A lengalenga do consenso

Sempre que há problemas, lá ouvimos os políticos e analistas sentados no topo do regime a falarem do consenso. Que o preciso é que nos entendamos, que estejamos de acordo e, com isso, darmos um sinal lá para fora. Na falta de dinheiro, parece que o consenso paga as contas. É o consenso e o governo de salvação nacional com o PS, o PSD e o CDS. De mãos dadas vamos lá.

De nada vale chegarmos a acordo quanto a uma decisão errada. Mesmo que acreditemos muito, não dá. Continua errada e, errada como está, a solução dá maus resultados.

É interessante reparar como os que apregoam o consenso nunca se predispõem a ceder. Para eles, o consenso traduz-se nos outros lhes darem razão. Em desistirem. Calarem a consciência como se estivessem perante uma catástrofe natural e não originada pela teimosia de quem governa e não se quer corrigir. Assim entendido, com o consenso não se visa resolver o quer que seja, mas silenciar quem tenha outras respostas para a crise. É uma forma de não dar trabalho. É um resquício de uma outra época. É continuar a acreditar na clarividência de um homem só. Já o fizemos no passado e não deu certo.

9 pensamentos sobre “A lengalenga do consenso

  1. tiago

    acho este video bastante adequado à actualidade portuguesa. o consenso não é mais do que a comodidade dos tiranos do nosso tempo.

  2. Muito bem! Bullshit para o consenso dos medíocres e o correspondente definhamento do país! Precisamos de rupturas e muitas estão ao nosso alcance mesmo no quadro que o FMI nos vai impor!

  3. Eurocético

    Concordo com o principio do consenso mas numa perspectiva bastante diferente. Deveriamos pois procurar o consenso para culpabilizar mesmo os culpados do estado a que isto chegou. Sim,há responsáveis e não nos venham agora dizer que os culpados somos todos. Quem é que “inventou” as parcerias público privadas para encherem as mãos de alguns e depauperar as contas do estado? Quem é que deu continuidade a essas parcerias como se tivessem descoberto a pólvora? Alguém sabe porque é que foi dada, de mão beijada, a exploração da Ponte 25 de Abril à Lusoponte? Quem é que lucrou e continua a lucrar com isso já que os ivestimentos na tal Ponte são feitos por todos nós? Quem está a ganhar desconfiamos e quem está a perder somos todos nós. Quem é que acabou com a agricultura e abandonou as pescas com o abate dos barcos? Porquê? Para quê? Por isso até as batatas e as couives estamos a importar. Quem é que criou tantos tachos para os amigos nessas empresas públicas? Quem é que dividiu a CP em tantas empresas só para criar lugares de topo para os amigos? Porque é que têm que existir duas empresas de barcos para atravessar o Tejo? Porque é que há tantas empresas municipais? Então há culpados ou não? Nesta área é que temos que encontrar consensos. Organizar processos por tribunais mesmo independentes e julgar os culpados. Isso é que é preciso para que tudo isto mude e as pessoas possam começar a acreditar que vale a pena e que somos capazes de dar a volta a este estado de coisas.

  4. Uma decisão por consenso não é decisão nenhuma. É um adiamento do problema.
    A Sampaio (e a outros) só dá jeito pedir consensos quando o PS está a ser arredado do poder. Aí, depois de toda a porcaria feita, querem o consenso. Ou, como quem diz, querem se manter numa posição em que ainda terão alguma “voz activa”. Ora, o PS criou os problemas e faz parte deles. Isto porque não há um “PS bom” pois todos se uniram com os “maus”, em Matosinhos. Todos passaram a ser parte do problema, ao se juntarem – TODOS – a quem criou os problemas.
    A solução não passa pelo Largo do Rato…
    http://notaslivres.blogspot.com/2011/04/sampaio-na-rtp1-hoje-outro-que-quer.html

  5. tric

    ” É continuar a acreditar na clarividência de um homem só. Já o fizemos no passado e não deu certo.”

    não deu certo!!!??? como é que você pode afirmar uma barbaridade dessas!!?? basta apenas, e só apenas,ter presente a situação em que estava Portugal quando Salazar chegou ao poder e quando o deixou…consigam fazer um décimo do q Salazar o fez e já será considerado um verdadeiro milagre economico…metam-se com experiencias, metam-se…com portugal a caminhar a passos largos, para a generalização da fome…

  6. tric

    “Assim entendido, com o consenso não se visa resolver o quer que seja, mas silenciar quem tenha outras respostas para a crise.”

    lol deve haver muitas respostas para a crise!! lol você deve tar a gozar…três partidos vão com o programa do FMI e depois alguem quer silenciar quem tenha outras propostas para a crise…alguem quer silenciar as propostas do Pedro Passos Coelho lol hoje escutei o alguem do PSD a dizer que uma União Nacional vai contra a Democracia, estes gajos deliram…mas Portugal vive numa democracia!!!??? Portugal vive como muito bem os Gregos apelidaram, numa Debtocracia…

  7. Pingback: Sócrates agradece apoio de Cavaco « O Insurgente

  8. Pingback: O fenómeno português « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.