se a estupidez pagasse imposto…

“ (…) Mas, para além de ‘estúpida’, a inexistência de um imposto sucessório é a maior das injustiças fiscais. A razão é a seguinte: ao contrário do que acontece quando alguém constrói uma fortuna, ninguém tem qualquer mérito por ter nascido numa família rica. As circunstâncias sociais do nosso nascimento são, como se costuma dizer, ‘moralmente arbitrárias’. Por isso, os herdeiros não merecem a sua herança e, quando essa herança vai para além de um património razoável que é lícito que os pais queiram deixar aos filhos – por exemplo 500.000 euros, ou mesmo um milhão de euros –, então é da elementar justiça que esse património seja taxado (…) Estamos a taxar herdeiros que não têm moralmente direito àquilo que herdaram e que, na maior parte dos casos, irão desbaratá-lo.”, João Cardoso Rosas, hoje no Diário Económico (página 4)

Socialismo puro e duro: o Estado esmaga o Indivíduo. Ora, chegou o momento de fazer como na América: em vez de inscrevermos na Constituição um limite à dívida, deveríamos pensar em introduzir uma emenda constitucional consagrando “the right to bear arms”. Enfim, ao ponto que isto começa a chegar…

18 pensamentos sobre “se a estupidez pagasse imposto…

  1. Realmente…
    E se o senhor Rosas ajuizar do ponto de vista do doador ou de quem gerou o património:
    Criou, pagou todos os impostos, porque não há de o deixar/entregar a quem bem entender, sem ter um Estado ladrão à perna?

  2. agfernandes

    Ricardo

    O melhor argumento para desmontar esse disparate pueril é o seguinte: as gerações futuras recusam-se a herdar a dívida nacional dos socialistas e sociais-democratas.

    Uma sugestão apenas, se me permite: distanciar-se emocionalmente para manter a clareza e a lucidez que tem sempre revelado. E também a saúde, pois o stress continuado é um factor de risco…
    E continuação de posts insurgentes!
    Ana

  3. Alberto Mendes

    Bom dia Ricardo,

    Ontem comentava com um amigo americano quatidade de impostos que estavam a aumentar e como uma pessoa podia ficar sem 50% do seu salário só em impostos retidos na fonte. A resposta dele foi: “That would never fly in the US. You should have more armed citizens”. Não pude deixar d e concordar.

  4. Que fantasias.

    Num país em que a maioria das pessoas é mais ou menos “socialista”, o “right to bear arms” iria mais facilmente ser usado contra um governo que cortasse nos serviços públicos do que contra um que cobrasse altos impostos.

    Até porque quem gosta de caçadas e afins são os ricos e os pobres; como ricos há poucos, o que iriam ter com isso seria… os beneficiários do Estado social armados.

  5. “Estamos a taxar herdeiros que não têm moralmente direito àquilo que herdaram e que, na maior parte dos casos, irão desbaratá-lo.”

    ahahaha É o Estado que tem direito aquilo que os outros herdam?! Porque o Estado dará o exemplo e não vai desbaratar a fortuna alheia!? AHAHAHA

  6. José Manuel Moreira

    O mais grave é estas enormidades é poderem ser escrito num jornal dito Económico, não é por acaso que moralmente e economicamente estamos onde estamos, e o jornalismo que nos coube em sorte tem sido de uma grande ajuda,conservem a herança, jmm

  7. Se os filhos e herdeiros não têm direito, quem terá? O burocrata bem instalado num gabinete em Lisboa, sempre havia de esbulhar o cidadão em nome do “Estado Social”? Que porra de direito à herança poderá ele ter? Fdps e enfiem o socialismo onde mais gostarem!

  8. Jose

    O que espanta é que haja gente capaz de formular tais raciocínios com o ar superior de quem acaba de bater o às de trunfo.

    Nesta lógica perversa, um “rico” que delapida toda a sua fortuna em p**** e vinho verde, fica beneficiado em relação a um que acumula e procura deixar algo aos seus filhos.
    Por outro lado esta “lógica” esquece um factor essencial da natureza humana: é que aquilo que faz com que as pessoas se esforcem, poupem e invistam é justamente a pulsão para proteger os filhos, para lhes deixar algo.
    Atacar isto é contribuir para o niilismo. O resultado é previsível: fuga ao imposto por todos os meios possíveis e imaginários, incluindo comprar propriedade para os filhos num outro país, onde a lógica não esteja pervertida e não sejam estes idiotas a tomar decisões sobre o dinheiro dos outros.

  9. Luís Lavoura

    o Estado esmaga o Indivíduo

    Qual é o indivíduo que é esmagado? Aquele que herda? Ou aquele que faleceu e é o autor da herança?

  10. lucklucky

    ” jornal dito Económico”
    -Não há jornais económicos, há jornais políticos.

    .
    Qual é o indivíduo que é esmagado? Aquele que herda? Ou aquele que faleceu e é o autor da herança?
    -Os dois. Vai contra a vontade deles.

  11. ricardo saramago

    A única herança que os camaradas gostam de dar, é a de dar empregos no Estado aos filhos e afilhados.
    Adoram receber.
    Dar mesmo, só o dinheiro dos outros.

  12. JP Ribeiro

    O grande imbecil deve achar que uma pessoa vai acumular capital sabendo que depois da morte o mesmo será entregue ao Estado!
    Para além de não entender como funciona a acumulação do capital, não entende nada da natureza humana.
    E mesmo assim tem prosa num jornal dito Económico…

  13. Pingback: Top posts da semana « O Insurgente

  14. Abre Latas

    Se a estupidez pagasse imposto? Claramente não haveria défice… Só esse senhor João Cardoso Rosas deveria ter que deixar uns 95% do seu salário em impostos.

  15. Pingback: O radicalismo socialista e a degradação intelectual do país « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.