Direito a Cuidados de Saúde Implica Escravatura

Rand Paul sobre o “Direito” a Cuidados de Saúde e a sua ligação à escravatura:

Ou seja, se eu tenho direito a Cuidados Médicos, tenho Direito a obrigar o médico a prestar-me esses serviços, independentemente da sua vontade.

Que comecem os insultos dos “tolerantes”…

19 pensamentos sobre “Direito a Cuidados de Saúde Implica Escravatura

  1. André

    Não é contra a sua vontade já que é o próprio médico que jura prestar cuidados médicos a quem precise. Penso que o juramento de Hipócrates também é feito pelos médicos Norte Americanos.

    Hippocratic Oath: Modern Version

    “I will remember that I remain a member of society, with special obligations to all my fellow human beings, those sound of mind and body as well as the infirm.”

  2. AA

    muito bem. mas nota que há que escravizar as pessoas, porque se isso não acontecesse, as pessoas revoltariam-se e escravizariam as pessoas.

  3. lucklucky

    Tem alguma dúvida LA-C? a escravatura de médicos e enfermeiros só não existe porque desapareceriam.

  4. Ana Dias

    O Rand Paul parece esquecer-se que ninguém o obrigou a estudar medicina, ninguém o obriga a exercer e ninguém o obriga a permanecer num país onde, oh meu deus, lhe cobram impostos para dar cuidados de saúdes a esses milhões de desocupados que não têm meios porque simplesmente não querem.

    Sempre estranhei como a maior parte dos liberais se esquece do conceitos de flexibilidade e mobilidade quando aplicados às suas vidas.

  5. AA

    Aqui fala-se de “direito a escravizar outrem” – indirectamente. Não do consultório do Rand Paul. Rand Paul não está a queixar-se que está a ser directamente escravizado. Está a notar que uma percentagem dos seus rendimentos é roubada para dar a quem não produziu nem mereceu nem tem direito a essa riqueza. Dizer que alguém tem direito a alguma coisa que precisa de ser produzida antes (e tudo tem de ser produzido por alguém) é o mesmo que dizer que outros vão ter que ser obrigados a produzir esse bem – antes de ser graciosamente fornecido. E mesmo que os médicos sejam muito bem pagos para cumprir os preceitos do Estado, o dinheiro tem de vir de algum lado.

  6. lucklucky

    “Sempre estranhei….”

    Sempre estranhei porque é que a Esquerda quer mandar nos outros.
    De que tem medo Ana Dias? Não é livre de fazer uma comuna?
    Porque é que quer obrigar os outros a ser hipócritas?

    Já temos o fim do serviço militar obrigatório, é o caminho para o fim dos impostos obrigatórios.

  7. Pingback: Direito a Cuidados de Saúde Implica Escravatura (2) « O Insurgente

  8. Ana Dias

    Qualquer pessoa inteligente pode constatar que eu não quero mandar em ninguém. Eu vivo bem no meu país, aceito as leis e as regras da sociedade (ou povo, estado, nação ou país como preferir) e aceito os mecanismos que estão ao meu dispor para participar das decisões que nos afectam a todos. Se um dia constatar que não me identifico com este sistema então irei à procura de um lugar para viver mais de acordo com o que pretendo. O que não vou fazer é passar a vida a choramingar que o estado é mau, o povo é estúpido, os impostos são um crime etc. ao invés de usufruir da minha liberdade de me pirar para onde quiser.

    O lucky é que é um hipocrita, vomita o seu ódio a este povo “socialista” mas ainda continua por aqui. Porque será? Ou porque é incompetente ou porque provavelmente não está tão mal como por vezes parece fazer crer.

    Como já o li noutros sítios a defender a flexibilidade e mobilidade laboral, deixe de ser hipócrita e use dessa flexibilidade/mobilidade e vá para onde poderá ser mais feliz.

  9. AA

    O que está a mais é o sindicato político que agora se julga dono do país, da sociedade, de tudo e de todos.
    E ainda tem a lata de sugerir, mafiosamente, que as pessoas podem sempre abandonar a sua vida, se não querem obedecer.
    Reles.

  10. Ana Dias

    Tanta lata quanto a de muitos liberais que acham que as pessoas têm de mudar a sua vida se não concordam, por exemplo, com condições de trabalho injustas.
    Mas é claro que reles são sempre os outros.

  11. AA

    Reles torpes e imorais são os que ditam que terceiros não podem exercer a sua liberdade laboral, pelos vistos para preservar o seu modo de vida. E ainda exigem o produto do trabalho desses mesmos terceiros. Os paralelos com o esclavagismo são claros.

