Vem aí pancada da séria

Muito estômago para levar muitos murros por António Ribeiro Ferreira:

O desabafo do primeiro-ministro à decisão da Moody’s de atirar a dívida portuguesa para o lixo é um sinal dos tempos presentes e dos próximos anos da vida portuguesa. É bom que os cidadãos se habituem a ouvir Pedro Passos Coelho revelar os murros no estômago que vai levar enquanto estiver à frente do governo. Com uma certeza: o da agência de rating não será por certo o mais violento.

E isto porque há imensos esqueletos nos armários. Do Estado, obviamente; das empresas públicas nacionais, regionais e locais, um autêntico cemitério; dos bancos, com certeza; e de muitas empresas importantes do sector privado que ainda andam por aí a fazer figura de ricos e importantes. Até agora foi possível maquilhar a realidade, apresentar resultados positivos e até aliciantes, esconder muito crédito malparado e manter de pé muitos mortos-vivos do tecido económico e financeiro português. Quando a criatividade se confrontar com a dura realidade da fiscalização internacional, os murros no estômago vão acontecer a um ritmo alucinante.

Pequenos, médios e grandes monstros vão falir, milhares de pessoas ficarão sem emprego e o Estado terá enormes dificuldades em garantir os apoios sociais a milhares e milhares de desempregados que irão juntar-se ao enorme exército de pessoas que já não trabalham há muito tempo e não têm qualquer perspectiva de encontrar uma ocupação nos anos mais próximos. O murro da Moody’s vai ser, a curto prazo, uma pancadinha amigável no estômago do primeiro-ministro.

O governo bem pode anunciar com pompa e circunstância planos de emergência social. Falta explicar como é que vai arranjar dinheiro para ajudar os milhões sem rendimentos, sem casa, sem comida e que vão ficar completamente dependentes das ajudas ou da caridade alheia. A prioridade é reduzir o défice, a dívida e cortar nas rubricas mais pesadas do Orçamento. Bem podem andar com uma lupa à procura de estruturas inúteis e gastos supérfluos. O grande volume da despesa concentra-se nos salários e nos apoios sociais. O resto é conversa para entreter uma população assustada que ainda não sabe que o Estado social já entregou a alma ao criador. Descanse em paz.

5 pensamentos sobre “Vem aí pancada da séria

  1. Eurocético

    Pois. Tudo está em alteração. Mas não se esqueçam do crash de 1987 onde havia empresas cotadas que já estavam fechadas há tempo, porque falidas. Quem era o Presidente do Conselho, quem era?

  2. AMCD

    Quem se mete com os mercado leva!

    “…o Estado social já entregou a alma ao criador.” A meu ver ainda não. Ainda é cedo para o RIP. Mas para lá caminhamos.

    Os cangalheiros e os coveiros, já lá estão (no Governo). Agora só falta tratar-lhe da saúde, de vez.

  3. Paulo Pereira

    Eu diria mais : A Zona Euro está quase a ficar sem Euros ! Tal como os EUA estão a ficar sem dólares e o R.U. sem libras
    .
    Não percebo para onde vão os Euros que existem em Portugal !
    .
    Será que os Euros que o Estado paga aos professores, médicos e reformados são gastos no sector privado , mas cerca de 9% desses gastos vão parar fora do país , no chamado deficit corrente.
    .
    Então será que o problema principal é o deficit corrente ?

  4. Euro2cent

    > Falta explicar como é que vai arranjar dinheiro para ajudar os milhões sem rendimentos

    Lucius Cornelius Sulla.

    Perguntem-lhe que ele explica.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.