aumentam os impostos que ainda não tinham aumentado!

O resumo da conferência de imprensa do senhor Ministro das Finanças:

* Aumenta o IRS em 2,5 pontos percentuais no escalão máximo de IRS, elevando-o para 49%. Ao mesmo tempo, são eliminadas as deduções fiscais associadas a despesas com Educação, Saúde e encargos com imóveis (obras, condomínios, etc) para os dois últimos escalões o que, na prática, é outro aumento de IRS.

* Aumenta o IRC em 3 pontos percentuais para (fabulosos!) lucros tributáveis de 1,5 milhões de euros (limiar que é reduzido, face aos actuais 2 milhões de euros), elevando o IRC para 28%.

* Aumenta o Imposto sobre Mais Valias para 21,5% (dos actuais 20%), equiparando este imposto às restantes taxas liberatórias.

* Quanto à tão anunciada redução da TSU, iniciar-se-á um diálogo “aberto e construtivo” junto dos parceiros sociais o que, na minha opinião, indica que a redução da TSU – tão apregoada e elogiada pelo PSD em campanha eleitoral – foi “metida na gaveta”.

Quanto aos prometidos cortes na despesa, o documento que acompanhou a intervenção de Vítor Gaspar, ao qual regressarei amanhã depois de o ler na íntegra, apenas fala em rubricas genéricas. Ou seja, de cortes de despesa, nada foi ainda anunciado. Mau sinal.

4 pensamentos sobre “aumentam os impostos que ainda não tinham aumentado!

  1. José António Salcedo

    Enquanto cidadão, indigna-me a falta de vontade política que tem existido em cortar efectivamente na despesa pública deste Estado monstruoso, ineficaz e corrupto que se tem vindo a instalar no poder, e que a partir dele tem beneficiado pessoas e interesses especiais privados criteriosamente seleccionados. Choca-me ainda o que sinto ser a propositada ineficácia da Justiça e a impunidade de que gozam os políticos e os gestores irresponsáveis que nos têm governado ao longo dos anos.

  2. Euro2cent

    > eliminadas as deduções fiscais associadas a despesas com Educação, Saúde

    E pronto, cá está.

    Eram os mil e duzento euros por aluno, escapados à colecta de pais já bem esfolados, que impediam o estado de pagar as três ou quatro reformas de luxo que qualquer membro da clepto-nomenclatura portuguesa “honradamente” recebe.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.