Coreia do Norte: os Verdadeiros Ambientalistas!

Encontrei um artigo de 2009 verdadeiramente humorístico, que podem ler AQUI.

Earth Hour was a world-wide event which let conscientious environmentalists symbolically vote for preserving the environment by turning off their lights for an entire hour. No one, however, went to the heroic lengths of North Korea. Just look at this satellite picture comparing the indifferent, environment-wrecking people of South Korea versus the caring, Gaia-nurturing people of North Korea.

Wait, it gets even better…

In writing this post, I found out that North Korea celebrates Earth Hour every hour of every night and has done so for decades! North Korea was the industrialized area of Korea at the end of WWII, but over the last 70 years they have bravely chosen to wean themselves from pollution-vomiting factories, the consumption of fossil fuels and unsustainable machine- and artificial-fertilizer-based agriculture. Of course, it goes without saying that they don’t use genetically engineered frankenfoods.

Just look at this picture of progressive North Korea surrounded by more-gluttonous societies.

I think I speak for all environmentalists when I say that the methods that produced the level of sacrifice, organization and willpower exhibited by the North Koreans are methods that all real environmentalists would like to see extended to all the nations of Earth. 

Vote Green! If enough people do, we will all end up living the same kind of environment-respecting life as the people of North Korea!

16 pensamentos sobre “Coreia do Norte: os Verdadeiros Ambientalistas!

  1. oscar maximo

    Quando a frase “O mundo não aguenta tanta gente a consumir tanto” se tornar evidente, o pessoal deste blog, tão católico, e demais economistas, vão ter de fazer penitência. Como diria Medina Carreira, era uma questão de fazer contas, mas no campo dos recursos ele não as faz. Eu, com 57 anos, além da penitência presente, tudo indica que ainda vou a tempo de presenciar essa.

  2. Lusitânea

    Temos aqui o farol da democracia do Bernardino.E já agora daquela deputada ecologista do seu satélite “os verdes”.Não é que os coreanos do Norte são de certeza os melhores conhecedores do universo das “ervinhas comestíveis”?Directamente recolectadas nos bucólicos e preservados ambientes?

  3. Ricardo Campelo de Magalhães

    Oscar Maximo,
    Avisos como o seu já foram feitas incontáveis vezes. Esses avisos Malthusianos esbarram sempre no mesmo erro: vêm o problema e não vêm a solução. Eu sei, eu sei: esquerdas sempre foram treinados para isso e não têm culpa, mas pense comigo:
    – Quando as cidades se tornaram demasiado grandes para se sustentarem com os recursos próximos, surgiu o comboio
    – Quando fazia falta uma nova forma de energia, surgiu a electricidade
    – Quando havia demasiada poluição, surgiu a reciclagem
    – Quando o comboio não conseguia levar as pessoas ao local que queriam por ser muito rígido, surgiu o automóvel
    – Quando a população se tornar excessiva, surgirá a expansão espacial (que por acaso já começou)

    A economia é assim: surgem nós de estrangulamento e o sistema de preços, lucros e incentivos encaminham as pessoas para a solução. Pense nisso e durma melhor.

  4. Atenção na ecológica Coreia do Norte há um ponto negro, isto é, um ponto iluminado (em baixo e à esquerda). Será o bairro das embaixadas de Pyongyang?

  5. oscar maximo

    4. R.C.M,
    Está enganado. Não faz sentido dizer “sempre foi assim” porque a economia é uma ciência moderna, que por acaso sempre viveu em periodos com tendência de crescimento, mas não é racional pensar que num mundo finito o crescimento pode ser infinito. É quem pensa assim que é fundamentalista e radical. Mas são obrigados a pensar assim, porque os juros baseiam-se num crescimento permanente e esquemas de pirâmide.
    Como é sabido de qualquer problema de optimização, quando as restrições começam a funcionar, o objectivo desejado fica mais longe. Já existem pelo menos 3 restrições a funcionar nos factores de produção. Energia, alimentação e alguns metais. Isso reflete-se, claro, no seu preço. O preço actual do petróleo destroi o crescimento a ocidente. E, se subir §20, tambem destroi a oriente. Pelo que os economistas que estão á espera de uma retoma consistente, que salve os bancos, não vão ter sorte nenhuma. Como vê não vai ter de esperar anos, para ver o efeito do vosso Deus ter feito o mundo muito pequeno para a população e ambição dos homens.