  12. “Tanta lata quanto a de muitos liberais que acham que as pessoas têm de mudar a sua vida se não concordam, por exemplo, com condições de trabalho injustas.”

    Se alguém não concorda com as condições de trabalho (injustas ou não), acho que ninguém o obriga a trabalhar nessas condições. Pode, por exemplo, começar a trabalhar por conta própria, com as suas próprias condições.

  13. Ana Dias

    AA, por muito que queira dar a volta à questão, é de facto reles, imoral e hipócrita aconselhar flexibilidade aos outros e recusar essa flexibilidade e mobilidade para si próprio.

    E se alguém não concorda com as leis de um país (injustas ou não) acho que ninguém o obriga a permanecer nesse país nessas condições. Pode, por exemplo, emigrar para um outro país onde as leis sejam mais do seu agrado.

  14. AA

    Cara Ana, vejo que insiste nessa técnica pulha de dizer “se não gosta do que estamos a fazer ao teu país, sai”, pelo que desisto de apelar a uma decência cívica que não demonstra ter. Tudo o que se exige é mesmo que se deixe as pessoas disfrutarem da sua liberdade – de poderem contratar e serem contratadas por mútuo acordo – e não terem de serem esbulhadas do fruto do seu trabalho para pagar parasitas – por muitos votos que esses parasitas tenham angariado.

  15. Ana Dias

    Caro AA, o seu pueril “não, tu é que és” não esconde a sua hipocrisia. Como todos os liberais você é liberal para os outros mas não para si próprio. Está inserido numa determinada sociedade que funciona com determinadas regras. Pode tentar mudar essa sociedade mediante a proposta de um projecto político. Caso não o pretenda ou não consiga a única solução que lhe resta é a emigração. Da mesma forma que, decerto, concorda que um posto de trabalho possa ser mudado de cidade, região ou país e que o empregado tem mais que aceitar ou demitir-se se não gostar, o mesmo se passa com um país onde as regras vigentes não sejam do seu agrado. OS liberais gostam tanto de comparar um país a uma empresa, então aí tem: se não gosta das regras decididas e votadas pela maioria dos “accionistas” pode simplesmente retirar o seu capital, demitir-se e ir para onde possa ser mais feliz. É livre de o fazer. Por muito que me insulte e que tente desviar a conversa para onde lhe convém a verdade é esta: “liberalimo sim, desde que eu não o sofra na pele.” E isso é mais pulha e indecente que lhe lembrar que a liberdade de se por na alheta ninguém lha tira.

  16. AA

    Cara Ana, vejo que tem problemas semânticos _sérios_ 😀

    Liberalismo não é ser empurrado para fora do país por uma máfia política e burocrática sem escrúpulos. Isso é contrário a todas as regras liberais. Isso é – espante-se -, o que acontece numa ditadura. Ter respeitinho, estar caladinho ou ir embora 😀

    As pessoas não trabalham para o Estado, supostamente o Estado trabalha para as pessoas. As pessoas não podem agredir outras pessoas através do Estado, supostamente o Estado existe para proteger as pessoas contra abusos de terceiros. As pessoas não trabalham para as outras e caso contrário vão para a cadeira, isso é de facto escravatura. Se quiser, Liberalismo pode resumir-se ao Estado não se intrometer nas interacções honestas entre indivíduos. E assim sendo, bring it on.

    Se persiste em dizer que “Liberalismo” é um Estado que assume posições mais próprias de regime totalitário… que dizer? 😀

  17. Joao

    Ter direito a cuidados de saúde = um qualquer médico é obrigado a fornecer serviços de saúde a quem bate à porta?
    Ou
    Ter direito a cuidados de saúde = o estado é obrigado a encontrar soluções para o fornecer (por ex: contratando médicos que estejam dispostos a receber por esse serviço)?

    A mim parece que Rand Paul está a tentar implicar o primeiro (e não através de cobrança de impostos, mas sim de trabalho forçado…). E parece-me bastante esticado.

  18. AA

    Caro João, sim é exactamente isso — há uns malucos que julgam que o Rand Paul está a fazer uma alegoria filosófica, e a dizer que se alguns têm direito à saúde, então alguém tem de ser obrigado a fornecer cuidados de saúde, ou obrigado a “contribuir” dinheiro que a pague — mas ele é mesmo avariado da cabeça e tem visões em que aparecem uns mafiosos obrigá-lo a trabalhar para o Estado.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.