Que caminho para a Venezuela?

Foi a pergunta que me fizeram esta manhã depois de Chavez ter decretado, simultaneamente, a desvalorização da moeda em 50% e uma fixação de preços. A resposta que dei não podia ser mais simples e será mais rapidamente reconhecida por um historiador do que um economista:

Segue exactamente para o mesmo caminho que todos os outros caminharam quando tentaram estas políticas. Ao principio esta medida conseguirá apenas subsidiar o mercado negro pois será o ponto mais fácil de abastecimento para quem quiser fazer uns trocos.

No entanto, esta situação não irá durar muitos meses. Eventualmente os fornecedores recusam-se a vender a estes preços por várias razões, a principal porque em muitos casos os preços decretados não servem para cobrir os custos e mais cedo ou mais tarde o único mercado a funcionar para bens essenciais é o clandestino.

O Governo tentará como sempre retaliar contra estas pessoas que ele criou mas que serão vistas apenas como o anti-cristo e especuladores maléficos. Alguns serão presos e feito deles um exemplo. Isto fará o preço dos bens subir ainda mais para cobrir o risco.

Eventualmente grande parte da população fica mesmo sem acesso nenhum aos bens que necessita porque já não tem dinheiro para as comprar no mercado negro. O descontentamento social agrava-se, os poucos “comerciantes” que existem serão perseguidos não apenas pelo Estado como pela população esfomeada. Roubos e assassinatos em plena luz do dia serão algo comum até se transformar em pura pilhagem e desobediência civil que culminará num golpe de Estado capaz de colocar alguém mais competente na liderança da Nação ou na chacina dos que tentarem o golpe.

5 pensamentos sobre “Que caminho para a Venezuela?

  1. Nada que não se estivesse à espera.
    O que acho fantástico é que mesmo com “euromilhões” da alta dos preços do petróleo, o Chavez conseguiu rebentar com as finanças.

  2. adriano volframista

    Era expectável
    Há um ano, uma consultora internacional tinha calculado que, para a Venezuela poder manter os níveis de despesa pública, sem comprometer o equilíbrio financeiro, o petróleo teria de estar a USD$ 100/110 o barril.
    Ora sabemos o preço médio do crude em 2009. O que pode perguntar é quando será a próxima desvalorização…
    Lá se foram os “milhões” que negociámos nas duas viagens que se realizaram….

    Cumprimentos
    Adriano

  3. joao

    Não há crise…o governo amigo de Portugal irá acolher de braços abertos o exilado Chavez, assim que este cair do poder…e talvez contratá-lo como consultor económico. E talvez dar-lhe um programa na RTP do tipo “alô presidente” em que Chavez prega o socialismo bolivariano, justo e fraterno às massas.

  4. Pingback: Venezuela: o custo de ignorar os erros do passado « O Insurgente

  5. Pingback: Prometeu, cumpriu! « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.