A coragem de Cavaco

Lê-se no blog mar salgado que Cavaco Silva deve ser valorizado por não ter fugido. Espantoso. É que também só faltava que depois de assistir impávido e servido de bandeja a governação de Sócrates se tivesse demitido a meio (com medo de Sócrates talvez? cansado dos seus inúmeros e inúteis passeios pelo país rural…? ninguém sabe..).

Por outro lado, e pensando bem, essa até teria sido uma atitude consistente perante a passividade com que exerceu a presidência. Deixou Sócrates governar à vontade, em nome da sacrossanta “estabilidade governativa”, apesar da criminosa irresponsabilidade dessa governação. Para ter um presidente da república que nada faz, que cria falsos conflitos como o do estatuto dos Açores, que se envolve em polémicas ridículas como a das escutas, que em defesa do Tratado de Lisboa pressiona para a (ainda maior) submissão de Portugal a potências estrangeiras, que aprova leis progressistas como as do aborto e dos casamentos gays (que, homem que fosse, teria vetado, nem que passassem na mesma depois), que em vez de criticar duramente o governo se põe com discursos cínicos e manhosos, enfim, se é para ter um presidente banana realmente mais vale que fuja.

Cavaco Silva, só por muito sectarismo ou ignorância se pode dizer que serve a direita*. É pena que esta mantenha as ilusões e se apronte a lhe entregar o voto outra vez.

*era interessante já agora que os seus apoiantes dissessem que grandes diferenças teria havido com um Alegre ou um Soares na presidência nos últimos cinco anos.

9 pensamentos sobre “A coragem de Cavaco

  1. Brutus

    Totalmente de acordo. Cavaco é mais uma face do regime, diga-se, talvez a mais importante juntamente com o sempre muito “sábio” Soares. Já lhe chamaram o “contabilista” do regime mas, mais do que isso, ele é efectivamente o criador do monstro que, os sempre incompetentes e desonestos socialistas, trataram de engordar sem tento nem vergonha e que se prepara agora para devorar o país. E a verdade dos factos é que, tanto Cavaco como os outros “pais” do regime, sempre se perfilaram atrás deste governo mentiroso e aldrabão e são eles os maiores responsáveis por já irmos em quase 6 anos de desgraça Socratina (and still counting…). Cooperação estratégica, my ass

  2. É curioso como sucedeu o mesmo com o Soares do primeiro mandato presidencial, com Cavaco como PM, embora a situação económica fosse precisamente a inversa. Por isso, Pacheco Pereira chegou a apoiá-lo para o segundo mandato (do que se veio a arrepender) face ao candidato da “direita” Basílio Horta.

  3. É curioso como sucedeu o mesmo com o Soares do primeiro mandato presidencial, com Cavaco como PM, embora a situação económica do país fosse precisamente a inversa. Por isso, Pacheco Pereira chegou a apoiá-lo para o segundo mandato (do que se veio a arrepender) contra o candidato da “direita” Basílio Horta.

  4. Osório

    Isso tudo é verdade, mas talvez no 2° mandato as coisas sejam diferentes. Isto porque a Presidência é um lugar político e é preciso andar a fazer contas de cabeça para ganhar uns votos para a reeleição. Contas essas que comprometem o desempenho, tal como os seu texto demonstra. Enfim, com um Rei isso não aconteceria porque não há cá contas nem continhas. É fazer o que for preciso! Quem quer Presidentes que vote neles.

  5. ricardo saramago

    Depois da actuação deste presidente, a pergunta que fica sem resposta é:
    Para que serve o Presidente da Republica, no sistema político português?
    Com M.Soares aprendemos que serve para alimentar a vaidade política e pessoal do ocupante do cargo e propiciar a alguns amigos negócios da China(Macau).
    Com Sampaio serviu para ajudar os camaradas do partido a tomarem conta do Estado e do país de alto a baixo.
    Com Cavaco, até agora, não sabemos.

  6. Joaquim Amado Lopes

    O Filipe Abrantes não deve saber mas quem avalia se o Governo actua de forma irresponsável não é o Presidente da República. É o Parlamento.
    Mas que a sua (eventual?) ignorância não o preocupe. Afinal, dos últimos 3 Presidentes da República só um sabia/sabe isso.

  7. lucklucky

    Extraordinário JAL.
    O caminho para a bancarrota não coloca em causa o regular funcionamento das instituições?

  8. Joaquim Amado Lopes

    7. luckylucky,
    Eu sei que, nos últimos 25 anos, este é o primeiro Presidente da República a respeitar o seu mandato e a não “interpretar” as suas competências de forma “criativa”. Mas repito: quem avalia se o Governo actua de forma irresponsável não é o Presidente da República, é o Parlamento.

    Há muitas coisas que colocam em causa o regular funcionamento das instituições. Mas a realidade é que, gostemos ou não, o PS (Partido do Sócrates) ganhou as eleições há apenas 1 ano e, com mais ou menos tricas mas sempre com o apoio do Parlamento, tem conseguido fazer o que bem entende.

    Eu também gostaria que este Governo fosse corrido (de preferência para a prisão, na sua maioria) e acredito que quanto mais tarde isso acontecer mais gravoso será para Portugal e para os portugueses (os que não sejam do Partido do Sócrates, entenda-se). Mas em democracia temos que respeitar a Lei e as decisões da maioria e, queiramos ou não, o actual Presidente da República é o maior (o único?) garante de estabilidade que temos.

    O Presidente da República seguir o exemplo do seu antecessor no cargo e mandar às favas a Constituição faria mais mal do que bem.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.