Dumping

De acordo com a Wikipedia, Dumping é:

“uma prática comercial que consiste em uma ou mais empresas de um país venderem seus produtos, mercadorias ou serviços por preços extraordinariamente abaixo de seu valor justo para outro país (preço que geralmente se considera menor do que se cobra pelo produto dentro do país exportador), por um tempo, visando prejudicar e eliminar os fabricantes de produtos similares concorrentes no local, passando então a dominar o mercado e impondo preços altos. É um termo usado em comércio internacional e é reprimido pelos governos nacionais, quando comprovado. Esta técnica é utilizada como forma de ganhar quotas de mercado.”

Por exemplo, no caso da produção de móveis, isto significaria que uma empresa com algum capital financeiro resolveria em vez de tentar melhorar o produto ou o processo produtivo, vender móveis abaixo do preço de custo para levar os concorrentes à falência e, depois de se tornar a única produtora da zona, obter lucros de monopólio.

Quem Ganha:
– Consumidores: Com a baixa de Preços, vêm aumentar o seu Poder de Compra
– Fornecedores: Com o aumento do Poder de Compra dos consumidores, aqueles compram mais e portanto os fornecedores vendem mais do seu produto, ao mesmo preço

Quem Perde:
– Concorrentes: Os consumidores deslocam as suas compras de quem não faz dumping para quem o faz. Em determinados casos, estes concorrentes podem falir e os que tinham ficado a ganhar no Curto Prazo, perdem no Médio e Longo Prazos
– Executor da Prática: Enfrenta prejuízos para ganhar posição de mercado. Se conseguir falir os concorrentes, obtém poderes de Monopolista e passa a ser o único que ganha

Note-se que a prática de dumping deve ser dissociada de estratégias promocionais, sob pena de não se poderem fazer descontos ou ofertas! Isto poderá conseguido, por exemplo, comparando médias de preço de venda e o custo num período suficientemente longo para ver se constitui dumping (em vez de analisar preço vs custo a cada momento). Só aí a ASAE poderá actuar.

Por fim, fica uma das anedotas preferidas de Ayn Rand:

3 empresários encontram-se numa prisão e, como todos os presidiários, começa a falar sobre o motivo pelo qual estão ali:
1º: – Eu estou aqui porque pratiquei Preços Muito Altos, e me acusaram de abuso de Poder de Monopólio.
2º: – Eu estou aqui porque pratiquei Preços Muito Baixos, e me acusaram de Dumping.
3º: – Eu estou aqui porque pratiquei Preços Iguais a Todo o Mundo, e me acusaram de Cartelização.

Pois…

Impõe-se algumas palavras sobre um caso que tem sido muito badalado nestes dias: o mercado da distribuição do Leite. Neste processo a Lactogal queixou-se ao Estado de que o Continente estava a cobrar preços abaixo dos 30 cêntimos que o Continente a que o Continente tinha o leite à Lactogal.

Ao contrário do que seria de supor, quem fez a queixa não foram os concorrentes do Continente (por exemplo, associações de pequenos comerciantes) mas os fornecedores, os tais que venderão mais do que numa situação normal e receberão o mesmo preço.
Mais estranho ainda, o medo da Lactogal não é a falência do restante canal de distribuição (que a afectaria mais tarde…), pois os restantes distribuidores vendem muitos outros bens e, depois de uns dias a vender menos leite, voltarão a vender a quantidade normal quando a promoção terminar.

De acordo com quem “anda no terreno”, o motivo pelo qual a Lactogal intentou esta queixa foi porque, no “competitivo mercado da distribuição”, se o Continente vender abaixo um “produto bandeira” como o leite, os outros grandes distribuidores vão ter de “responder” e portanto vão “exigir” que a Lactogal faça um “desconto significativo”, levando a “perdas insuportáveis” por parte da Lactogal.
Recordo que mesmo que outros distribuidores tivessem tentado obrigar a Lactogal a fazer preços mais baixos, esta última pode não o fazer devido à sua situação de “monopólio com franja competitiva” (marcas Lactogal) que possui. E se o fizesse, a perda de Curto Prazo será compensada por ganhos de Médio e Longo Prazo em termos de maiores vendas, a preços “normais”.
No Longo Prazo, é natural que os clientes prefiram produtos de qualidade semelhante e preços muito inferiores mas isso meus caros, já sabem de quem é a culpa, não é?

Se a ASAE aceitar esta situação, terá de o fazer sempre que um fornecedor se queixe de situações idênticas, pois a lei é igual para todos. O que é abrir uma Caixa de Pandora…

Veja-se como realmente a estratégia é fazer cross-selling: o cliente paga 78 cêntimos, obtém descontos para o mês de Janeiro e Fevereiro (obriga a fazer mais 2 compras) e é limitado a 16 litros, pelo que o cliente é convidado a comprar mais para ter o cabaz entregue em casa.

