Ninguém fica para trás.

 

A libertação de Gilad Shalit, conseguida com a troca de mais de mil prisioneiros e após cinco anos de esforços imensos, mostra para que serve o Estado de Israel. Os seus críticos podem não concordar mas, depois do que sucedeu na II Grande Guerra, ninguém fica para trás. A história, ali, não se repete.

Anúncios

9 thoughts on “Ninguém fica para trás.

  1. lucklucky

    Nas guerras de Israel o que distinguia após uma batalha um tanque israelita e um tanque árabe destruído eram os corpos. No tanque Árabe ficavam lá os corpos. No Israelita não.

    Quanto a este caso. É uma asneira do Governo Israelita. A valor moral pelo retorno do soldado pode vir a ser pago em mortes.

  2. Carlos Guimarães Pinto

    Sem contestar a ideia do post, gostaria de saber qual o rácio entre prisioneiros Israelitas em prisão Palestinianas e prisioneiros Palestinianos em prisões Israelitas. Isso também pode ajudar a explicar os termos de troca.

  3. Pingback: Ninguém fica para trás II « O Insurgente

  4. Fernando S

    lucklucky : “É uma asneira do Governo Israelita. A valor moral pelo retorno do soldado pode vir a ser pago em mortes.”
    .
    Vai certamente. Foram postos ca fora muitos organizadores e autores de atentados e outras acções terroristas e militares.
    Além de que, visto pelo lado dos palestinianos, trata-se de uma vitoria : trocar um insignificante soldado israelita por mais de mil combatentes… Vai entusiasmar os espiritos e multiplicar as vocações.
    Finalmente, vão aumentar as tentativas (e provavelmente algumas vão ter sucesso) de captura de soldados israelitas para a troca. Trata-se de um excelente “negocio” ! Vai-se provavelmente voltar ao principio, com outro ou outros reféns, e sem as centenas de extremistas palentinianos agora libertados.
    .
    Mas não creio que seja necessariamente uma asneira do governo israelita.
    O melhor trunfo de Israel é, desde ha muito, a unidade e a coesão de todos nas adversidades do conflito e nos campos de batalha. O principio de não deixar ninguém para traz é um factor agregador e mobilizador importante. Vale mais do que o preço que se pagou e se vai ainda pagar pela libertação de um soldado que é também um simbolo para todo o pais.

  5. lucklucky

    “Isso também pode ajudar a explicar os termos de troca.”

    Os termos de troca é que que os palestinianos aceitam ser usados como carne para canhão pelos seus líderes.

  6. Pingback: Ninguém fica para trás III « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.