Só faltou uma pergunta….

João Lisboa

… que, no caso, era a mais importante: “Acreditemos que não sabia de nada, não deu ordens nenhumas, no Freeport, no Face Oculta, no assalto à TVI & afins, até na ‘licenciatura’, não havia plano, trama nem conspiração. Foram os ‘boys’, os primos, o tio, os professores, o canário, que – ansiosos por mostrar trabalho – se excederam no zelo. Mas como é que alguém pode confiar num ‘chefe máximo’ que se rodeia de seres vivos destes?”

Anúncios

5 pensamentos sobre “Só faltou uma pergunta….

  1. João Sousa

    Ainda este fim-de-semana eu comentava com pessoa conhecida que Sócrates, quando posto perante uma pergunta minimamente incómoda para a sua augusta pessoa, lançava um olhar que denotava perfeitamente o seu desequilíbrio mental. Mais do que desagrado, mais do que desconforto, é pura ira aquilo que nessas ocasiões lhe está exposto nos olhos.

    Perguntasse MST algo parecido – e já há muito que esta é uma pergunta mais do que pertinente de ser feita -, estou certo de que Sócrates não se teria limitado a disparar ira no olhar: teria saltado sobre a mesa e tentaria ali mesmo, em directo, esganar o entrevistado. Que espectáculo não seria…

  2. Pingback: Um processo exemplar « O Insurgente

  3. Pingback: Freeport: tudo está bem quando acaba bem (2) « O Insurgente

  4. Pingback: Freeport: tudo está bem quando acaba bem (3) « O Insurgente

  5. Pingback: Perguntas proibidas « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.