Consultadoria gratuita (2)

Hoje no jornal i: “Direcção-Geral dos Impostos tem 11 mil funcionários”

Em complemento ao post do JLP, deixo aqui mais uma sugestão ao ministro Teixeira dos Santos: cortar no próprio ministério, através da implementação de uma taxa única para o IRS. Simplificando o sistema de cobrança de impostos (muito mais transparente!) Teixeira dos Santos poderia libertar grande parte dos seus funcionários para o sector privado.

9 pensamentos sobre “Consultadoria gratuita (2)

  1. Há uma forma muito mais simples de, de um ano para o outro, sem enfrentar problemas de inconstitucionalidade nem quaisquer outros, simplificar o sistema fiscal, libertando montes de funcionários inúteis, tanto no setor público como no setor privado: eliminar os benefícios e deduções fiscais.

  2. andré

    enfim. . .mais uma vez td s conjuga p mudar tudo para q quase tudo fique na mesma. .
    As inutilidades irão quase todas permanecer na mesma

  3. Se as propostas que Luís Lavoura apresenta no comentário #2 ocorrerrem, em simultâneo, a uma baixa generalizada das actuais taxas de confisco do IRS, declaro-me desde já um seu apoiante.

  4. Eduardo F,

    é efetivamente isso que eu proponho: eliminar deduções e benefícios fiscais e, simultâneamente, subir os escalões do IRS (baixando portanto as taxas para a generalidade dos cidadãos).

    É claro que com tal mecanismo alguns cidadãos sairão beneficiados e outros prejudicados. Mas o sistema global seria muito mais simples e transparente, permitiria libertar montes de funcionários inúteis nas repartições de finanças, e simplificar enormemente as declarações de IRS.

    Além disso, aproximaria o sistema da taxa única – pois que esse sistema, não o esqueçamos, tem implícita a não-existência de quaisquer benefícios fiscais.

  5. “O setor privado não tem falta de funcionários.”

    Será que o motivo está, em parte, relacionado com a quantidade de impostos cobrados para pagar a funcionários públicos??? 😉

    “sem enfrentar problemas de inconstitucionalidade (…)”

    Está a falar da progressividade do imposto sobre o rendimento ou do despedimento de funcionários públicos? Se leu este post até ao fim pode confirmar que mantém-se a progressividade. E a redução de pessoal é difícil mas não impossível.

    “Há uma forma muito mais simples (…): eliminar os benefícios e deduções fiscais.”

    Cuidado. Mantendo-se os escalões de IRS, a eliminação de deduções fiscais tenderá a provocar acréscimo da despesa pública com o aumento, por exemplo, do acesso dos contribuintes às escolas e hospitais públicos…

  6. A. R

    Não. Eu acho que faz falta é mais outro Simplex. Se o primeiro deu tão bons resultados o segundo ainda daria melhor.

    E ainda criticam os bancos que se informatizaram.

  7. Pingback: Corta na Despesa? « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.