos Smart, Fiat 500, Twingos, etc.

    Nada como preços altos para mudar a moda.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.