  6. Jose

    Miguel, o Oscar tem razão, na medida em que, a prazo, estamos todos mortos. É verdade que os recursos são finitos, mas a terra não é um sistema isolado. A energia vem de fora, vem do sol e sim, quando o sol se extinguir, acaba a festa. Provavelmente ele está preocupado com essa eventualidade.
    Enquanto tal não acontece, o que nós e o resto da biosfera fazemos, é usar essa energia para organizar elementos, mantê-los assim durante algum tempo, e voltar a dar a primazia à entropia. Nada se gasta…os recursos que usamos, ficam cá na esfera.

    Por isso Oscar, coma, beba, f*** e divirta-se, sem complexos de culpa e sem ódios contra o capitalismo e essas tretas. Quando a entropia se abater sobre si, tudo isso volta à natureza até que outra forma de vida use os seus elementos.
    Até que o Sol se extinga, mas isso não é para já.

  7. Ricardo Campelo de Magalhães

    Oscar Máximo,
    O mundo é finito, mas as possibilidades estão muito para alem do que nós podemos imaginar.
    – 100.000 pessoas a morar num edifício auto-suficiente…
    – Vertical farming…
    – Expansão espacial…

    E isto sou eu só com o que li. Pode ter a certeza que quem depender disso para o futuro vai ter mais imaginação!

  8. Jose

    “Vertical farming…”

    Há tempos soube de um tipo que cultiva legumes numa marquise e tem legumes frescos o ano inteiro. Usa fundos de garrafas de plástico, ao longo da parede, em vários andares e a água utilizada é mínima, gota a gota, de uns andares para os outros e depois recuperada em baixo.
    Interessante e eficaz. Jamais morrerá de fome….

  9. oscar maximo

    José não vale a pena falar do Sol, é mesmo um grande desvio da conversa, porque eu falei da actualidade. Ou pensa que o pico que houve há 3 anos no preço do petróleo não contribuiu para secar os bolsos dos habitantes dos suburbios anericanos e criar crise no imobiliário e “sub-prime” que seguiu? Tambem não vale a pena falar de soluções de subsistência individuais quando se sabe que 90% da energia dos alimentos não tem origem solar (directa), mas vem dos adubos, ajudados pelos fito-fármacos. Num mundo de 7000 milhões, essas soluções só contam nos enredos dos filmes americanos, em que eles salvam o mundo. Eu falo dum assunto muito mais sério, que é o caudal de energia que é possivel manter em produção, a preços ainda razoáveis. Se esse caudal não poder aumentar, pode ter a certeza que crescimento não haverá – independentemente do aumento de rendimentos de utilização, com assímptota horizontal, enquanto o rendimento de extração, que desce, tem assímptota vertical.
    Tanto as restrições estão a funcionar, que são os próprios economistas que dizem – o preço do petróleo (ou gás) desceu porque as previsões são de recessão ou inversamente. .

  10. Jose

    Oscar, essa sua atualidade faz lembrar a profecia marxista sobre a iminente queda do capitalismo.
    A mentalidade catastrofista ( ou maso-desejante, sei lá), é assim mesmo: em cada momento acha que está sobre o vulcão prestes a entrar em erupção. Em cada problema vê o fim do mundo, em cada contrariedade a tragédia.
    Descanse, homem de Deus. A espécie já passou por coisas do caraças e ainda cá está, no topo da cadeia alimentar. Somos uma espécie do caraças.

  11. JSP

    Oscar Máximo , você tem carradas de razão : por exemplo, se amanhã passar os olhos pela “Necrologia” de qualquer jornal, verá que as suas profecias se tornaram realidade para incontáveis terráqueos ( sim , que isto da necrologia não atinge sómente o “Marrocos de Cima”…)

  12. Joao

    “I think I speak for all environmentalists when I say that the methods that produced the level of sacrifice, organization and willpower exhibited by the North Koreans are methods that all real environmentalists would like to see extended to all the nations of Earth. Vote Green! If enough people do, we will all end up living the same kind of environment-respecting life as the people of North Korea!”

    Adoro estas tácticas à lá “fox news”

    A: Ser a favor do ambiente é querer uma hora de luzes desligadas como símbolo, B: Uma ditadura sanguínea tem nessa hora as luzes desligadas. Logo: ser a favor do ambiente é ser a favor dessa ditadura.

    Haha, mas é humor apenas.. haha… que engraçado!

    A qualidade intelectual aqui no “insurgente” anda em competição com o valor da acção do BCP.

  13. «A: Ser a favor do ambiente é querer uma hora de luzes desligadas como símbolo, B: Uma ditadura sanguínea tem nessa hora as luzes desligadas. Logo: ser a favor do ambiente é ser a favor dessa ditadura.»

    Acaba de perder uma excelente oportunidade de não pavonear a sua falta de inteligência.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.