19 pensamentos sobre “Dumping

  1. Quem ganha: “Executor da Prática: Enfrenta prejuízos para ganhar posição de mercado. Se conseguir falir os concorrentes, obtém poderes de Monopolista e passa a ser o único que ganha”

    Convem referir que se o produtor original conseguri ganhar o monopólio e tentar abusar da sua posição monopolista para subir os preços está novamente a fomentar a competição que obviamente quer entrar num mercado onde os ganhos são elevados. Assim sendo o mais provável é um investidor externo chegar, comprar as empresas falidas pelas práticas originais e voltar a impor um mercado concorrencial. A não ser que o praticante original de dumping seja o Estado o dinheiro há-de acabar mais depressa do que acabam os concorrentes interessados em explorar mercados com margens elevadas devido à falta de concorrência.

    Assim sendo, as leis “anti dumping” podem ser sobre muita coisa mas não serão certamente para proteger os consumidores.

  2. Luís Lavoura

    Convinha acrescentar ao post que, na realidade, o conceito de dumping é bastante indefinido e é, portanto, bastante difícil provar que algum vendedor faz dumping, uma vez que não se sabe com precisão em que isso consista.

    Isto porque, nomeadamente no comércio internacional, as estruturas de custos de diferentes produtores são frequentemente muito diferentes, sendo muito difícil a um produtor demonstrar que o seu concorrente noutro país está a vender abaixo do custo.

    Pelo que, na prática, a forma como as penalizações por dumping são aplicadas tem muito que se lhe diga…

  3. JS

    Exacto. Uma queixa discutível com consequências ainda mais insólitas.
    ASAE terá ajuizado devidamente a situação antes de actuar daquela forma ?
    No caso de se provar ser queixa indevida, o “queixoso” e/ou a ASAE (contribuintes), serão chamados indemenizar os lesados: Destribuidores e Consumidores ?

  4. Carlos Novais

    as empresas que por alguma razão estejam a dar prejuízo vendem abaixo do “seu” custo…dumping

  5. ricardo saramago

    Ouvi dizer que a ASAE vai agora apreender o gas natural e a electricidade que os monopólios nos fazem pagar muito acima do valor de mercado.
    Vão entrar pela EDP adentro, de armas em punho, e vão levar a electricidade para os armazéns da ASAE e guardá-la até que a EDP baixe os preços.
    É de homem !!!

  6. Carlos Duarte

    Caro Ricardo,

    Desculpe, mas não percebo. O “dumping” segundo a nossa legislação é a venda abaixo do preço de custo. Ponto. Promoções podem existir desde que o preço não caia a abaixo do custo. Podem dizer que, no caso do Continente, não era um desconto porque a “perda” para o vendedor ocorre à posteriori e não sobre o bem comprado. Isso é irrelevante.

    Pode-se discutir se é uma boa política ou não (minha opinião: depende. Se for de curta duração, em bens perecíveis e stocks limitados, não tenho problema. Se for de longa duração – meses / anos – ou em bens não perecíveis sem limitação de stock, já tenho) mas para o caso específico não sei até que ponto a actuação da ASAE foi fora do disposto na lei.

  7. Ricardo Campelo de Magalhães

    Carlos,
    “Promoções podem existir desde que o preço não caia a abaixo do custo”
    Então já não se podem oferecer canetas, sacos, papeis, …
    Além disso, a pessoa paga o preço todo. Pode é descontar em meses seguintes (não necessariamente em leite), o que mais de 30% das pessoas não fazem!

    Dumping é praticar preços predatórios para fazer fechar os concorrentes. E não consta que eles estejam em dificuldades sequer.

    A ASAE foi instrumentalizada e não consta que a partir de agora vá proceder sempre assim em todos os casos em que o Continente faça estes descontos de 75%.
    Se bem que eu pagava (literalmente, infelizmente…) para assistir a isso.

  8. Ricardo Campelo de Magalhães

    António Joaquim,
    Eu cito a Wikipedia em Português, não a versão inglesa, para aumentar o espectro das pessoas que possam ler o artigo.
    Não sei o que isto tem a haver com o subprime. Afinal, os clientes não ficaram a dever ao Continente e este tem todos os recursos para cumprir a promessa de desconto aos quase 70% dos clientes que vão apresentar os vales. Ou até aos 100%, se fosse esse o caso.

    De onde vem a suspeita da validade do leite. Que eu saiba algum dele vendeu-se e nada aconteceu. Cuidado com essas suspeitas…

  9. Ricardo Campelo de Magalhães

    Ricardo Saramago, loooooooooool Boa malha =)

    Carlos novais, =) Fechem essas empresas, já! lol

    JS, Eu também acho que a ASAE deveria pagar aos potenciais consumidores do Continente ou, na impossibilidade, de enfrentar a sua responsabilidade criminalmente. Mas é claro que realisticamente nada vai acontecer.

