Cem anos de podridão

Hoje estou com Arturo Pérez-Reverte e com o narrador das aventuras do seu Capitán Alatriste: la verdadera patria de un hombre es su niñez. Isto para não me lembrar que tenho um passaporte emitido por uma anedota e que partilho o “selo” com muitas ratazanas. Demasiadas.

Um pensamento sobre “Cem anos de podridão

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.