imberbe

“Sempre cáustico em relação ao estado do sector, Marinho Pinto afirmou que ‘a Justiça em Portugal não funciona’ (…) Criticou ainda a Justiça ministrada por magistrados “com 26, 27, 28 ou 29 anos”, sublinhando que lhes falta “experiência de vida e maturidade” para poderem ajuizar com rigor. ‘Muitos nem sequer namoram, como podem, por exemplo, entender um divórcio?’, questionou”, no Diário Económico online.

O actual Bastonário da Ordem dos Advogados é alguém por quem, confesso, tenho cada vez menos consideração. Mas, enfim, também é verdade que tenho cada vez menos consideração por (quase) todos os bastonários deste País…Contudo, o Dr. Marinho Pinto, de vez em quando, lá vai balbuciando umas coisas com as quais concordo e a crítica de cima, segundo a qual não é aceitável que jovens sem experiência de vida possam ser juízes, é uma delas. De facto, é hoje frequente que miúdos saltem, quase que directamente, das faculdades para o Centro de Estudos Judiciários e daí para a barra dos tribunais. Como se não bastasse a falta de especialização da Justiça, acrescenta-se-lhe, deste modo, a falta de experiência, resultando desta combinação um “mix” explosivo. E de facto é de questionar a capacidade de julgamento de pessoas que, nessas tenras idades, não tiveram ainda tempo para assumirem responsabilidades ou compromissos sérios, financeiros ou familiares. Não tiveram, sequer, tempo para completar o necessário período de rodagem que qualquer profissão exige, sobretudo quando se está em cargos com funções decisórias. Falta-lhes, como diz e bem o Dr. Marinho Pinto, a experiência de vida e a sensatez que só o tempo ensina. Enfim, pior que ir a tribunal, imagino, é ir a tribunal e ser-se julgado por um puto. Você gostaria?

9 pensamentos sobre “imberbe

  1. p D s

    No meu caso pessoal, partilho a minha uma experiencia, sobre a problematica.
    Assim tendo ido diversas vezes a Tribunal, no ambito de um processo de Regulação de Poder Paternal, tive contacto direto com 2 juizes.

    O primeiro Juiz com quem “lidei” teria cerca de trinta anos, e percebi mais tarde, fruto da sua “juventude e falta de experiencia” nas audiencias, mostrou-se sempre imparcial, e a cada argumento ou acusação, ouvia sempre a parte contraria. Quando afirmo “ouvi-a” significa que ouvia e “processava/ajuizava” o valor e peso da contra-argumentação. Quanto a mim, pareceu-me equilibrado e pelo menos proporcionou a mesmas oportunidade a ambas as partes.

    O segundo juiz, teria cerca de 60 anos. E do alto da sua “experiencia de vida”, conduziu sempre as audiencias com um enfado e com um perfeito desinteresse pelos caso concreto, e em ouvir cada uma das partes. Chegou ao ridiculo, de a dada altura as partes terem chegado a acordo para uma “Guarda Conjunta”. Perante um acordo entra as partes, o Juiz experiente achou por bem dizer: “Eu, em 20 e muitoas anos, posso-me gabar de nunca ter dada uma Guarda Conjunta….”

    No meu caso concreto, posso afirmar que um Juiz experiente, do alto da sua autoridade, não cumpriu o seu dever. O Juiz novato, pelo contrario, demontrou interesse e empenho em AJUIZAR e DECIDIR de facto.

    Concluindo, percebo e á primeira vista estou de acordo com o afirmado pelo Bastonario…mas atenção, que muitas das vezes, a experiencia apenas acimenta defeitos e maus habitos!

  2. joao carlos

    qual o problema ? basta não abrir a boca, a conselho do advogado, para que nada seja dado como provado. É a prática habitual na justiça portuguesa, faz-te de surdo e mudo…que a justiça ja´é cega.

  3. Sebastien De Vries

    LINGUAGEM bicuda: então com que idade? Conheço juizes com 27 anos e dotados de mais experiência que muitos que por aqui pululam e dão bitaite. Já agora, e o que é ter experiência?

    NUM PAÍS A SÈRIO, há regras claras, p ex ter 18 anos é ser-se eleitor…e se não tem experiência?, e se tem mais ou menos? Isso n interessa, com uma ideia clara privilegia-se a segurança e nao o paleio bacoco.

  4. Zebedeu Flautista

    Ora bem idade não é tarimba. Eu sugeria que qualquer juiz deveria cumprir 3 anos em qualquer força policial e outros 3 na advocacia antes de poder ascender a juiz.

  5. economista

    Guarda conjunta ! É bom ou é mau ? Vejam , nos comentários também se confunde cível com penal !… Em termos de probabilidades , o Bastonário tem razão …Alguns comentários , não …
    Quem foi que disse . se ninguem diz mal de mim , já não durmo descansado ?
    Bastonário ? Umas vezes gosto , outras , não . Comportamento das Magistraturas ,Exames de admissão à Ordem , Ministra(?) , and so on … tem razão.É criticado por falar demais, outros sê-lo-ão por não falar !!! (E o outro que a gente conhece que quando abre a boca , ou entra mosca ou sai asneira ? )
    E quem foi que disse ?,
    Que Deus nos livre dos juízes novos e das rameiras velhas …

  6. Vasco

    Que post de merda!!
    A justiça em Portugal é implementada por velhos e vem este agora dizer que os novos é que são maus!!
    Por amor da santa……..

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.