    Luís Lavoura, Bem eu nem fui por aí. Embora neste caso, como o queixoso é quem vendeu…
    Podiam era ser perseguidos por “insider information” 😉

    Nuno Branco, Como sabes estas leis foram feitas para proteger os concorrentes, enquanto atacando fornecedores e consumidores. O engraçado neste caso é que o queixoso foi… um fornecedor.
    E quando escavei um bocado fui ver que afinal era por ser… ineficiente! Face a produtores Espanhóis que, para cúmulo, enfrentam necessidades de pagar salários superiores!!!

  10. Jorge Cruz

    Bom dia.
    Creio que afirmar que os fornecedores fazem parte de “quem ganha” é, no mínimo, incompleto. Se o produtor de móveis do seu exemplo se tornar o único do mercado, passa a ter um poder negocial incomparavelmente superior perante os seus fornecedores, reduzindo (ou eliminando) a margem de lucro destes. Se assumirmos que o consumo de móveis vai aumentar pelo facto dos preços serem mais baixos, o “efeito volume” pode compensar o “efeito margem” e o fornecedor até pode ficar melhor. Se estivermos a falar de um mercado em que o consumo só aumenta marginalmente, por muito que o preço baixe (como é a generalidade dos mercados de bens alimentares essenciais – eu não vou beber mais leite porque o leite ficou mais barato), o fornecedor fica claramente pior.
    Neste caso da Lactogal, até temos um fornecedor que tem uma posição de mercado forte e que, por isso, se deu ao luxo de protestar e denunciar publicamente. Mas, em outros sectores onde os fornecedores estão fragmentados (e proibidos por lei de articularem os preços praticados à distribuição moderna), o problema existe mas ninguém se arrisca a protestar sob pena de ser expulso de uma das duas cadeias de distribuição moderna que representam 2/3 das vendas em Portugal.

  11. António Joaquim

    Ricardo Magalhães,
    A “coisa” é ganhar, lucrar, a qualquer custo. O dumping é querer prejudicar a competição, é batota e normalmente recorre-se a produtos em fim de validade, para despachar stocks, e a qualidade muitas vezes deixa a desejar. Veja-se o que se passa com os produtos chineses que de qualidade não tem nada a não ser o barato que por vezes sai caro. Já alguma vez tentou reclamar junto de uma loja chinesa? De qualquer modo ganharam mercado e a produção nacional “berrou”. Se de repente aparecessem no mercado Mercedes ou Porches a 1/3 do custo normal não desconfiava? A subprime é básicamente a mesma história: consiste em vender produtos a sectores que normalmente nem pensariam que teriam hipoteses de lá chegar. Isto é, cria-se a ilusão que a pessoa pode ter acesso a tais produtos esticando os prazos de retorno de capital até ao infinito: O estado português só muito recentemente pagou a ultima tranche do empréstimo para o 1º troço do caminho de ferro em Portugal.

  12. Carlos Novais

    “O dumping é querer prejudicar a competição, é batota”

    Qualquer concorrente quer “prejudicar” a competição oferecendo melhor a preço mais barato ou diferenciando ou isto ou aquilo. Também é difícil ou impossível mesmo saber o custo de um produto dado depender do critério de partição de custos fixos e não directos.

  13. ricardo saramago

    Sempre ouvi os comerciantes e empresários queixarem-se dos preços baixos e dos descontos dos seus concorrentes.
    Sempre foi assim e sempre será.
    “concorrência desleal”, “dumping”, “filhos da p…”, são sempre os outros

  14. António Joaquim

    Ricardo Saramago e Carlos Novais
    Entendido. Se forem enganados não faz mal, são as vicissitudes do mercado e até apoiam, é isto não é? Vocês só tinham que estar alerta.

  15. ricardo saramago

    O cartel do leite está em guerra com o cartel da distribuição.
    A ASAE aproveita para aparecer, justiceira, em prol dos “pequenos”.
    Vai tudo acabar numas almoçaradas, fumam-se uns charutos, e o no fim faz-se um acordo à custa dos consumidores.

  16. Pedro Borges

    Não vejo problema nenhum com o dumping, vejo isso sim com o monopólio, ou quanto muito com o dumping com propósito claro de monopólio.
    Como o artigo diz e bem quem faz dumping perde a curto prazo e só pode esperar como retorno o atingir uma posição de monopólio. Haja forte legislação anti monopólio e está o problema resolvido, deixem cada um vender o que quer como quer e poupem umas massas no processo. É tipo poupem dinheiro para auxiliar a economia, mas não…

  17. CN

    “Haja forte legislação anti monopólio ”

    E o que diria tal lei? Qualquer produto inovador tem 100% quota de mercado por definição. Isso era proibido?

  18. Alexandre

    “Isso era proibido?”

    Depende do bem em causa.

    Se numa ilha o dono da unica fonte de água decidir aumentar o preço de forma a que uma partesignificativa da população da tal ilha deixe de ter acesso a água, arrisca-se a acordar sem cabeça.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.