A maior ambição

 

Leio o ‘All the Pretty Horses’ de Cormac McCharthy e não vejo apenas um rapaz que nasceu demasiado tarde, já no século XX, quando devia ter acontecido 100 anos antes, quando o Oeste ainda não tinha sido descoberto e havia espaço e tempo e necessidade de sonhar com uma vida ao ar livre entre os cavalos e as criações de gado, sem carros nem tecnologia. O que mais impressiona naquelas 300 páginas é a clarividência de John Grady que apesar de tão novo vai estando à altura das diversas situações que lhe surgem: a decisão de ir embora do Texas para o México, a lealdade para com o amigo, a presteza no novo emprego num rancho cheio de cavalos para serem domados, a paixão que sente pela rapariga filha do dono do rancho e a firmeza que demonstra quando fala com a tia dela sobre ela. O que sofre e pelo que passa na prisão para onde é enviado depois de muitas peripécias nas quais não me detenho agora. Tudo sem uma lamúria. Isto não existe ou pelo menos só existe na imagem que fazemos de algumas pessoas. E há um momento na história, quando depois de saído da prisão ele a convence para se verem outra vez e a pede em casamento, ela lhe responde que não pode, apesar de querer, e ele nada diz. Apenas se afunda. He saw very clearly how all his life led only to this moment and all after led nowhere at all (p.260). Mas ele nada faz. Não a força a ficar, não lhe implora, não a culpa, nem sente qualquer ressentimento para com a ela. Não a condena. Nunca sentirá raiva. He watched her go as if he himself were in some dream (p. 261). John Grady não quer fazer coisas extraordinárias, apenas encontrar o seu lugar na vida. Uma vida simples. Sucede que este é talvez o sonho mais ambicioso que se pode ter e aquele que mais adversários cria. São muitos os que não permitem uma vida em que não se prestam contas a quem quer que seja. É demasiado humilhante para quem fica de fora. E o segredo desta personagem que McCarthy nos traz é precisamente esse saber o que procurar que lhe permite apreciar a simplicidade das coisas. (…) and in his sleep he dreamt of horses and the horses in the dream moved gravely among tilted stones like horses come upon an antique site where some ordering of the world had failed and if anything had been written on the stone the weathers had taken it away again and carrying in their blood as they did the recollection of this and other places where horses once had been and would be again. (p. 287). Procurar sabendo o mais certo ser perder. Scared money cant win and a worry man cant love (p. 253).

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.