Os cúmplices

O Miguel Morgado relembra, e bem, todos aqueles que, do alto do seu estatuto académico e profissional, deliberadamente se prestaram a servir a tese de que o investimento público em tempo de crise é a receita ideal para sair da dita. Que a disparatada tese seria negada pela força da realidade, já se sabia. O que não se esperava era que a coisa fosse reconhecida pelo Governo em pleno Diário da República.

Fica por isso a descoberto o papel de todos aqueles que emprestaram a sua credibilidade para alimentar um logro. Um logro de consequências económicas nefastas e que teve implicações políticas. Sendo de esperar o ar de espanto com que alguns em público aparecerão, como se nada fosse, seria bom que se lhes recordasse o estatuto que envergam e de que não devem fugir: cúmplices. E se do Governo se espera que doure a pílula da sua triste governação, disfarçando a mentira com a treta da confiança, já desses cúmplices se esperava que o brio profissional os impedisse de credibilizar e alimentar o que era visivelmente um disparate.

Seria aliás interessante que se analisasse o papel desses e de outros cúmplices na sobrevivência deste Governo. Tem sido a sua cumplicidade, complacência e cooperação que tem permitido ao Governo ostentar qualquer coisa de vagamente técnico. Sem eles, o logro já teria sido desmascarado há mais tempo. Sem eles, o país teria poupado muito tempo e dinheiro.

Obrigado pois a:

Manuel Brandão Alves Economista, Professor Catedrático, ISEG
Carlos Bastien Economista, Professor Associado, ISEG
Jorge Bateira Economista, doutorando, Universidade de Manchester
Manuel Branco Economista, Professor Associado, Universidade de Évora
João Castro Caldas Engenheiro Agrónomo, Professor Catedrático, Departamento de Economia Agrária e Sociologia Rural do Instituto Superior de Agronomia
José Castro Caldas Economista, Investigador, Centro de Estudos Sociais
Luis Francisco Carvalho Economista, Professor Auxiliar, ISCTE-IUL
João Pinto e Castro Economista e Gestor
Ana Narciso Costa Economista, Professora Auxiliar, ISCTE-IUL
Pedro Costa Economista, Professor Auxiliar, ISCTE-IUL
Artur Cristóvão Professor Catedrático, Universidade de Trás-os-Montes
e Alto Douro
Álvaro Domingues Geógrafo, Professor Associado, Faculdade da Arquitectura
da Universidade do Porto
Paulo Areosa Feio Geógrafo, Dirigente da Administração Pública
Fátima Ferreiro Professora Auxiliar, Departamento de Economia, ISCTE-IUL
Carlos Figueiredo Economista
Carlos Fortuna Sociólogo, Professor Catedrático, Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
André Freire Politólogo, Professor Auxiliar, ISCTE
João Galamba Economista, doutorando em filosofia, FCSH-UNL
Jorge Gaspar Geógrafo, Professor Catedrático, Universidade de Lisboa
Isabel Carvalho Guerra Socióloga, Professora Catedrática
João Guerreiro Economista, Professor Catedrático, Universidade do Algarve
José Manuel Henriques Economista, Professor Auxiliar, ISCTE-IUL
Pedro Hespanha Sociólogo, Professor Associado, Faculdade de Economia
da Universidade de Coimbra
João Leão Economista, Professor Auxiliar, ISCTE-IUL
António Simões Lopes Economista, Professor Catedrático, ISEG
Margarida Chagas Lopes Economista, Professora Auxiliar, ISEG
Raul Lopes Economista, Professor Associado, ISCTE-IUL
Francisco Louçã Economista, Professor Catedrático, ISEG
Ricardo Paes Mamede Economista, Professor Auxiliar, ISCTE-IUL
Tiago Mata Historiador e Economista, Universidade de Amesterdão
Manuel Belo Moreira Engenheiro Agrónomo, Professor Catedrático, Departamento de Economia Agrária e Sociologia Rural, Instituto Superior de Agronomia
Mário Murteira Economista, Professor Emérito, ISCTE- IUL
Vitor Neves Economista, Professor Auxiliar, Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
José Penedos Gestor
Tiago Santos Pereira Investigador, Centro de Estudos Sociais
Adriano Pimpão Economista, Professor Catedrático, Universidade do Algarve
Alexandre Azevedo Pinto Economista, Investigador, Faculdade de Economia da Universidade do Porto
Margarida Proença Economista, Professora Catedrática, Escola de Economia e Gestão, Universidade do Minho
José Reis Economista, Professor Catedrático, Faculdade de Economia
da Universidade de Coimbra
João Rodrigues Economista, doutorando, Universidade de Manchester
José Manuel Rolo Economista, Investigador, Instituto de Ciências Sociais
António Romão Economista, Professor Catedrático, ISEG-UTL
Ana Cordeiro Santos Economista, Investigadora, Centro de Estudos Sociais
Boaventura de Sousa Santos Sociólogo, Professor Catedrático, Faculdade
de Economia da Universidade de Coimbra
Carlos Santos Economista, Professor Auxiliar, Universidade Católica Portuguesa
Pedro Nuno Santos Economista
Mário Rui Silva Economista, Professor Associado, Faculdade de Economia do Porto
Pedro Adão e Silva Politólogo, ISCTE
Nuno Teles Economista, doutorando, School of Oriental and African Studies, Universidade de Londres
João Tolda Economista, Professor Auxiliar, Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
Jorge Vala Psicólogo Social, Investigador
Mário Vale Geógrafo, Professor Associado, Universidade de Lisboa

7 pensamentos sobre “Os cúmplices

  1. Luis

    E também se está a esquecer do John Maynard Keynes. Esse desonesto intelectual sempre pronto a ajudar governos socialistas.

  2. Fernando

    O keynesianismo nunca prometeu poupar dinheiro, por isso é evidente que o país teria poupado dinheiro. Clap clap clap.

  3. ricardo saramago

    Esses são os economistas do livro único, da vulgata marxista-keynesiana.
    Para eles o mundo e economia ficaram parados em meados do sec.XX.
    Se já sabem tudo, e têm um livro que explica tudo, não precisam de aprender mais nada.
    Têm a arrogância dos ignorantes e continuam a propagar as suas certezas em escolas públicas, televisões e governos.

  4. ricardo saramago

    Até o Krugman já manifestou a sua perplexidade porque “as leis da economia” parece que “não estão a funcionar”.
    É claro portanto que é a economia que está errada, porque “as leis” estão certas.

  5. lucklucky

    O Carlos Santos se for o mesmo que andou por aí parece-me que agora tem estatuto de arrependido…hehehe

  6. tiago santos

    Ahahah

    Como se as prescrições dos referidos manifestos tivessem sido seguidas.

    Oh homens, vão ver o que está a acontecer na Irlanda e digam-me se é com austeridade que se lá vai…

  7. jorge

    E o buraco do BPN? Põe aqui a lista dos cúmplices (não te esqueças do Cavaco!) que enterraram os portugueses.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.