Jobs for the boys

Esta era uma proposta de lei que devia ter sido tratada de outra forma. Deveria ter sido aprovada, se não de forma isolada, enquadrada com a eliminação ou alienação das entidades que concorrem com entidades privadas, o que seria coerente com a posição recente de Passos Coelho.

Não, o PSD não votou a favor. Nem sequer votou contra dizendo que era em princípio a favor mas primeiro tinha de extrair as tais empresas da esfera pública.

Faz sentido que nem PSD nem PS gostem desta status quo. São partidos que dependem das estruturas e as estruturas são as principais beneficiárias destes Jobs milionários. De que outra forma malta que não tem competência para ser contratada por privados para gerir uma caixa de sapatos seria elevado a administrador milionário?

Reforço…depois queixem-se dos eleitores.

PS: Atirarem sempre com o exemplo do Xerife de Notingham Tuga para justificar as centenas senão milhares de dependentes do Estado que têm salários que nunca teriam se o accionista não fosse o desgraçado do contribuinte já começa a meter nojo…

2 pensamentos sobre “Jobs for the boys

  1. JS

    Esta atitude do PSD/Passos Coelho demonstra que também o PPC tem mais intenção de agradar aos seus boys/barões (de quem realmente depende), do que representar de quem devia depender, do julgamento do eleitorado, do País. Como se vê apenas um Sócrates MKII. Consequências deste sistema longinquamente democrático.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.