Devemos (podemos?) obrigar aos Seguros de Saúde?

“In the most important Supreme Court case of his term in office, President Barack Obama will be defending a policy that he opposed as a candidate. During the 2008 Democratic primaries, one of the few differences he had with rival Hillary Clinton was that her health-care plan featured an individual mandate to purchase health insurance, while Obama rejected a mandate on principle. But the health-care law he eventually signed included a mandate, and the court has now agreed to rule on whether that is constitutional. Obama’s position during the primaries accorded with the elementary principle that there should be a strong presumption against ordering people to do something. Even people who, like Obama, now believe that a mandate is necessary can agree with this principle. A presumption, even a strong one, can, of course, be overcome for good reasons. In the case of the individual mandate, those reasons don’t exist. Obama was right the first time.”, na Bloomberg (“Mandatory Insurance Is Wrong Fix In Health Care”).

Um excelente artigo acerca de um assunto tão sensível quanto a Saúde…

8 pensamentos sobre “Devemos (podemos?) obrigar aos Seguros de Saúde?

  1. Acho que sim. Mesmo que para uns, suportados socialmente. É preferível subsidiar o seguro a dar dinheiro simplesmente através de subsídios de reinserção, desemprego, etc.

  2. Luís Lavoura

    Sim, mas a saúde nos EUA é substancialmente diferente de em Portugal.

    A obrigação de ter seguro de saúde pode fazer sentido (de forma regulamentada) num país onde não há Serviço Nacional de Saúde. Não é o caso português.

  3. Paulo Pereira

    Um serviço universal de saude é fundamental para uma economia rica e produtiva.
    Uma população saudável produz mais, é mais criativa e feliz.

    O custo de um SNS na OCDE anda á volta de 8% do PIB, mas como é essencialmente mão-de-obra, os custos reais são muito reduzidos, pelo que é um gasto altamente rentável para a sociedade.

  4. Zebedeu Flautista

    Custo-eficiência só tem duas hipóteses os USA. Ou deixam os pobres, forretas,inconscientes que não tem seguro morrer caso não haja caridade que lhes acuda ou em alternativa adoptam o sistema de “socialized medicine”. É um absurdo a percentagem do PIB gasta em cuidados de saúde.

  5. Luís Lavoura

    O sistema de saúde dos EUA é altamente ineficiente porque é altamente burocrático. Daquilo que nos EUA se gasta em cuidados de saúde, uma grande parte não vai para os cuidados propriamente ditos mas sim para gastos burocráticos.

  6. A partir do momento em que há uma lei proibindo as seguradoras de rejeitar clientes e de fazer discriminação de preços, será possível o seguro não ser obrigatório?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.